Camelinhos de Allah surtam por causa de filme vagabundo

Telefones, marketing e a figura da autoridade
Voz dos Alienados 53

Antes de mais nada, devemos salientar a importância das religiões como sendo guias morais e fundamento ético de qualquer sociedade, onde seus seguidores sabem da importância do convívio, relegando aos não-crentes a decadência na barbárie. O Islã é a pérola do Oriente e fiel seguidora dos princípios pacifistas do pedófilo, digo, misógino, digo, profeta Mohammed. Por causa de um filme de baixo orçamento, os Camelinhos de Allah mostraram toda a calma e temperança de sua religião, começando um imensa quebra-quebra, com mortos e inúmeros feridos. O que diabos está acontecendo?

Está acontecendo o que sempre aconteceu quando um bando de retardados acéfalos sai às ruas. O que os hooligans do deserto precisam é apenas um pretexto e este pretexto foi um filme muito o do vagabundo, onde o tosco do Maomé é retratado como mulherengo, pedófilo, gay (não pergunte) e tinha diversos capangas. Só faltaram colocá-lo sentado com um gato no colo e fazendo propostas que outras tribos do deserto não poderiam recusar.

Os camelinhos de Allah surtaram de forma épica e começaram o arrastão em quase todas as embaixadas norte-americanas daquele lugar esquisito chamado Oriente Médio. Na Líbia, o Consulado da cidade de Benghazi, onde o embaixador J. Christopher Stevens e mais três funcionários foram mortos de forma bárbara ontem, 12/09, de forma bem semelhante ao que aconteceu no século VII, onde o misógino de turbante bancou o louco-furioso e saiu matando a torto e a direito. No Iêmen – aquele lugar onde você é incapaz de identificar num mapa mudo – 4 pessoas já morreram e 34 estão feridas, mas ós números já devem ter subido. No Egito, os toscos de dishdashah feriram 13 pessoas e os números não param de crescer. E porquê? Por causa de uma merda de filme mal-feito, cujo trailer você pode ver abaixo.

A imundície dos talibãs fizeram "um apelo" ontem para que os muçulmanos afegãos preparem-se para atacar os americanos e pediu que a população “se vingue” dos Estados Unidos blábláblá Whiskas sachê. Em Teerã, no Irã, cerca de 500 maníacos participaram de um protesto perto da embaixada da Suíça, que representa os interesses dos EUA, que nunca gozou de boa fama desde que o psicopata do Khomeini subiu ao poder. Os manifestantes, convocados por uma associação de estudantes radicais, exibiram exemplares do Alcorão, enquanto gritavam "morte à América" e "morte a Israel". Este último, claro, já deve estar preparando seu arsenalzinho e entrando em Defcon 3 ou seja lá como chamam lá.

No Brasil, a embaixada e os consulados intensificaram a segurança, ainda mais com os babacas anti-americanos (mas que calçam tênis Nike, bebem coca-cola e usam iPhone) que há por aqui. Enquanto isso, o Pentágono avisou que 2 destróieres da marinha dos EUA estão seguindo para as proximidades da Líbia, mas apenas "por medida de precaução" (my ass). Próximo passo será um porta-aviões, para depois mandarem o Stallone e seus mercenários (exceto Chuck Norris, que foi prestar condolências pelo aniversário de falecimento de uma cobra que o mordera).

Qual o motivo disso tudo? Porque o filme disse que muçulmanos são violentos e sua religião gera ódio, perseguição e mortes absurdas, já que seus seguidores fanáticos não entendem outra coisa senão a barbárie e violência exacerbada. Diga com sinceridade: OS pobres islâmicos têm ou não têm razão de reclamar frente a tanta mentira?

Telefones, marketing e a figura da autoridade
Voz dos Alienados 53

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας