Santander irrita o mundo com uma exposição, pois Deus não tá nem aí

O Brasil é um excelente lugar. Um lugar em que há respeito mútuo, liberdade individual e de expressão. O Brasil é formado pelo respeito às diferenças e oferece total liberdade de credo e pensamento. O Brasil é realmente muito bom… ou seria, já que tem um sério problema: brasileiros. Sim, brasileiros; aqueles que acham que têm direitos, mas não deveres, que exigem liberdade e tolerância para com suas opiniões e crenças, mas é incapaz de respeitar qualquer um que não siga suas convicções.

Agora, o problema está com a exposição do Santander Cultural, com o pessoal reclamando q1ue o banco está promovendo homossexualidade, zoofilia, pedofilia e que coloquem purê em cachorro quente. Eu acho que é uma abominação perante os olhos do senhor cachorro quente com purê, mas quem sou eu para mandar no gosto (ou mau-gosto) dos outros? Continuar lendo “Santander irrita o mundo com uma exposição, pois Deus não tá nem aí”

Das Leis Antiblasfêmia

Blasfêmia é uma coisa sem sentido. Se baseia no fato que você atentou contra um deus. Daí criam leis anti-blasfêmia, já que o deus que essas pessoas veneram vai ficar, sei lá, tristinho. No Paquistão existe essa lei e recentemente um homem foi condenado à morte por causa de uma postagem no Facebook. O Brasil ainda não tem lei anti-blasfêmia.

Continuar lendo “Das Leis Antiblasfêmia”

Religião da Paz condena homem por blasfemar no facebook

Eu gosto da ideia que o Brasil é o pior lugar para se ser mulher, é o país que mais mata homossexuais no mudo, vivemos sob um Golpe de Estado e as pessoas são intransigentes. Bom mesmo são os países islâmicos, já que muçulmanos são os verdadeiros feministas, têm um grande respeito às liberdades individuais e jamais insultam outras religiões.

Infelizmente, esqueceram de avisar isso no Paquistão, em que um homem chamado Taimoor Raza foi condenado à morte por blasfêmia.

Continuar lendo “Religião da Paz condena homem por blasfemar no facebook”

Dinamarca passa a borracha em lei anti-blasfêmia

Lei anti-blasfêmia é uma das coisas mais imbecis no mundo do século XXI. Não se pode falar mal de um deusinho, pois ele tem problemas de aceitação, fica tristinho e cai na depressão. Temos que protegê-lo. A Dinamarca tinha uma lei anti-blasfêmia que já datava de uns 150 anos. Aí, para horror de muita gente, os legisladores disseram algo como “anti-blasfêmia é o cacete” e revogaram-na.

Segundo um dos legisladores, o deputado Bruno Jerup, “A religião não deve ditar o que é permitido e o que é proibido dizer publicamente”. Essa lei era tão idiota e obsoleta que foi aplicada apenas poucas vezes no século passado.

Continuar lendo “Dinamarca passa a borracha em lei anti-blasfêmia”

Cristãos chatos têm ataque de pelanca e acusam ator de blasfêmia

No longínquo ano de 2009, eu tinha noticiado que a Irlanda estava votando uma regulamentação da lei anti-blasfêmia, que está em vigor desde 1937. Votaram e pulicaram a lei, mas, como no Brasil, a Irlanda tem aquele negócio de “lei que não pega”.

Claro que cairia, afinal, ninguém seria louco para denunciar alguém por blasfêmia, certo? O Stephen Fry discorda.

Continuar lendo “Cristãos chatos têm ataque de pelanca e acusam ator de blasfêmia”

Brasileiro Honesto: Blasfêmia é crime pior que corrupção, mas espancar pessoas é OK

Eu ainda sustento que brasileiro odeia ciência, abomina conhecimento, tem um pézinho em uma ditadura e seria capaz de denunciar qualquer vizinho a um sistema autocrático se isso lhe desse vantagens (exemplo de vantagem: se livrar do vizinho com o qual não foi com a cara, mesmo sem motivo).

Pesquisa indica que brasileiro não vê nada demais com relação à corrupção, mas defende penas severas para com blasfêmias. Afinal, teocracia está logo ali, na esquina.

Continuar lendo “Brasileiro Honesto: Blasfêmia é crime pior que corrupção, mas espancar pessoas é OK”

Rio de Janeiro vota lei anti-blasfêmia

Há uma coisa básica a saber sobre o Rio de Janeiro. Rio de Janeiro é a Rússia Brasileira. Ponto. Aqui, a tosqueira não tem limites, mas se piorar um pouquinho vira o Japão. A saber, São Paulo é Mordor, o Amazonas é a Austrália e Curitiba é Detroit do Robocop. Fim do desvio de assunto (por enquanto).

Um deputado estadual entrou com projeto-de-lei propondo punição para qualquer um que faça piadinhas contra a religião. Tipo, aquela de "Jesus e Pedro entram num bar de strip tease (…)" não pode. "Você sabe o que o papagaio falou para Moisés?" também não pode. A pena será uma multa seria de R$ 270 mil para quem ridicularizasse qualquer aspecto religioso. Mas a sensatez venceu… pelo menos, por enquanto.

Continuar lendo “Rio de Janeiro vota lei anti-blasfêmia”

Irlandeses querem instituir Lei contra a Blasfêmia

Alguém se perdeu no fuso horário. Adiantaram o início do fim-de-semana, já que apareceu mais uma notícia insana. De repente, é por causa do feriado, ou então é porque a loucura no mundo anda desmedidamente à solta. Na minha querida Irlanda, veio uma notícia pra lá de tosca: Estão para aprovar uma lei anti-blasfêmia.

Não, você não leu errado! Qualquer um lá que blasfeme, pode ser punido judicialmente. Então, se você disser “Porra, Deus, tá foda!” , vai em cana. Lindo, não é?

De acordo com o jornal irlandês Irish Time, o novo crime anti-blasfêmia (dá vontade de rir, só pelo nome), deve ser proposto pelo ministro da Justiça de uma alteração ao Defamation Bill, a lei anti-difamação (obrigado, Carol). Continuar lendo “Irlandeses querem instituir Lei contra a Blasfêmia”