Tag Archives: satelites

NASA em Marte: 20 Anos de pesquisas e conquistas

Há 20 anos NASA pesquisa Marte da forma mais hardcore. mandando para lá sonda, satélites e rovers. eu já tinha falado que Marte é Cybertron, e nesses longos 20 anos, a Aventura Humana em busca de outros planetas conseguiu muito, mas ainda nem arranhamos a casquinha de nossas possibilidades.

não espero ver o Homem chegar e fincar os pés no Planeta-Guerreiro, mas também não me surpreenderia se conseguirmos nessa minha escala tosca de vida. Que nós o conquistaremos é um fato e não é mais uma questão de “SE” e sim “QUANDO”. O vídeo a seguir é uma comemoração do tanto que a NASA tem conseguido nessas duas décadas. Vamos ver?

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

As Luzes da Atividade Humana

Qualquer visitante extra-terrestre que passar pela Terra perceberá que há vida aqui, talvez até inteligente. Nossa maior mostra que estamos aqui é nossa pegada luminosa, com trocentos lumens mostrando que há poucos lugares onde não estamos.

A missão conjunta entra a NASA e o NOAA enviou ao Espaço o VIIRS – Suomi NPP, o Visible Infrared Imaging Radiometer Suite, Um radiômetro de varredura que coleta imagens visíveis e infravermelho da Terra, além de fazer medições radiométricas da atmosfera, criosfera e oceanos. Os dados VIIRS são usados para medir as propriedades das nuvens e aerossóis, a cor do oceano, a temperatura da superfície do mar e da superfície.

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Expedições da NASA estudam o planeta Terra

NASA não explora só o Espaço. Ela também faz expedições em todos os cantos do planeta. Em 2016, NASA fez inúmeras expedições estudando nosso planeta e suas mudanças.

Projetos como o HyspIRI, coletando dados sobre a saúde dos recifes de corais e as emissões de gases vulcânicos, o PACE, que monitorará a diversidade do fitoplâncton oceânico e seu impacto no ciclo do carbono marinho, e o SnowEx,, voltado para determinar a quantidade de água armazenada nas regiões terrestres cobertas de neve da Terra, visam ter maiores conhecimentos do que acontece nesse nosso querido planetinha azul.

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Explorer 1 – O Primeiro Satélite Americano

Em 1958, a corrida espacial estava iniciada. O Sputnik já tinha sido lançado. Era hora dos EUA darem o troco lançando seu próprio satélite. Coube ao Exército, junto com o pessoal do JPL – Jet Propulsion Laboratory lançar um satélite americano e colocá-lo em órbita. O prazo acertado foi de 90 dias. APENAS 90 dias. E eles conseguiram!

Esta antiga filmagem mostra como se deu o processo. Desde sua realização até sua conclusão.

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Nanossatélites: As próximas pequenas grandes coisas

Nanossatélites são uma realidade. Há kits de hobbystas, alunos pesquisam, como os do Ubatubasat e até grandes empresas. Eles são baratos (salvo se for construído por universidade brasileira, que adora um superfaturamento), eficientes e excelentes pro que se prestam.

Claro, a NASA está com seus brinquedinhos prontos para serem lançados em breve. Não substituirão os satélites maiores, mas esses pequenos também têm muito a contribuir.

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

O caso do ciclone que destrói o gelo marinho do Ártico

No final de 2015 e início de 2016, um ciclone extremamente quente passa pelo Atlântico Norte, provocando degelo de boa parte das camadas mais finas de gelo marítimo. Os pesquisadores da NASA acompanham de perto com o Atmospheric Infrared Sounder (AIRS).

Lembraram do outro vídeo que publiquei mostrando o time lapse do degelo do Ártico? Só boas notícias, né? Bem, realmente tem boas notícias. Agora, passarei a publicar alguns vídeos da NASA, com a legenda traduzida para PT-BR. Espero que gostem. Se não gostarem, compartilhem o canal enquanto me xingam para os seus contatos.

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

De onde vieram os satélites de Marte?

E eis que ele, Senhor da Guerra resolveu que seus inimigos jamais teriam paz. Dois de seus mais severos soldados nos observam, instilando os sentimentos inspirados em seus próprios nomes: o medo e o terror: Fobos e Deimos.

– Das crônicas mitológicas que foram inventadas agora.

Nós temos boas explicações sobre como nosso satélite natural (Lua, para os íntimos) foi criado. Mas não devemos esquecer que Natureza não segue livro de receitas. Será que o processo se repetiu para os satélites de Marte? Afinal, como eles apareceram?

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Uma olhadela no traseiro da Lua

As pessoas ainda se apegam a muitos conceitos de antigos gregos. O lado escuro da Lua, por exemplo. Como se a Lua só fosse iluminada apenas de um lado. A verdade é que sua velocidade de rotação é equivalente ao período orbital em relação à Terra. Ela tem os dois lados iluminados, mas nós sempre vemos o outro lado.

Há alguns dias, o NOAA veiculou imagens do satélite Deep Space Climate Observatory (DSCOVR). De suas imagens resultou numa linda animação, com a Lua passando pelo Planeta Azul.

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

O mundo molhado de Ganimedes

Ganimedes já causava fascinação no século XVII, quando Galileu o observou pela primeira vez. Ele era a prova que os mundos podiam ser como a Terra (ok, não são. Mas Galileu não tinha como saber). Não somos só nós que temos "luas" (a rigor, "satélites naturais"). Júpiter, o Rei dos Planetas também tem, e não é só isso. Ganimedes é o maior satélite do Sistema Solar. Ele consegue ser maior que Mercúrio, mas é menor que a Terra. Já sabemos sobre a topologia de Ganimedes, mas agora sabemos mais.

O velhinho, mas muito eficiente Telescópio Espacial Hubble nos deu evidências de um grande oceano de água salgada nos subterrâneos de Ganimedes. É tão grande que ele pode ter mais água que a própria Terra. Mas como ele conseguiu?

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

O deserto que alimenta nossas florestas

Um dos erros mais comuns é achar que plantas se alimentam de matéria orgânica. Não se alimentam. Ela não "come" húmus e muito menos cocô. Quem deve comer cocô é quem ainda insiste que plantas se alimentam assim. Elas gostam mesmo é de material inorgânico, oriundo da decomposição da matéria orgânica no solo, por agentes decompositores. Se planta gostasse de matéria orgânica, ela ficaria feliz com um copo de plástico.

Já imaginou do que a Floresta Amazônica se alimenta? Por mais bizarro que possa parecer, não é da matéria orgânica em decomposição trazida pelo rio Solimões (também é). Muito da sobrevivência da Floresta Amazônica vem do Saara!

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας