Voz dos Alienados 57

Não há luar como este. Nem mesmo no sertão!
O paywall de artigos cientficos deveria acabar

O mundo de Hades não dá trégua. Ele só para por breves instantes por causa das férias, mas quando voltam, voltam. Fico pensando se não fazem isso de propósito, ou se a imbecilidade humana realmente é algo que só perde em grandiosidade pro escárnio que dirigimos a eles. Seja como for, aqui vos dou mais uma edição da VOZ DOS ALIENADOS!

WesleySouza
wesleymustaine@yahoo.com.br
200.17.98.253

Bom dia a todos, li o que pude, e não encontrei algo semelhante ao que postarei.

Medo!

Refletindo um pouco sobre a questão e pesquisando, encontrei algo equivalente ao que me veio em mente, que, embora sejam meramente situações hipotéticas, vejo-as com certa razoabilidade.

Vejo o Tsunami se aproximando.

1 – A geografia pré-diluviana era totalmente distinta da que conhecemos hoje, havendo apenas um grande continente, com seu relevo bem mais plano do que hoje presenciamos;

O detalhe que quando havia este supercontinente, ainda não havia seres humanos. Noé era o que, então? Um ornitorrinco?

2 – O próprio dilúvio seria o responsável pela fissão dos continentes, e por conseguinte, movimentação intensa das placas que as colocaram em colisão, alterando assim o relevo e provocando sua brusca elevação naquele período e em menor escala na atualidade, logo, não haveriam montanhas com a altura das que hoje se verificam e assim sendo, um volume bem menor de água seria necessário para encobrir o “mais alto monte”;

Jesus jogou um baldão de água e apareceu uma montanha. Seems legit!

3 – Não me recordo onde, mas há anos atrás encontrei uma suposição em um site de que, a pressão exercida pelo dilúvio foi tamanha que alterou até mesmo a estrutura dos elementos, a tal ponto de afetar as datações hoje realizadas, onde supostamente teríamos a idade “aparente” de certas coisas e não seu real tempo de existência.

Imaginem. Um monte de átomos reunidos e começa a chover. Daí, como eles moram em Teresópolis, soltam um "PQP, TÁ CHOVENDO!" e começam a se espremer debaixo de uma marquise, o que faz com que aconteçam fusão nuclear. Isso altera as partículas subatômicas e todas as datações radiométricas vão pro saco. Sim, faz muito sentido.

Enfim, não tenho nenhuma propriedade científica para me manifestar mas fica o comentário para o questionamento, refutações, etc.

Vocês devem pensar que eu estou de sacanagem. Cliquem AQUI e vejam por vocês mesmos.

Postado em O Dilúvio Desmascarado


Hebert Amilton
hebert.vet@hotmail.com
201.58.11.192

Caro “Dr. André”, tudo na vida é dinâmico ,pois o estático não evolui pois está em repouso , claro que o Sr. concordará com isto ,ich ,espero!!!

Ele não é uma graça?

Não creio na teoria da evolução e nem da criação no seu sentido restrito. Não sei se o Sr. já leu a origem das espécies, mais espero que sim.

Li até livro de língua portuguesa.

Em um embate entre o Ministro Supremo da Igreja Anglicana x Um membro da Royal Society Science (dar nomes é pra fracos!), o membro ,não vou falar cientista por que o Sr. não vai falar que ele provou científicamente nada , ganhou o debate. Me responda como seria isto hoje ,com a ciência moderna que por sinal é dinâmica ,como meu DEUS.

O deus dele é um pokemon.

Relato uma coisa para o Dr.(s) quanto mais estudo ciências mais sei da existência de um Criador. Vamos lá então vamos discutir sobre a existência de um Criador embora creio eu que isto seja complexo ,tentarei resumir de forma simplória,existe uma estrela que chama sol ,que emite raios

Raios. Ok.

que adentram em nosso planeta ,estes raios solares por sua vez e utilizada por alguns organismos (denominados vegetais) que utilizam esta energia e convertem em amido ,liberando um gás pouco utilizado por nos “O2? +H20

Ele quis dizer glicose.

este dois elementos…

Ele quis dizer "substâncias químicas".

tão pouco utilizado para nossas atividades biológicas ,foram criados ao acaso?

Eu utilizo muito o oxigênio e água. Este coitado não oxigenou-se o suficiente.

Ou melhor falando evoluímos com base deste elementos.Algum de vocês já analisaram a fisiologia cardíaca ou a dinâmica do fluxo sanguíneo.

Eu respiro oxigênio, Deus existe. São Tomas de Aquinjo está orgulhoso com este tipo de retórica.

K,k,k,k,k -se você nunca viram leiam vocês vão admirar ,pois com certeza ,nem eu ou fazer por nós conseguiriamos repetir tal mecanismo.tenho mais a relatar mais não vou ficar debatendo este tema aqui quem quiser é só passar um e-mail

Se um coração batendo é prova que Deus existe, um infarto do miocárdio é prova que Deus não existe. E não vamos esquecer da risadinha histérica.

Postado em As falsas citações sobre Evolução


misaelmws
misaer90@gmail.com
200.207.181.248

Vcs querem provar que estão corretos? Tudo é química física e matemática??? Não há argumentos que os convneção? Vcs tem resposta pra tudo?

Não consigo imaginar o cara dizendo isso sem estar vestido de lavadeira, com as mãos na cintura e batendo o pézinho.

Me digam com precisão e cientificamente… O que há após a morte?

Decomposição de tecidos.

Cientificamente… comprovem a evolução da Terra. (Teorias não vale, ok… qro que demonstração real, com experimentos e tudo o mais)…

http://www.amazon.com/Geology-Earth-Sciences-Books/b?ie=UTF8&node=13603

No fundo vcs “torcem” para estarem corretos… ou seja… vcs tbm tem fé…. Há coisas que não há explicação, ne?

Sua burrice é um perfeito exemplo.

Nem vcs conseguem explicar, ne… tudo bem… o papel de vcs eh desacreditar… continuem…rs… enqto nao há respostas… vcs akbam que por dar mais Ibope à fé, do quem própriamente crê nesses fatos… vcs se preocupam tanto em “desmascarar”

Eu consigo explicar como aparece gente assim. Colocaram álcool na célula incubadora onde ele estava.

“desvendar”, ridicularizar a fé, que no fundo passam a idéia de que tem medo…. medo de estarem errados, medo de serem contrariados… qdo há opiniões diferentes vcs retrucam…

Entenderam? Quando alguém falar merda, não retruquem. Aceitem sem contestar.

qrem terminar por cima, nao abaixam a cabeça pra ninguem… senhores da razão…

É pra quem pode.

Vamos supor que estejam corretos…. o que ganharam ou ganharão com isso?

Diversão.

Não seria mais sensato acreditar em algo inexplicável, como a vida após a morte, por exemplo, do que tentarem, sem sucesso, dizer o contrário e chegar lá e se arrepender?

Nome disso é "comodismo".

É preciso ver para crer, neh… Eh preciso acontecer para acreditar, neh? Então, me demonstrem com experimentos a evolução da Terra, me demonstrem que o inferno nao existe

https://ceticismo.net/religiao/inferno-desmascarado/

(quem contesta tem o ônus da prova, na minha opinião, pois nao se tem provas de que existe, mas tbm nao há provas de que nao existe).

Quero ver ele provar que os milhares de deuses hindus não existem.

E por fim… evidencias de Jesus, seriam só conversas memso… não há corpo. Seriam só escritos mesmo… não temos túmulo, não há cadáver… Será que temos então a maior mentira de todos os tempos?

Acho que vou deixá-lo no suspense.

Postado em: A maior invenção da indústria da fé


Hook
billyzrocker@gmail.com
216.218.254.11

José de Alencar foi um escritor com um estilo primoroso, coisa que Asimov nem chega perto. Adoro Asimov, mas não é por isso que desdenho a capadidade literária de grandes nomes da literatura, como por exemplo Cervantes.
Miopia é soda!!!

Isaac Asimov tem livros traduzidos em dezenas de idiomas. José de Alencar era um chato que escreveu um livro de uma dona que ficou rica e resolveu pentelhar o marido vagabundo. Comparar José de Alencar com Cervantes é a maior piada da história da literatura.

Postado em: Isaac Asimov: O homem que previu o Ceticismo.net

Não há luar como este. Nem mesmo no sertão!
O paywall de artigos cientficos deveria acabar

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • Morte

    Minha nossa senhora da alienação. Sem mais.

  • JCFerranti

    Desculpa os termos, mas PUTA QUE PARIU! Colocar José de Alencar acima de Asimov pode ser considerado gosto, o que não se discute (tá, eu sei!), mas comparar com Cervantes é fechar com chave de cocô!

