Índio Mágico avisa que vai chover em época de chuvas e tira o médium da reta

Filosofia nos dá uma pílula de insulina. Brincadeirinha, foi a Ciência mesmo
O toque divino mostrando a face do Deus dos Planetas

Eu já postei várias vezes sobre a Fundação Cacique Engana Trouxa Cobra Coral, que se baseia nos poderes mágicos de um fantasma de índio que diz controlar o tempo. O fato de muitas vezes ele não ter conseguido prever que ia dar ruim no clima sempre passa desapercebido. O problema é que o Cacique Minhoquinha foi longe demais. Ele SABIA que ia cair uma chuvarada monstro no Rio de Janeiro e não fez nada. No máximo, avisou ao Crivella que ia ficar chovendo na época de chuvas.

O Apocalipse desceu como um manto negro e caos e destruição. Rajadas de vento chegaram a 110 km/h. As águas destruíram casas, criaram enchentes e ceifaram as vidas de 6 pessoas. O jogo de empurra começou e o governador do Rio, Witzel Luthor, deu umas alfinetadas jogando a culpa nas prefeituras e disse que 80 mil famílias estão em área de risco.

A prefeitura do Rio foi avisada. Sim, ela foi. A Fundação Cacique Minhoquinha mandou uma que eles tinham avisado que neste mês de janeiro, em plena época de chuvas, ia chover. RAIOS! Mil vezes RAIOS! (e trovões e chuva pra cacete).

Eu ia dizer que chega a ser criminoso dar uma de Jucelino da Luz, o vidente que prevê o passado, mas eu acho que Cacique Cobra Mensalidade Coral pode até estar certo. Sim, ele avisou, mas não usou de ênfase. Isso configura algo sórdido, um crime. O Ministério Público deveria pedir a prisão preventiva de todo mundo da Fundação Cacicão Monroe. Motivos? Omissão de socorro. Por que?

Art. 135 – Deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública:

Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.

Parágrafo único – A pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta a morte.

Bem, eles alegam que avisaram a Prefeitura. Mas vamos entender que a Fundação Pega na Minhoca tem poderes mágicos de controlar o tempo. Por que não impediram o temporal apocalíptico? Poderiam e não quiseram. Não quiseram porque efetivamente queriam matar as pessoas? Assassinato qualificado. Sua ação errada resultou em morte? Homicídio culposo. Podia impedir e não deram a mínima? Omissão de socorro.

Não, o Ministério Público não fará nada, ou alegarão que é perseguição religiosa. O Tribunal de contas não dará uma olhadinha mais de perto dessas parcerias. Ninguém dará a menor bola. Ninguém dos que morreram é senador safado a ponto de juiz do Supremo estar acordado às 3 da manhã dando um help pros amigos.

Mas sempre tem aquela outra questão: e se eles efetivamente não podem, tratando-se de fraude e charlatanismo? Bem, sabem no que vai dar? Em nada. Ainda continuarão a fazer “parcerias” com estes desclassificados, para depois vir com historinha “ain, chovei muito, mas nós avisamos”, numa merda de cidade gerida por um prefeito inútil que se você joga um caneco d’água, vira a sucursal do Inferno.

Atenção aos próximos avisos: em dezembro começará uma onda de calor. Não digam que eu não avisei. Os Ispritus estão advertindo. Em junho fará frio e nas próximas eleições outra catástrofe terá lugar com outro merda sendo eleito para prefeito, graças aos votos de um monte de retardados portadores de um título de eleitor.

Enquanto você bufa de indignação, piorarei a sua raiva linkando um texto de Lima Barreto sobre as chuvas no Rio e o descaso das autoridades, escrito em 1915. Viram algo de semelhante?

Noé, me leva!


Fonte: O Globo

Filosofia nos dá uma pílula de insulina. Brincadeirinha, foi a Ciência mesmo
O toque divino mostrando a face do Deus dos Planetas

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας