Sílvio Santos, digo, Sexta-feira Santa vem ai! Olê, olê, olá!

Estamos na Semana Santa. Aquela semana cristã onde é ensinado como somos um bando de filhos de Madalena, Jesus foi parar no pau-de-arara e Deus tá puto da vida com todos por causa disso. Curiosamente, se Jesus não tivesse indo pro pelourinho, o Cristianismo não existiria. Em outras palavras, Jesus teve que entrar na porrada e ir pra vala para que sua doutrina existisse, e Deus ainda fica puto com todos por causa disso? Ele deveria nos presentear!

Mas Semana Santa não é só dia de choro e ranger de dentes. Vai ter Dia do Coelhinho (seu eu fosse como tu…), mas antes, temos o almoço de Sexta-Feira da Paixão, que apaixonadamente nos entregamos a muitas iguarias. Mas cuidado com a picanha que é pecado, hein?

Eu já externei minha opinião sobre o que se deve comer na Sexta-Feira Santa [1] [2]. Eu acho uma data doida e não vejo motivo para não meter os dentes num delicioso e e magnífico churrascão com a carne sangrando (sim, eu sei que aquilo não é sangue). Mas alguém decidiu que isso é pecado. Sexo é pecado. Chamar velhos carecas de carecas é pecado. Dançar pelado é pecado. Achar que matar todos os habitantes de uma cidade é pecado. Tudo é pecado. Puros e pios só o Feliciano e a Sheherazade (pensamento pecaminoso: Sheherazade vestida de odalisca, atuando numa peça em que Xariar é representado pelo Feliciano e o vizir é o Silas Malafaia. Apaguem a imagem mental agora).

Nisso, outros tipos de religiosos, os seguidores de Nossa Senhora da Alface e os talibãs do Brócolis sagrado, mais uma vez, começam a se arregimentar contra esta insânia que é comer peixe. Porque peixe também é animal e nada de sangue nesta sexta-feira que representa justamente a sangueira derramada de Jesus.

Olha, a cara do peixe parece demonstrar que gostou do dedo onde está.

Não vejo qual o problema com o sangue derramado do cordeiro. Nem do contra-filé ou mesmo o acém,. se a grana anda curta. Se o problema é não derramar sangue, entretanto, então podemos partir pro ovo frito? Mas, pombas, ovo é pecado seja pela religião católica ou pela religião vegan. Que saco! Não se pode comer nada?

Então, volta-se ao apelo choroso das pobres vaquinhas, dos pobres bezerrinhos, dos pobres ratinhos assassinados durante a colheita da soja e… ops, não. Ninguém se importa com ratos. Só os branquinhos, que se pode comprar nas lojas de animais. Você já viu algum vegan ir dar comida a um cão de rua? Colocar bebedouro com água e açúcar pra beija-flores?

Rato é feio! Rato traz doença!

E cães têm raiva, bois podem sofrer de febre aftosa e pombos, toxoplasmose. Os bois são mais saborosos! Vegans cuidam de cachorrinhos, gatinhos e boizinhos, mas não desdenham em meter o inseticida. Assim é fácil, né? Mas alguns animais são mais animais que outros.

Toda vez que empregamos o experimento mental da casa em chamas, os veganzinhos do coração acham que pode rebater. Acontece que não tem como rebater, porque isso não refuta o veganismo. O foco ali mostra que somos escravos da Seleção Natural. Não há ética envolvida. Salvamos nossas crias primeiro. Se você não se preocupa com outro ser humano, você não sente empatia e uma pessoa que é acometida disso tem um nome: Psicopata.

Não é questão que vegans sejam psicopatas (alguns como Hitler e Himler eram. Churchill fumava e adorava bistecas). É questão que fomos moldados pelos bilhões de anos de evolução biológica a cuidar de nossas crias. Somos programados para protegê-las. Quando você acha que animais têm mais direitos que as pessoas, então o experimento mental da casa mostra que não funciona assim. É como você estar numa ilha deserta e aparece um gênio dizendo que você tem um e apenas um desejo. Se você escolher outra coisa além de "Me tira daqui, porra", você tem problemas. Então, não pense que você tem como refutar o conto da casa em chamas, pois não há o que refutar. Qualquer animal evoluído (no sentido de evolução biológica) tentará salvar a sua cria.

Então, esta onda de ficarem dando palpite sobre o que você deve comer e regular seu caráter pela sua dieta é algo impositivo e não-condizente com uma sociedade civilizada, onde todos devem ter liberdades, desde que não suprimam o direito dos outros.

Então, se você acha que deve mandar no que estou comendo, ou você não liga para os meus direitos, sendo um psicopata, ou é um dogmático religioso. E os dois se confundem.

Para finalizar:

Mas a Natureza é ética!

6 comentários em “Sílvio Santos, digo, Sexta-feira Santa vem ai! Olê, olê, olá!

  1. Aliás, só porque não ouvimos os sons emitidos pelas plantas, ao serem arrancadas de seu habitat, para serem devoradas por humanos desumanos, significa que elas não sentem nada? Só porque a seiva não é vermelhinha significa que aquilo não é fluído de vida? Já que é pra ser radical, vamos parar de assassinar os agriãos e rúculas que nos acompanham tão bem em um churrasco sangrento e também dizer BASTA aos alfacecídios e cenoricídios usados para alimentar tais vegans. Vamos todos viver de fotons. Abram seus olhos e mirem o Sol – deixem a vida entrar – hahahahaha

  2. Um abatedor católico pode matar, estripar, esquartejar um boi nos dias santos, mas não pode comê-lo.
    Cozinheiros podem cozinhar, fritar e assar carne para os outros mas não pode comê-la.
    Um dia entendo essa lógica religiosa………………………………Not.

  3. Deus cansou de mandar sacrificar bezerros e cordeiros como oferta em rituais e agora a igreja católica vem me dizer que não posso comer carne na Semana Santa. É por essa e outras que não sigo religião nenhuma.

  4. Alguém poderia informar, fazendo uma estimativa, em que ano “nós” estaríamos “livres” do controle de entidades cujo seus poderes se baseiam em seres mitológicos?
    É que queria saber se o tataraneto do meu filho (03 anos) estaria livre de uma merda se sexta-feira santa para poder comprar uma bela peça de picanha e uma de maminha sem ter ninguém entortando a boca, como fizeram comigo hoje num supermercado.
    Não que eu ligue, quero mais é que as ovelhinhas virem churrasco!

    1. Eu não sou o tataraneto do seu filho e não me importo de comer carne. Bilhões de pessoas não se importam de comer carne por causa da sexta-feira santa. Logo, é apenas mimimi seu.

      1. Todos nós temos nossos momentos de MIMIMI, quer ver:

        “Meu churrascão de hoje estava delicioso, obrigado”. (André fazendo mimimi, só porque comeu carninha na sexta santa; menino mau!).

        “Não coma picanha por quê é pecado”. (André fazendo mimimi porque não é adepto da tradição (idiota) de vários cristãos).

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s