Origem da vida via RNA é reforçada a ferro, mas não a fogo

Nós já tínhamos publicado pesquisas indicando que o RNA possa ter sido o ponto de partido para a origem da vida (veja aqui tudo o que já foi publicado envolvendo RNA). Entendemos hoje o RNA como um catalisador, isto é, uma substância que propicia e promove reações químicas. Mas uma pesquisa mostra agora que não é só isso. Ele era bem mais fortemente ativo há alguns bilhões de anos, quando a vida ainda nem era o que se podia chamar de vida.

Claro, ficarão enchendo o saco com Pasteur e as teorias de biogênese e abiogênese, o tipo de discussão que não faz o menor sentido se levarmos em conta que não se pôde precisar ainda (frise-se o "ainda") em que ponto das reações a substância autorreplicante efetivamente apareceu. Mesmo com o friso no "ainda", coisa que eu acredito que será descoberto algum dia, podemos simplesmente nunca descobrir ao certo quando se deu isso. O certo é que PUF não apareceu moléculas autorreplicantes do nada, mas o fato de ainda não sabermos ao certo não prova que Evolução não é verdadeira. Mesmo porque, isso não tem nada a ver com Evolução, que é uma teoria científica que explica nossa biodiversidade, não sobre como a vida apareceu. Claro, criacionistas sequer lerão isso que escrevi, mas quem disse que escrevo para eles?

O dr. Lorem Williams foi abençoado pelos sagrados poderes deste mundo, sendo mergulhado no rio Estige. Ah, sim, ele também é professor do Departamento de Química & Bioquímica no Instituto de Tecnologia da Geórgia. Ele sabem muito bem que o RNA ajuda na catálise de enzimas, as quais são codificadas pelos sacropoderes de trechos genéticos, que nada mais são que uma sequência do DNA. Em outras palavras, não basta o gene codificar uma proteína e/ou uma enzima, algo tem que ajudar nessa reação. Essa ajuda começou muito antes do DNA, como conhecemos hoje, existir. Eram trechos genéticos toscos e uma série de nucleotídeos que ninguém daria nada. Mas o RNA, nosso amigo, estava lá para prover isso. O RNA seria, numa forma bem simplistamente tosca de expor, um modelo "beta" do DNA.

O RNA, entretanto, tem um probleminha. Ele precisa de um co-fator metálico, isto é, um metal que sirva como motor de arranque do processo. Sem estes co-fatores, por exemplo, helicases jamais poderiam ser abertas facilmente. Os co-fatores metálicos foram descobertos no século passado (1997), com direito, claro, a publicação indexada.

A pesquisa de Williams mostra que muito antigamente, a estrutura geológica da Terra tinha um grande manancial de íons Fe++. A conclusão que se seguiu é que o íon ferroso foi o principal co-fator de ativação para que o RNA fizesse suas maravilhas. Essa pesquisa fora publicada na PloS One e agora foi publicada na Nature.

mas o planeta Terra não para quieto. Com a ascensão dos primeiros organismos fotossintetizantes, a atmosfera começou a ficar inundada de oxigênio. Cada vez mais, o perigosíssimo oxigênio fazia o que as leis da Química disseram que tinha que ser feito. O Ferro II passou a ser oxidado, perdendo um elétron e virando Fe III, bem mais venenoso, e isso começou a atacar os seres vivos que estavam por ali.

A mão invisível da Seleção Natural começou a fazer seu trabalho e as mutações que ocorreram propiciaram ao RNA usar não só Fe++, mas outro metal: o Magnésio II (ou Mg++). As moléculas de RNA que não tinham esta capacidade de usar outro metal como co-fator acabaram indo para o limbo da historia, só ficando os que tinham esta capacidade. Evolução biológica em nível molecular, crianças, é disso que se trata.

Devemos muita coisa ao RNA, não só pelo que ele faz hoje, mas pelo que ele fez antes. E o que ele fez antes? Nós mesmos, com uma pequena ajudinha de simples átomos metálicos, sem os quais não estaríamos aqui contando um pouco de nossa história. A história de um catalisador que precisa de um co-fator que sem eles não haveria reações promovendo indivíduos que vivem fazendo reações químicas. E ainda tem gente que acha que Química é um saco!

7 comentários em “Origem da vida via RNA é reforçada a ferro, mas não a fogo

  1. ” a origem da vida via RNA é reforçada a ferro mas não a fogo”
    Como o ferro(Fe++) ajudou na origem da vida, sendo que o mesmo oxidado, se torna ‘bem mais venenoso’?
    Ai entra o magnésio que manda pro ‘limbo’ o ferro, através da seleção natural. O correto não deveria ser magnésio no lugar de ferro aí no título?

    1. Lê o artigo, filho. No I-N-Í-C-I-O o co-fator era o ferro +2. D-E-P-O-I-S, com a maior quantidade de oxigênio no ar, o Fe+2 passou a Fe+3.

      Será que nem os L-I-N-K-S com as publicações I-N-D-E-X-A-D-A-S vocês leem?

      1. @André, Nao se pode afirmar algo sem ter certeza, eu o li. So fiquei com essa duvida pq diz o artigo que o RNA passou a utilizar como co-fator o magnesio, ja que o ferro oxidado era bem mais venenoso. Logo é reforçado a magnesio nao a ferro. Claro posso ter compreendido errado. Se o fiz desconsidere meu comentario excluindo-o,
        Ja que nao servira de nenhuna serventia, a nao ser a desvalorizaçao do avatar almeida (rs)

        1. ao se pode afirmar algo sem ter certeza, eu o li

          Eu prefiro comentarista que não lê do que aqueles com incapacidade de compreender textos.

          So fiquei com essa duvida pq diz o artigo que o RNA passou a utilizar como co-fator o magnesio, ja que o ferro oxidado era bem mais venenoso.

          Interpretação de textos é pra fracos.

          Logo é reforçado a magnesio nao a ferro. Claro posso ter compreendido errado. Se o fiz desconsidere meu comentario excluindo-o

          Vamos ser diretos.

          Presta a PORRA da atenção, cacete! O ferro era importante NA PORRA DO CACETE DA MERDA DA ORIGEM DAS PRIMEIRAS MOLÉCULAS AUTORREPLICANTES, MERDA.

          Não importa que o co-fator HOJE (HOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJEHOJE) seja magnésio ou sorvete de morango.NO INÍCIO o importantre é a merda do ferro. Se vc não entendeu, volta pro CA para aprender a ler.

          Ja que nao servira de nenhuna serventia, a nao ser a desvalorizaçao do avatar almeida

          Se vc escreve a dúvida, eu EXPLICO e vc ainda não entende, problema seu. Sou responsável pelo que escrevo, não pela burrice alheia.

          1. @André,O bom desse artigo é que você tanto pode se divertir lendo o artigo como às suas respostas. Talvez desde o princípio fora assim. Espero atenciosamente seus novos artigos para poder lê-los, claro ¬depois de eu ter aprendido a ler no CA. Tenha uma boa tarde

  2. Completamente fútil o comentário, mas de todas as “ceifadas” que a seleção natural exerce, essa me pareceu a mais triste :/ um RNA sintetizava seu fim.

Deixe uma resposta para Almeida Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s