Reflexões sabadinas sobre os ex-filósofos da Rede

Eu estava procurando uma informação ontem que eu sabia estar num texto antigo. Acabei esbarrando num outro texto nada a ver, o que me chamou a atenção e eu fiquei lendo, acabando por pular de link em link. Antigamente, chamávamos isso de “navegar pela internet”, começando a ler sobre a Guerra na Bósnia e indo parar em receita de salada de feijão fradinho. Atualmente, na era dos apps, você entra no que quer e não vai pra mais lugar nenhum. O que prometia ser dinâmico virou apenas um lugar-comum com viés de confirmação. Quando não se gosta de um conteúdo, para por ali, ao invés de saber mais. Vídeos no YouTube e podcasts cimentaram isso, já que ninguém lê as descrições, o que por sinal são difíceis de serem vistas se for consumir o conteúdo pelo celular, mas o que eu quero abordar não é isso.

Voltando ao que eu estava lendo, eu vi algo que me fez dar um sorrisinho sarcástico. Era sobre como poderíamos ganhar dinheiro com blogs (sim, uma postagem bem antiga). Mencionava até um blog chamado Blogando por Dinheiro; você já ouviu falar dele? Se ouviu, você é das antigas, mas é quase certo que 90% de vocês que estiverem lendo nunca tenham ouvido falar, e não se lembrarão daqui a pouco. De qualquer forma, ele já não existe mais. Assim como o blog de Guerrilha e tantos outros que ganharam dinheiro ensinando como você poderia ficar rico escrevendo em blogs. É tipo religião e o evangelho da prosperidade dizendo que basta você ter fé que Deus vai lhe dar dinheiro, para em seguida passar a sacolinha.

Sim, eu estou rindo muito ao lembrar o fim de todos esses blogs que sempre disseram que a Velha Mídia estava acabada, o futuro eram os blogs, com escritores independentes.

O mundo mudou e os espertos da Internet que estavam ensinando como ficar ricos com a Internet já ganhavam bastante dinheiro antes da internet e arrumaram um extra ensinando bobagens aos que queriam ficar ricos com a internet. Obviamente, só quem vendia os cursos é que ganhou dinheiro e a grande revolução se tornou todo mundo virando pauteiro comum e correndo atrás do que? Exatamente, da Velha Mídia. Passaram pro YouTube e Podcasts, mas copiaram a forma que é efetiva: TV e rádio, sendo que o sonho de todo mundo é ter um quadro na TV no nos programas de rádio.

Os blogs sumiram, quem ganhou dinheiro ganha até hoje dando palestra como ficou rico com blogs, sem acrescentar nada, vivendo de um saudosismo que larga maioria hoje não tem porque não viveu, mas ainda assim os veem como arautos da cultura internética, os demiurgos da Rede. Quem entrou nessa sem um plano B ficou fodido e teve que correr para ter outra fonte de renda… ou uma fonte de renda.

Claro, ainda esperneiam dizendo que blogs não morreram, mas, se você der aquela busca pelos blogs de outrora, eles efetivamente não estão mais lá. Entretanto, há quem coloque vídeo no YouTube dizendo que blogs não morreram. Preciso apontar a ironia?

Eu nunca me iludi com blogs, o que não me impediu de colocar uns anúncios… afinal, por que não? Quando Google capou a monetização, eu disse “Ok, faz parte”, e toquei adiante e desde 2010 eu estou mantendo meu blog sem anúncios. Gostaria de ter podido fazer isso no YouTube, mas eles cassam a monetização e continuam veiculando os anúncios, um dos motivos para não colocar mais vídeos lá. Com vídeo de 3 minutos, eles monetizam pouco e eu recomendo fortemente o uso de ad-blocks, o que eu sempre advoguei o direito de uso desde sempre, enquanto muitos blogueiros profissa sempre demonizaram.

