Pesquisa vem com panspermia de novo com argumento da ignorância

Eu estava lendo o Astro PT, o segundo melhor site de astronomia em português, perdendo pro Space Today. O problema é que ele deu uma derrapada em alguns conceitos de Biologia. Em um artigo, o Astro PT traz sobre uma pesquisa apontando a possibilidade da Explosão do Cambriano ter tido origem extraterrestre. Só que percebi umas coisas ainda consideradas desde a década de 70, que ainda acham ser um mistério, mas é um pensamento atrasado.

Então: a explosão do cambriano teve origem extraterrestre? Não e vou dizer o motivo.

Continuar lendo “Pesquisa vem com panspermia de novo com argumento da ignorância”

Como as primeiras moléculas replicantes replicavam

Um dos temas da Biologia que eu mais acho fascinante é a origem da vida na Terra. Simplesmente, é pura Química (vocês sabem que Biologia é Química aplicada, né?). O ponto-chave foi quando as moléculas orgânicas começaram a ter propriedades x-moléculas de se replicarem, formando o que seria um proto-RNA muito, muito tosco, mas que conseguia fazer o feijão-com-arroz dos seres vivos: Gerar cópias de si mesmo, nem que fossem cópias toscas, o que acabava por serem selecionadas pelo ambiente. Mas como era primeira molécula capaz de fazer cópias de si mesma? Coo era o processo de replicação?

Agora, temos a melhor explicação para este acontecimento, quando pesquisadores demonstraram como a primeira vida na Terra (na forma de RNA) poderia se replicar, usando um mecanismo químico totalmente diferente de qualquer outro que possa ocorrer naturalmente na Terra hoje.

Continuar lendo “Como as primeiras moléculas replicantes replicavam”

Pesquisadores criam bactéria com menor genoma do mundo

venter_god.jpgA vida ainda é, por enquanto, um mistério a ser desvendado. Sabemos os´processos químicos e bioquímicos. A grande questão enquanto se estuda isso é “seremos capazes de criar vida?” Craig Venter e sua equipe já conseguiram fazer um bactéria com genoma totalmente sintético. Não criaram totalmente uma bactéria do nada, o que pode parecer pouco, mas não é, se levarmos em conta que o DNA foi descoberto na década de 1950.

A equipe de Venter conseguiu outra proeza agora: criar uma bactéria com menor código genético jamais apresentado. E sim, ela está viva.

Continuar lendo “Pesquisadores criam bactéria com menor genoma do mundo”

Como antigos oceanos já regulavam reações químicas orgânicas

A maior pedra no sapato criacionista é explicar como a vida veio. Não, péra. Pra eles é fácil. Jesus veio, ergueu a varinha de condão e PUF! um elefante. Dai tentam invalidar a Teoria da Evolução apontando “incongruências” (que só existe na cabecinha oca deles) nas modernas teorias sobre a origem da vida, como se fossem a mesma coisa.

Bem, para haver vida é preciso haver moléculas auto-replicantes, como RNA e DNA. Para haver essas moléculas é preciso que haja reações de polimerização. Para haver reações de polimerização, é preciso que haja reações com substâncias orgânicas, isto é, substâncias baseadas em cadeias carbônicas. Para que haja reações com substâncias orgânicas é preciso… Bem, é preciso observar se essas reações são possíveis sem ação de um agente externo. Será que isso é possível?

Continuar lendo “Como antigos oceanos já regulavam reações químicas orgânicas”

Quanto oxigênio havia há 1,4 bilhão de anos?

O oxigênio bem mostra como a Química está pouco se importando com o resto. Primordial para uma guinada evolutiva, o oxigênio, este sacaninha, foi o responsável pela primeira grande extinção, quando organismos fotossintetizantes começaram a produzi-lo em larga escala. Só que a Seleção Natural dá, a Seleção Natural tira. O oxigênio é um gás extremamente oxidante (d’Oh!) e, por causa disso, ataca tecidos, degrada proteínas e manda seres vivos pra vala, na paz do Nosso Senhor Design Inteligente. Tempo passou e a Seleção Natural selecionou naturalmente aqueles que tinham condições de viver em uma atmosfera rica de oxigênio.

Normalmente, pensa-se que a ascensão dos animais na Terra se deveu às grandes quantidades de oxigênio, mas uma pesquisa recente mostra que muitos antes dos animais surgirem, já havia oxigênio suficiente para sustentar vida animal. Se eles só surgiram milhões de anos depois, é outra história.

Continuar lendo “Quanto oxigênio havia há 1,4 bilhão de anos?”