  • sergiobiju

    rir para não chorar, kkkkkkkk!! :mrgreen: 😛

  • Apocalyptica

    Wesley, mas se antes do dilúvio a Terra só tinha montanhinha, então para a água do dilúvio foi bem “pouca” e mesmo assim foi o suficiente para alterar as propriedades dos átomos?

  • Ale

    Nossa,agora os crentoscos se superaram.Melhor VdA dos últimos tempos.

  • El Residente

    “Colocaram álcool na célula incubadora onde ele estava.”

    Aldous Huxley indicaria André pra Admnistrador Mundial.

    Administrador André respondeu:

    Ford te ouça.

  • Magno

    Na época que eu estudava biologia não havia esse pessoal, será a proliferação de igrejas evangélicas? (pergunta retórica)

    Esse povo inventa alguns sistemas bem loucos para ajustar as observações da ciência com o que está escrito no livro sagrado. Querem que a gente prove nossas afirmações mas não aceitam os fatos e não querem entender os fenômenos.

    Confundem teoria com ficção e, o melhor de tudo, quase sempre apelam pra própria ignorância no monólogo “quero ver você provar que o inferno não existe! Viu, te peguei! Estou certo”

    Acho que até poderíamos criar uma nova falácia: “a falácia do apelo à própria ignorância” 🙂

    Administrador André respondeu:

    Síndrome de Mulder. Quando a pessoa quer porque quer acreditar.

  • voix69

    misaelmws

    “Não seria mais sensato acreditar em algo inexplicável, como a vida após a morte, por exemplo, do que tentarem, sem sucesso, dizer o contrário e chegar lá e se arrepender?”

    – Pascal concorda com você. 😉

  • voix69

    “3 – Não me recordo onde, mas há anos atrás encontrei uma suposição em um site de que, a pressão exercida pelo dilúvio foi tamanha que alterou até mesmo a estrutura dos elementos, a tal…”

    – As Fossas das Marianas tem, na sua maior profundidade, uma pressão maior (já que o ponto mais profundo tem, aproximadamente, 11.000 m) que 1100 bar.
    Ora, se o monte Everest tem aproximadamente 8.840 m, a pressão existente durante o dilúvio, no que seria o nível do mar anterior ao dilúvio, seria de 884 bar.

    Obviamente não se encontrou nenhuma diferença estrutural nos elementos coletados nas Fossas das Marianas (1100 bar) em comparação aos elementos que temos ao nível do mar atual (1 bar). Portanto sua suposição é totalmente equivocada, não passa de achismo.

  • WesleySouza

    “O detalhe que quando havia este supercontinente, ainda não havia seres humanos. Noé era o que, então? Um ornitorrinco?”…

    Caro André, assim fica fácil não? Não sei se por descuido ou desonestidade (aposto na segunda hipótese) você tentou invalidar uma suposição contextualizada tão somente pela bíblia com um dado externo e irrelevante para a ocasião, fantástico não é mesmo? Ou não ficou evidente que a ideia apresentada está centrada na ótica da criação (isso sem entrar no mérito da literalidade dos dias da gênese)? Isso, ao meu ver tem a mesma equivalência aos crentes que tentam forçosamente amoldar conceitos científicos à bíblia quando lhes convém. Na situação em questão, a informação de que o homem não existia quando do grande continente foi introduzida estritamente por sua responsabilidade, já que a hipótese levantada está considerando estritamente a perspectiva bíblica para todo o processo desde o início à posterior influência do dilúvio, logo, não compreendo o porque de tanta euforia e sarcasmos de vossa parte. Pensando bem até compreendo, pois me intriga o fato de que um post meu direcionado a uma página (que não localizei nela mesma por sinal) ter vindo parar em uma secão de chacotinhas intitulado “voz dos alienados”, na verdade me acostumei com tais posturas, alias já presenciei tanto isso em blogs/fóruns que seria perfeitamente possível teorizar sobre a direta proporcionalidade dos crentes que retalham a ciência com os céticos que pouco ou quase nada entendem de cristianismo ou ainda, usam premissas limitadas e distorcidas para conceber lógicas “brilhantes” sobre Deus, ou mais frequentemente, transpõem para as palavras seu sentimentalismo contaminado pela necessidade de autoafirmação, como bem parece ser seu caso, infelizmente.