Hoje, correm atrás dos mesmos leitores que usam ad-blocks com um piresinho na mão pedindo doação. Todo mundo pede doação. Eu também peço! Quando vemos os conteúdos que colocam lá fora mostra a diferença abissal pro brasileiro, que é apenas um retardado falando no vídeo, enquanto um Invicta contrata desenhistas, ilustradores e artistas gráficos para fazerem seus mapas e movimentação. Aqui, o cara faz um vídeo com foto estilo powerpoint exportado pra MP4. Para ser sincero, eu nem sei como tem gente que dá dinheiro pra mim! Obrigado, amo vocês.

Dos éons perdidos na Internet, ainda há quem esteja rastejando, sobrevivendo, ou mesmo tendo partido pra outra e dando entrevistas dos seus áureos tempos, ainda ganhando dinheiro como se fossem, sei lá, filósofos da internet, mas que estão apenas restritos aos seus clubinhos, escondidos da grande massa de usuários, vivendo às custas do pouco nome que ainda tem, como os Interneys da vida, mas seus blogs são apenas fantasmas de cadáveres que custam a morrer.

André mexe seu café lentamente com um sorriso. vocês jamais pensaram que isso ia acontecer, acabando por cair na irrelevância, não é? Eu também sou irrelevante, não se preocupem. Mas não me posto como algum profeta de outrora.

Acho que vou pegar mais café.

7 comentários em “Reflexões sabadinas sobre os ex-filósofos da Rede

  1. Eu já ouvi falar desse blog “Blogando por Dinheiro”. Nunca visitei, mas já ouvi falar. Assim como já ouvi falar, mas nunca visitei, um blog chamado “Make Easy Money With Google”.

    Essa de falar que “blogs não morreram” é para iludir. Se não os outros, iludir a si mesmo. Eu não caí nessa, vi que blogs já tinham morrido há muito tempo e decidi encerrar os meus. No fim das contas, blog ia matar a “velha mídia” mas foi ele que morreu, ninguém foi no velório e ninguém se deu pela falta do defunto.

    E essa de vídeo no youtube falar que blogs não morreram fez eu aqui soltar uma gargalhada gostosa.

  2. É bizarro quão irracional é o comportamento de algumas alguns humanos, repetindo a mesma ação em troca de biscoito.
    Toca o sininho. Plim plim. Está na hora da dopamina.
    🖖

  3. Que triste hoje não haver tantos blogs para acompanhar como outrora. O povo só tem Instagram, YouTube, Twitter, nada de páginas individuais personalizadas.

  4. Ah! Mas dá pra pular de vídeo em vídeo no YouTube… Ainda existem alguns com conteúdos interessantes que se não informam, pelo menos apresentam o contraditório para reflexão.
    Adorava os blogs, seja pra rir seja pra informação… E eu acreditava realmente que a velha mídia estava com os dias contados!

  5. Eu pessoalmente prefiro ler do que ver vídeos, então sinto falta de blogs, mas sei também que a banda toca, e quem não aprende dançar conforme a música segura a criança.
    Ainda sou fiel ao seu blog, acho que nem sei de quando, obviamente nem sempre concordo em como você se expressa, mas com relação ao conteúdo sempre admirei seus textos.
    Parabéns.

  6. Que eu saiba esses blogs que “”enriqueciam”” faziam isso exploitando ou falhas no sistema de ads, ou os visitantes idiotas.

    Lembro que tinha macro pra mudar de IP, limpar cookies e dar clicks nos banners, pra burlar o bagulho. Isso muito no começo 2000 e pouco.

    Mas o pior era texto genérico, algo como horóscopo com gerador de lero-lero, e um monte de popups e banners em tudo quanto é lugar (mais ou menos como o e-farsas ainda faz). E na cara dura aparecia um “este site sobrevive de anuncios, por favor desligue seu ad-block”.

    Aprendi muito mais lendo Lablogatórios, De Rerum Natura, Gluon, Efeito Azaron e Dragão da Garagem, do que vendo vídeozinhos do Ciência Todo Dia.

    Meu obrigado pela persistência! (atiraria umas moedas no teu chapéu, mas tô guardando metal pra vender na sucata quando o Real falir)

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s