Microgotículas de água foram o berçário dos primeiros seres vivos

Uma das questões primordiais sobre o início da vida é… quando surgiu e como? Entendê-la é entender a Química em si, e entendendo a Química, entenderemos melhor como surgiu a vida. Sim, um paradoxo, mas um paradoxo intrigante. Muitos começaram com o lenga-lenga de Pasteur que disse que é impossível um corpo vivo ser produzido por um não-vivo, esquecendo-se de um pequeno detalhe: como delimitar onde realmente uma substância começa a reagir por si mesma, se auto-copiando? Basicamente, a vida depende de substância com moléculas muito grandes (macromoléculas), logo, é preciso entender bem como se formaram as primeiras macromoléculas.

Então, o que precisamos ver é como deveriam ser as condições para que tais macromoléculas tenham se formado e, ao que parece, estamos bem perto de desvendar de vez isso… apenas por causa de uma gota de água.

Continuar lendo “Microgotículas de água foram o berçário dos primeiros seres vivos”

HCN pode ter sido fundamental para o início da vida, ou o veneno que virou pai de todos

Todo mundo conhece o ânion cianeto. Talvez, não com este nome, mas seu nome vulgar: cianureto, que nada mais é que cianeto de potássio, extremamente venenoso. O problema, nem está no cianeto de potássio em si, mas como todo sal de ácido fraco, ele e deslocado por um ácido forte, como o ácido clorídrico do seu querido suco gástrico, liberando o gás HCN, o cianeto de hidrogênio, que em solução aquosa é chamado ácido cianídrico.

É estranho pensar algo útil para o HCN, mas — acredite! — apesar dos primeiros seres vivos não terem tido bronquite (e muito menos rum creosotado), eles tinham o grande problema de viver num período onde deram sorte de terem conseguido sobreviver. Bem, a maioria de fato NÃO SOBREVIVEU, só os mais adaptados e tudo se deve em parte aos cianetos, mas não da forma como poderíamos imaginar.

Continuar lendo “HCN pode ter sido fundamental para o início da vida, ou o veneno que virou pai de todos”

Origem da vida via RNA é reforçada a ferro, mas não a fogo

Nós já tínhamos publicado pesquisas indicando que o RNA possa ter sido o ponto de partido para a origem da vida (veja aqui tudo o que já foi publicado envolvendo RNA). Entendemos hoje o RNA como um catalisador, isto é, uma substância que propicia e promove reações químicas. Mas uma pesquisa mostra agora que não é só isso. Ele era bem mais fortemente ativo há alguns bilhões de anos, quando a vida ainda nem era o que se podia chamar de vida.

Continuar lendo “Origem da vida via RNA é reforçada a ferro, mas não a fogo”

Quando e como o oxigênio apareceu

Uma das maravilhas químicas que aconteceram na Terra, ao meu ver, foi quando o oxigênio passou a existir na atmosfera. Até então, apenas bactérias anaeróbias, fungos e alguns toscos que caem de paraquedas aqui poderiam “respirar”. Quando eu falo de “respirar” não quero dizer estufar o peito e encher os pulmões de ar, já que há cerca de 3 bilhões de anos ninguém tinha pulmão, nem mesmo sapos tinham e por motivos óbvios. Aos poucos, isso foi mudando, até chegarmos na maravilhosa mistura de oxigênio e nitrogênio que temos hoje; entretanto, novas pesquisas indicam que o aparecimento do oxigênio pode ter acontecido antes do que se imagina. Saberemos mais sobre isso com o Livro dos Porquês.

Continuar lendo “Quando e como o oxigênio apareceu”

Cianobactérias: a origem do oxigênio na Terra

As principais formas de vida no planeta Terra – não necessariamente na cidade de Tóquio – necessitam de oxigênio livre para respirar, exceto alguns fungos e bactérias, que respiram e se alimentam através de fermentação. Erroneamente se pensa que as plantas respiram gas carbônico. O CO2, o vilão do momento, é usado unicamente para fotossíntese. Logo, em presença de luz, as plantas sintetizam seu alimento E respiram. Na ausência de luz (mais acertadamente, de emissões ultravioleta), as plantas somente respiram. Assim, esqueça aquela bobagem que plantas respiram CO2 de dia e O2 e noite.

Há cerca de 3,8 bilhões de anos, no período Arqueano, ainda não haviam plantas. Nessa época, no entanto, surgiram as primeiras estruturas fotossintetizantes: os ancestrais das algas azuis, também chamadas cianofíceas ou cianobactérias. Ainda hoje, estes seres são os responsáveis pela produção de oxigênio no planeta. Logo, esqueça também aquela bobagem que a Floresta Amazônica é o “pulmão do mundo”. Nunca foi e duvido muito que algum dia o seja. Continuar lendo “Cianobactérias: a origem do oxigênio na Terra”