    Abraços

    Administrador André respondeu:

    Caro André, assim fica fácil não? Não sei se por descuido ou desonestidade (aposto na segunda hipótese) você tentou invalidar uma suposição contextualizada tão somente pela bíblia com um dado externo e irrelevante para a ocasião, fantástico não é mesmo?

    Vocês que falam que a chuvarada santa quebrou o supercontinente. Pena que não havia humanos ainda.

    Ou não ficou evidente que a ideia apresentada está centrada na ótica da criação (isso sem entrar no mérito da literalidade dos dias da gênese)?

    Pra mim, sua exposição ficou centrada em analfabetismo científico.

    Isso, ao meu ver tem a mesma equivalência aos crentes que tentam forçosamente amoldar conceitos científicos à bíblia quando lhes convém. Na situação em questão, a informação de que o homem não existia quando do grande continente foi introduzida estritamente por sua responsabilidade, já que a hipótese levantada está considerando estritamente a perspectiva bíblica para todo o processo desde o início à posterior influência do dilúvio, logo, não compreendo o porque de tanta euforia e sarcasmos de vossa parte.

    Deve ser porque eu lido com imbecis. Não se sinta especial, vc é apenas mais um.

    Pensando bem até compreendo, pois me intriga o fato de que um post meu direcionado a uma página (que não localizei nela mesma por sinal) ter vindo parar em uma secão de chacotinhas intitulado “voz dos alienados”

    ELE MERECE! ELE MERECE! ELE MERECE!

    na verdade me acostumei com tais posturas

    Ele está acostumado a ser reconhecido como idiota. E achou maneiro!

    alias já presenciei tanto isso em blogs/fóruns que seria perfeitamente possível teorizar sobre a direta proporcionalidade dos crentes que retalham a ciência com os céticos que pouco ou quase nada entendem de cristianismo ou ainda, usam premissas limitadas e distorcidas para conceber lógicas “brilhantes” sobre Deus, ou mais frequentemente, transpõem para as palavras seu sentimentalismo contaminado pela necessidade de autoafirmação, como bem parece ser seu caso, infelizmente.

    Como todo cre(n)tin(h)o, fala muito, não diz nada.

  • WesleySouza

    “- As Fossas das Marianas tem, na sua maior profundidade, uma pressão maior (já que o ponto mais profundo tem, aproximadamente, 11.000 m) que 1100 bar.
    Ora, se o monte Everest tem aproximadamente 8.840 m, a pressão existente durante o dilúvio, no que seria o nível do mar anterior ao dilúvio, seria de 884 bar.
    Obviamente não se encontrou nenhuma diferença estrutural nos elementos coletados nas Fossas das Marianas (1100 bar) em comparação aos elementos que temos ao nível do mar atual (1 bar). Portanto sua suposição é totalmente equivocada, não passa de achismo.”

    Voix69, correta e pertinente sua colocação, porém não há possibilidade de descartar totalmente a hipótese, ao menos não superficialmente assim, pois veja, embora eu não tenha na íntegra o teor (que não é meu para constar), a própria ideia das fossas abissais estaria atrelada ao evento, já que como citado nos itens anteriores, o revelo terrestre seria distinto e os próprios oceanos não possuíam também a profundidade hoje auferida, neste contexto as fossas seriam decorrentes do próprio fenômeno levando em conta justamente o abrigo do excesso das águas diluvianas. Agora o ponto da não diferença estrutural entre elementos submersos dos que não o são, é realmente relevante, mas aqui entra outro questionamento, há diferença entre um objeto submerso à 800 bar de pressão abrupta e crescente (já que o relato diluviano nos aponta para algo repentino se equiparado ao longo processo em que se fundamenta a ciência) para uma situação de 1100 bar porém constituídos de milhões de anos de forma provavelmente muito gradativa? Não sei se consegui expressar o que eu pretendia, mas minha argumentação é que, uma ocorrência na intensidade e velocidade do dilúvio poderia desencadear outras severas consequências, e para validar totalmente sua posição teríamos de levar em conta quais são os elementos colhidos nas fossas (se seriam essencialmente originários delas ou foram depositados lá). Vejo que sua postagem superficialmente evidencia duas situações: A primeira e mais consistente é que, os elementos realmente não se alteram se submetidos a tais condições (mesmo com o que levantei sobre a diferença entre as circunstâncias entre um e outro caso) e a outra (que embora possa considerar fantasiosa), é que se os elementos sofreram alguma modificação, elá foi de certa forma uniforme, praticamente no mesmo período, afetando a tudo que se encontra na crosta terrestre, já que a pressão diluviana seria muito maior do que até mesmo a exercida pelos fundos oceânicos daquele momento, por não serem estes tão profundos quanto hoje. Entendo ser nada fácil admitir isto, já que após o evento muitos anos se passaram e conforme sua demonstração elementos submersos hoje apresentariam as mesmas características dos que se encontram na superfície, a única possibilidade talvez fosse a alteração desencadeada por fatores além da estrita pressão que hoje conhecemos e que, os compostos foram para as fossas já modificados no momento de criação das mesmas. Por fim, novamente digo se tratar de mera reflexão, especulação ou achismo como você citou, não vejo problema algum em considerar assim, mas se puder responder ao menos sobre a pergunta sobre as diferenças entre as situações eu agradeço.

