Analisando séries e filmes de super-heróis I

Introdução (a preliminar pode ser já com a introdução, né?)

Eu resolvi escrever esta série porque é um assunto que eu gosto e nunca escrevi a respeito, só brevemente e sem aprofundar muito. Gosto de histórias de super-heróis e não apenas os da DC e Marvel, mas desde os tempos dos filmes épicos como Jasão e os Argonautas, a série de filmes do Simbad (adoro o Simbad. Deveriam fazer mais filmes dele hoje e não aquele desenho tosco) e até mesmo os Dez Mandamentos (eu acho Moisés super-herói. Problema meu!)

Esta série analisará alguns filmes e séries sobre super-heróis, abordando a produção, a história e algumas curiosidades e observações pessoais. Aliás, o que mais vai ter são opiniões minhas, não críticas empoladas. Você tem todo direito de achar que eu estou errado e o meu direito é pouco me importar com o que você acha de mim. Você pode criar seus próprios artigos no seu blog, se é que você tem um. Não que não aceite comentários, mas tenha em mente que textões não serão aceitos. Qual o tamanho do textão? Eu julgarei na hora. Já vai pensando nisso antes de escrever.

Mitos e heróis estão conosco desde sempre. Quando começaram a pintar nas paredes de cavernas caçadas – normalmente exagerando –, estavam inventadas as primeiras histórias em quadrinhos, os primeiros contos épicos, com aventuras e super-caçadores. Isso evoluiu até a tradição oral e depois a escrita, com os poemas, trovas, baladas e muito mais tarde a prosa MUITO mais tarde. A primeira obra em prosa foi Dom Quixote, de Cervantes. Taí a importância deste escritor.

Me parece que atualmente com os filmes da Marvel (que não são da Marvel, mas ainda é cedo pra falar sobre isso), filmes de heróis viraram moda. Tudo bem que eles não são filmes de super-heróis (coisa que eu também explicarei), mas ainda assim tem sua importância e daremos uma olhadinha neles, assim como os da DC e da Sony e Universal (cahan. Isso será divertido) e tenho certeza que vocês se espantarão com muita coisa, como por exemplo saber que em muitos deles vocês realmente não entenderam a história. Talvez eu até mencione Matrix, que também é uma história (ruim) de super-herói.

Eu acompanho histórias em quadrinhos desde sempre. Sou do tempo que eram dadas de brinde aqui no Brasil. Tenho um grande carinho pela EBAL, que publicava tudo, nem sempre na ordem. A EBAL me fez ter contato com os primeiros quadrinhos de super-heróis, no tempo que aportuguesavam os nomes. Alguns atribuem ao ufanismo brasileiro, ainda mais na época do regime militar, mas eu tenho livro de Química de 1912 que traduziu o nome de Laviosier para Antônio Laurêncio Lavoisier. Ou seja, não é nenhuma novidade.

O interessante é que tentavam manter os padrões dos nomes, mas não era garantia. Enquanto Peter Parker virou Pedro Prado, Bruce Wayne virou Bruno Miller, e o Batman era O Homem-Morcêgo (com acento circunflexo, como se escrevia na época).

Já Lois Lane foi mudado para Miriam Lane, pois acharam que iriam confundir Lois com Luís.


“Briguem, desgraçadas!”

Eu passei por várias produções, inclusive a maravilhosa série do Batman da década de 60 e a tranqueira do Homem-Aranha da década de 70, passando pelos desenhos desanimados da Marvel (Marvel nunca deu sorte com animação, mas disperso-me). Eu me divertia lendo, ajudou a melhorar minha leitura e passei horas me deleitando numa era que computadores do tamanho de uma carteira que cabe na mão e poderia acessar todo conhecimento da Humanidade era coisa de ficção científica, então, é com muito gosto que hoje posso ver meus heróis no cinema, mas com enredos que na larga maioria das vezes passa direto pelas pessoas, que acabam julgando filmes bons como sendo ruins e filmes ruins como sendo bons.

Mas o que está por trás disso tudo? Bem, aqui começa. Aguardem os próximos episódios na mesma Cet-hora, no mesmo Cet-canal.

5 comentários em “Analisando séries e filmes de super-heróis I

  1. Lembro-me que o primeiro quadrinho que li era do meu irmão, homem aranha tretando com o Dr. Octopus por alguma coisa que não me recordo hehehe, faz um bom tempo que não leio quadrinhos, acho que o último que li foi um do Hellboy. Esperando aqui os próximos episódios dessa serie.

  2. A única coisa que aprendi sobre Super-Heróis é, fale mal dos filmes e você vira o vilão (é sério, já fui ameaçado pra porrada!!!)…

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s