Pesquisa indica que DNA Lixo ajudou a separar humanos de chimpanzés

O DNA Lixo é, ao meu ver, um dos piores nomes que alguém num laboratório empoeirado poderia inventar. Ele dá a entender que… bem, é um lixo de DNA, algo que só serve para ir pro esgoto (não que algumas vezes nosso DNA não vá parar lá; e eu estou falando de quando escovamos os dentes. Comprenez vous?). O DNA Lixo — ou Junk DNA, in Shakespeare language — sempre foi visto com um pé atrás pois, ao que se sabia, ele não servia para nada, pois não codificava nenhuma proteína.

Hoje sabemos que ele foi responsável por muitas coisas e, pelo visto, ele é o que nos separa dos nossos "primos" primatas: os chimpanzés. (como sempre digo: Evolução nunca quis dizer melhoria)

Em 2008, o dr. James Noonan — professor assistente de Genética na Escola de Medicina da Universidade Yale, nos EUA — e seus colaboradores publicaram um paper artigo científico mostrando o resultado de análises comparativas entre o Homo sapiens e o Pan troglodytes (a saber, entre o Homem e o chimpanzé, carinhosamente chamados de "chimps"), em que a ridícula diferença genética entre nós estava, obviamente, no DNA, mas que aparecia em trechos que pensava-se não servir pra nada: exatamente o DNA Lixo. O artigo foi publicado na Science.

Se não fosse por estes trechos, você teria braços mais longos, uma coluna cervical mais vagabunda do que temos, estaria mais apto a viver nas árvores, mas ainda com a tendência à auto-destruição, violência, assassinato, estupro e infanticídio. Sim, chimpanzés são tão psicopatas quanto os humanos, apesar do que os seguidores da religião Vegan tentem dizer ao quererem mostrar como a Natureza é linda e maravilhosa.

Noonan e sua equipe já tinham grandes suspeitas que o DNA Lixo não estava ali por mero acaso, pois Evolução NÃO É acaso. O problema até então era não saber que diabos o DNA Lixo fazia, até que descobriram a sequência HACNS1, a qual está altamente conservada entre´as espécies de vertebrados, mas que acabou acumulando variações em 16 pares de base desde a divergência entre humanos e chimpanzés, cerca de 6 milhões de anos atrás!

Isso quer dizer que…

Que houve acréscimo de informação genética, mizifio! Eu já tinha falado sobre isso no artigo sobre a relação entre as extinções em massa e a genética.

Noonan e sua equipe estudaram embriões de camundongos, onde o HACNS1 e suas sequências relacionadas no chimpanzé tinham relações evolutivas, e, por sinal, este trecho é responsável pela morfologia dos membros. Não é à toa que os mamíferos possuem membros parecidos (mas não iguais, claro). Parte deste trecho codificou uma proteína muito específica e esta fez toda a diferença do mundo e construiu nossa civilização: a proteína responsável por aparecer o polegar opositor.

O tempo passou e outros cientistas se debruçaram sobre o DNA Lixo e novas descobertas elucidam mais dúvidas sobre nossa história evolutiva.

O dr. John McDonald – do Instituto de Tecnologia da Georgia, EUA – direcionou sua equipe a estudar trechos móveis do DNA, os chamados retrotransposons (eu falei sobre eles no artigo das extinções em massa linkado acima. Você leu? Não, mas vai, né?). Eles determinaram que o processo inserção/exclusão de grandes pedaços de DNA é altamente variável entre humanos e chimpanzés e podem ser responsáveis por grandes diferenças entre as duas espécies. A pesquisa foi publicada no periódico Mobile DNA.

Segundo o Velho McDonald, as lacunas genéticas têm sido principalmente causadas pela atividade de retrovirus como elemento sequencial transponível, e pelo que aparenta-se, eles podem ser uma das principais razões por que somos tão diferentes dos chimpanzés.

Ai, meu Jesus de Lantejoulas… Do que este cara está falando?

Que o DNA Lixo funciona como retrotransposons, ou seja, parte dele é movido de um lugar para outro, afetando a ação dos outros genes, implicando em novas codificações de proteínas, com a ajuda de um retrovírus. É uma forma de explicar o PORQUE do DNA Lixo ser responsável pela especiação e separação de duas populações, onde cada uma seguiu caminhos evolutivos diferentes, tornando-se espécies distintas.

Em outras palavras, a pesquisa do dr. Noonan demonstrou que havia indícios que o DNA Lixo havia sido responsável durante esta especiação e como o trecho HACNS1 contribuiu para moldar nossa morfologia. Agora, a pesquisa de Ronald John McDonald mostra em que ponto de nosso DNA isso aconteceu e como aconteceu. Há lacunas na explicação do processo? Sim, mas há MUITO MENOS lacunas do que quando Lineu olhou o mundo natural pela primeira vez. Há MUITO MENOS lacunas do que o ano passado, do que ontem, mesmo. Assim funciona a Ciência. Ninguém tem botão TURBO que dê uma impulsionada; o conhecimento é paulatino.

Um comentário em “Pesquisa indica que DNA Lixo ajudou a separar humanos de chimpanzés

  1. Impressionante! Eu sempre achei que o DNA lixo era inútil…

    Agora sobre o turbo do conhecimento… É sempre assim, nós temos uma lacuna no conhecimento científico, daí vem um retardado e fala que a ciência é ruim pq não explica tudo… Então conseguimos um avanço singelo na determinada área, e a besta quadrada diz que agora temos DUAS lacunas!

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s