“Pesquisadores” ainda enchem o saco com túmulo que dizem provar que Jesus ressuscitou

O estranho mundo da melanina e seus efeitos
MPF quer retirar dicionário de circulação por "ofender" ciganos

A falácia Post Hoc Ergo Propter Hoc ocorre quando algo é admitido como causa de um evento meramente porque o antecedeu. Essa é outra versão da Falácia da Causalidade Fictícia. É a falácia que toda superstição usa. Por exemplo: "Eu vi um cachorro cagando na rua, em seguida um carro atropelou uma velhinha. O atropelamento foi causado pelo cachorro porcalhão". Esta falácia é uma maravilha e eu posso ilustrar qualquer coisa com ela. Foi isso que o dublê de arqueólogo Simcha Jacobovici usou, abusou e lambuzou nos seus pseudodocumentários. Na verdade, Jacobovici não é arqueólogo e sim jornalista. Repeat after me: Jornalista falando de Ciência é a mesma coisa que tartaruga tentando costurar".

Para a segunda edição da SEXTA INSANA, pseudo pesquisadores ainda ficam enchendo o saco com um túmulo vazio que, se3gundo eles, prova que Jesus viveu, morreu e ressuscitou. Qual a prova? O túmulo tava vazio, logo é ÓBVIO que Jesus não estava lá. Duh!

Esta palhaçada continua desde que o James Cameron dirigiu aquela bosta de documentário vagabundo. Cameron deve ter recebido muito bons milhares de dólares para pagar um mico daqueles. Eu até fico pensando como seria se fosse com o Michael Bay. Jesus x Megatron. Me parece interessante…

A notícia saída no Estadão, trazida até mim pelos meus vassalos, leitores e até pela minha bisavó Catarina (a bênça, Bisa!) é uma verdadeira ópera-bufa, comandada pelo Jacobovici vestido de Clóvis. No ridículo besteirol trazendo a carreto o dr. Rami Arav, do Departamento de Filosofia e Religião da Universidade de Nebraska, e o prof. James Tabor, diretor do departamento de estudos religiosos da Universidade da Carolina do Norte.

A pesquisa é tola, vagabunda e fora de propósito. Viram um túmulo vazio e disseram: "Ahá! Jesus tava sepultado aqui. Ele estava, mas não está mais! Logo, ´ressuscitou e saiu voando por aí".

Isso falha miseravelmente no teste do riso para pessoas que param para pensar nisso. Como eles têm cewrtezxa que Jesus estava ali? Porque alguém escreveu . Mesmo porque, ninguém seria maluco de escrever numa tumba o nome de alguém (ainda mais do filho bastardo de Deus com uma adúltera que deveria ser apedrejada pelas leis de sua religião) se não fosse verdade, não é mesmo? Só um bando de fanáticos faria isso apenas para fazer crer que este filhote de sei-lá-quem realmente existiu. O que eu vejo aqui são um monte de curiosos (no mau sentido) metendo o bedelho tentando fazer provar algo que é insustentável pelas fontes existentes, sem apresentarem um único argumento mais sólido que fumaça.

Vamos supor que Jesus realmente existiu e ele ressuscitou, ok?

Ele foi executado por quem, quando e em quais condições? Várias pessoas viram ele ressuscitar, mas como ele era meio tímido não apareceu para ninguém, nem pros redatores da Bíblia, já que historiadores sérios já chegaram à conclusão que os evangelhos de Mateus, Marcos e João não foram escritos pelos discípulos nominados. Lucas só apareceu DÉCADAS depois e além de seus escritos deixarem claro que ele usou de fontes terciárias (não, ele não entrevistou ninguém que tenha presenciado os acontecimentos), alguns duvidam que o próprio Lucas escreveu aqueles textos. Saulo de Tarso é Saulo de Tarso e seus escritos deixam claro brutal ignorância até mesmo que Jesus teve vida terrestre. Não há um indício, documento, relato etc de fontes romanas, lembrando que Roma estava pouco se lixando se Jesus existiu. Jerusalém estava na época da Pessach e, por causa disso, estava cheia de gente, mas ninguém viu nada nem relatou nada. Sem falar que essa baboseira de libertar prisioneiros durante a páscoa judaica é totalmente falsa, podem perguntar a qualquer judeu.

Em uma das ossadas encontradas, que os especialistas situam em torno do ano 60 E.C. (antes do evangelho de Marcos aparecer), é possível ver a imagem de um grande peixe com uma figura humana na boca, que, segundo os pesquisadores, seria uma representação que evoca a passagem bíblica do profeta Jonas. Interessante é que se eu conseguisse voltar no tempo e apagar a Bíblia e substituísse por Moby Dick, iriam dizer que a figura representa o insano capitão Ahab (um personagem muito melhor que o tosco do Jonas). Agora, só faltam dizer que Jonas realmente existiu.

Ainda segundo a reportagem, Simcha e sua galera descobriram uma inscrição grega que faz referência à ressurreição de Jesus, e que essa prova pode ter sido realizada "por alguns dos primeiros seguidores de Jesus". Logo, Jesus existiu? Eu tenho livros com histórias infantis aqui. O corno do João realmente subiu na porcaria de um pé de feijão? Segundo o falacioso Simcha, el magnifico, sim.

Não duvido que um monte de toscos realmente estejam achando que um túmulo vazio prova algo. Eu, de minha parte, eu quase caí num buracão na rua, indo pro trabalho (as ruas do Rio parecem queijo suíço). Isso fatalmente prova que Thor chegou aqui em sua fúria e deu uma porrada no chão e saiu pra pegar umas "primas" na Mem de Sá. Afinal, por que eu mentiria? La garantia soy yo!

O estranho mundo da melanina e seus efeitos
MPF quer retirar dicionário de circulação por "ofender" ciganos

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • Altair5

    Com certeza esse túmulo deve ter sido uma homenagem de algum cristão,na falta de algo real forçaram a barra como sempre…

  • E se perguntar para eles “como a placa proibido pisar na grama foi parar alí no meio?”

    Para mim não passa do “bom e velho” argumento da ignorância. O que interessa a eles é o que convém e não o que é verdade.

  • steve_br

    Kkkkk muito bom mesmo!
    Eu tenho uns amigos, eles fazem parte de um grupo da igreja, eu mandei tempos atrás seu artigo sobre Jesus e agora vou mandar pra eles mais este daqui. Eu falei pra eles que Bart Ehrman, Karen Armstrong, e outros tantos historiadores sérios, nenhum deles acreditam na existência de um Jesus Histórico KKKKKKKK. Sério, muito bom mesmo, tem que fazer esses carolas caírem na real. Valeu pelo artigo, André!

  • ale s

    o texto é recheado de ad hominem, espantalhos e bravatas, típico do neoateu que ja deixa claro que não quer saber de nada que o contrarie.

    Pryderi respondeu:

    Refute-me.

    ale s respondeu:

    As falácias e arrogâncias do seu texto é uma autoproteção para que minguem poste aqui, a não ser teus vassalos você teve sucesso nisso! Compare o teu blog com blog Darwinismo, e aprenda a argumentar sem apelos…

    Pryderi respondeu:

    Isso não é refutação. Isso é “mimimi você e feio”. Eu não dou a mínima pros outros sites. Vamos lá, refute-me. Qualquer um pode comentar o que quiser. Já que o texto tem tantas falácias, apontar os erros não será tão difícil para alguém inteligente, culto e articulado como você. Certo?