    Abraços

    Administrador André respondeu:

    Ora, se o monte Everest tem aproximadamente 8.840 m, a pressão existente durante o dilúvio, no que seria o nível do mar anterior ao dilúvio, seria de 884 bar.

    Vc quer dizer 8840 bar. E isso mandaria todas construções pro vinagre. Engraçado que não há NENHUMA evidência geológica disso.

    Obviamente não se encontrou nenhuma diferença estrutural nos elementos coletados nas Fossas das Marianas (1100 bar) em comparação aos elementos que temos ao nível do mar atual (1 bar).

    Vc não entende muito de geologia.

    porém não há possibilidade de descartar totalmente a hipótese, ao menos não superficialmente assim, pois veja, embora eu não tenha na íntegra o teor (que não é meu para constar), a própria ideia das fossas abissais estaria atrelada ao evento, já que como citado nos itens anteriores, o revelo terrestre seria distinto

    Não no século VI. AEC.

    os próprios oceanos não possuíam também a profundidade hoje auferida, neste contexto as fossas seriam decorrentes do próprio fenômeno levando em conta justamente o abrigo do excesso das águas diluvianas

    Provas?

    Agora o ponto da não diferença estrutural entre elementos submersos dos que não o são, é realmente relevante, mas aqui entra outro questionamento, há diferença entre um objeto submerso à 800 bar de pressão abrupta e crescente (já que o relato diluviano nos aponta para algo repentino se equiparado ao longo processo em que se fundamenta a ciência)

    Filho, prestenção: NÃO HÁ NENHUMA PORRA DE EVIDÊNCIA GEOLÓGICA DISSO, MERDA!

    Vejo que sua postagem superficialmente evidencia duas situações: A primeira e mais consistente é que, os elementos realmente não se alteram se submetidos a tais condições

    De quais elementos vc está falando?

    é que se os elementos sofreram alguma modificação, elá foi de certa forma uniforme, praticamente no mesmo período,

    Foi tão igual que nenhum outro povo viu. Dilúvio nenhum alterou a geografia dfo planeta, sabe por quê? porque não houve dilúvio nenhum.

    Agora, vc deve achar que sim. Então, façamos isto: ou vc prova que o dilúvio ocorreu, mostrando todas as provas geológicas e datando-as, ou considere-se expulso.

    Valendo!

  • saguhh00

    Gostei do último comentário do Voz dos Alienados. Pelo menos não é mais um criaburricionista repetindo as mesmas típicas justificativas religiosas.

  • JCFerranti

    P****! Essa história já tá dando no s***! Até eu que não acredito no dilúvio consigo provas melhores!
    Quer ver?

    Já foram encontrados fósseis de seres marinhos no alto de montanhas. Assim, só posso supor que algum dia o nével dos mares este acima dessas montanhas!

    JCFerranti respondeu:

    @JCFerranti, Opa! Nível, não nével!

    Administrador André respondeu:

    Qual a data dos fósseis, JÊNIO?

    JCFerranti respondeu:

    @André, Ei, ei! Só estou mostrando argumentos melhores que modificação na estrutura atômica dos elementos por pressão de toneladas de água. Não acredito no dilúvio não!
    Mas você acha que na hora de “criar” uma defesa para o argumento, alguém vai se lembrar de estudar como funciona o movimento das placas tectônicas, ous e preocupar com certos “detalhes” do argumento?
    Bom, essa seção existe exatamente para esse tipo de pessoal, certo? Os com argumentos maravilhosos na defesa de suas crenças.

    Administrador André respondeu:

    Beleza, então. Mal aí!