Dasht-e Lut, o lugar mais quente da Terra

Quando falamos de deserto, vêm-nos à mente o deserto do Saara, o segundo maior deserto do mundo em extensão. Sim, eu sei que você vai me corrigir, mas quando se fala em "deserto", devemos compreender que nem todo deserto é quente. Há um deserto bem maior que o Saara, tão desolado quanto, mas não tão quente. A bem da verdade, não é nada quente. Estou falando da Antártida (sim, aquilo é considerado um deserto e se você pensar bem, vai entender o porque).

O Saara só pode ser considerado como o maior deserto, se considerarmos apenas o deserto mais quente. Entretanto, não é o mais vazio (e se levar em conta a SAARA no Centro do Rio, aí mesmo que isso não se aplica), não é o mais seco e, com certeza, não é o mais quente de todos. O mais quente fica no Irã e é o Dasht-e Lut, do qual você saberá um pouco mais no LIVRO DOS PORQUÊS.

Nas terras onde surgiu um dos maiores impérios da Humanidade, onde Ciro, o Grande mostrou quem mandava no pedaço e Xerxes I (que só na mente insana do Frank Miller usava tanguinha e parecia ser destaque da Beija-Flor de Nilópolis) há muitas belezas e mistérios. Não necessariamente com relação às aventuras de Simbad, que eu sei que algum espertinho vai apontar que ele era natural de Bagdá e não persa, mas não quero nem saber. Uma terra que foi berço de Beremiz Samir, o Homem que Calculava, deve ter algo especial, independente do fanatismo de décadas recentes, muito recentes.

Entre as magníficas paisagens do Irã, temos o Dasht-e Lut ou Deserto de Lut. Ele não é muito grande, ocupando apenas o 24º lugar entre todos os desertos, se levarmos em conta sua extensão. Entretanto, se levarmos em conta a temperatura média, o Dasht-e Lut ganha fácil dos seus competidores e ainda olha pra trás com o dedo na ponta do nariz e fazendo "Bléééééé".

Em 1922, a Organização Meteorológica Mundial (World Meteorological Organization — WMO) mediu então o que seria o lugar mais quente de nosso planeta. Seria o deserto em El Azizia, na Líbia, que chegou a 58 ºC. Isso já é quente o suficiente, mas como medições sempre tendem a ficar cada vez melhores, novos dados chegam e podemos ver que se as coisas são bem ruins num lugar, em outro é um verdadeiro inferno (praticamente, em vários sentidos e metáforas).

Em 1999, O satélite Landsat 7, do Espectrorradiômetro de Imageamento em Resolução Moderada (Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer – MODIS) trouxe a informação da temperatura mais quente até então medida na superfície terrestre, que superou brincando aqueles ridículos 58 ºC de temperatura. Muito provavelmente, o pessoal de Dasht-e Lut leva casaco quando vai pra Líbia.

Em 2005, o MODIS registrou a temperatura agradabilíssima de 70,7 ºC em Dasht-e Lut. Repetindo, e por extenso: setenta graus celsius e sete décimos. Nem em sonho o poderoso Saara chegou nessa marca. E se vermos um mapa com os principais desertos, entenderemos alguma coisa em termos de geografia (ou não):

Não sei ao certo se o Dasht-e Lut ganharia um prêmio por Maravilha da Natureza. É apenas um deserto. Com toda a sua peculiaridade, que no diferencia dos demais. Sendo apenas um lugar vazio e quente, ele não será em nada diferente de outros desertos, mas se ele tem um detalhe de ser o mais quente de todos, onde nada na superfície Terra se compara com ele, em termos de paisagem, então o Dasht-e Lut mostra-se especial de alguma forma, nem que seja para sabermos um pouco mais de geografia.

9 comentários em “Dasht-e Lut, o lugar mais quente da Terra

  1. Realmente muito interessante, Andre… não imaginava que no Irã havia uma sucursal do inferno… tá certo, o Irã já tem o irmão do capeta como presidente, então, não é difícil de acreditar. Seguindo essa mesma lógica, uns dizem que o lugar mais frio do mundo fica no polo Sul, chama-se Ridge A , outros dizem que é na Antártida, conhecido como Base Vostok!! Destestaria viver em qualquer um desses lugares… mas teria o maior prazer de deportar todos nossos políticos prá lá… só com passagem de ida!!!

    1. @ANUBIS1313, na base Vostok se registrou a mais baixa temperatura, mas Ridge A ganha na média. Mas resta saber se lá se registrará alguma coisa, o que está difícil, já que nem aviões consegue sobrevoar direito naquele lugar onde no inverno a temperatura média beira os -80ºC.

  2. Sempre pensei que o Vale da Morte ganhava mesmo com o recorde de El Azizia. Preciso me atualizar mais :(

    E.. Porra! Com 70ºC fica difícil sobreviver… Acredito que não exista um ar-condicionado que dê conta.

  3. Caracasss! da para fazer um chimarrão legal, ecologicamente correto,
    sem precisar fazer fogo. Será que tem uma sombrinha lá para curtir um chimarrão?

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s