Cristãos chatos têm ataque de pelanca e acusam ator de blasfêmia

Carros autônomos são melhores que humanos idiotas na hora do engarrafamento
Doutoranda cria substituto para a retina? Não é bem assim

No longínquo ano de 2009, eu tinha noticiado que a Irlanda estava votando uma regulamentação da lei anti-blasfêmia, que está em vigor desde 1937. Votaram e pulicaram a lei, mas, como no Brasil, a Irlanda tem aquele negócio de “lei que não pega”.

Claro que cairia, afinal, ninguém seria louco para denunciar alguém por blasfêmia, certo? O Stephen Fry discorda.

Fry é um ator, roteirista, apresentador de televisão, cineasta e comediante nascido na Inglaterra. Em 2015, num programa de rádio, Fry soltou uma bomba (para o pessoalzinho que acredita em cobras falantes): “Por que devo respeitar um deus caprichoso, mesquinho e estúpido que cria um mundo tão cheio de injustiça e dor?”. É um questionamento que vários teólogos, filósofos e pais da Igreja se fizeram ao longo dos séculos. Mas as Ovelhinhas do Senhor resolveram xingar muito no Leprechaun. Isso é muito… engraçado!

Em 2016 (sim, demorou um ano), pessoal mobilizou a polícia, que nas sagradas terras da Irlanda não parece ter muito o que fazer além de briga no pub e tirar a ovelha atolada na lama do senhor O’Malley, para ir prender o Fry (o Stephen. Querer prender personagem de desenho animado já é um pouco demais, até mesmo para crentes fanáticos!), já que “um número substancial de pessoas fez a denúncia”.

Blasfêmia é aquele tipo de coisa que um ser supranatural, com poder de esmigalhar universos, se sente ofendidinho como uma criança birrenta porque alguém questionou sua existência. Parece a mula que está chilicando no meu vídeo sobre as 12 Provas da Existência de Deus. Deus realmente é tão poderoso que se preocupa com vídeo de YouTube. Mas só o meu. Pessoal tomando banho de nutella tá liberado!

O problema no caso do Fry é que o próprio comissariado de polícia e o ministério público reconhece que a lei é inaplicável, pois fica muito difícil determinar o que é blasfêmia e esse negócio de ofender um ser místico é completamente maluco.

Mas isso é na Irlanda, pois em Jacarta, na Indonésia, Basuki Tjahaja Purnama, candidato a governador, tomou um processo por blasfêmia e foi condenado a dois anos de prisão. Claro, os mesmos cristãozóides que são favoráveis às leis anti-blasfêmia chamarão isso de “perseguição ao mártir do Senhor”, mas as balizas mudam quando se quer, e o outro deusinho de TPM tem seguidores tão fanáticos quanto cristãozoides. A diferença é que lá é uma teocracia. Não acontecerá algo muito diferente se fosse uma teocracia cristã.

Talvez, até pior.


Fonte: RT

Carros autônomos são melhores que humanos idiotas na hora do engarrafamento
Doutoranda cria substituto para a retina? Não é bem assim

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • Bruno Aveiro

    Sobre a parte da polícia “que nas sagradas terras da Irlanda não parece ter muito o que fazer”, posso dizer que é verdade.
    Um conhecido meu fez um intercâmbio lá. Presenciou uma batida entre dois carros. Na verdade foi um “totó” entre eles.
    Uma das pessoas acabou chamando a polícia pra registrar a ocorrência. 10 viaturas apareceram pra socorrer.
    Não duvido que a notícia tenha saído no jornal no dia seguinte.
    ¯_(?)_/¯