Possíveis evidências alienígenas na Europa

Vaticano inaugura primeiro parque temático católico
Açougueiros podem ganhar prisão perpétua por causa de um bife, na Índia

Há muita notícia falsa aí. Isso é uma pouca vergonha, com gente inventando bobagens que não existem para ganhar hits, clicks e compartilhamentos. Qualquer um que invente essas besteiras deveria entrar na porrada. É toda hora aparecendo gente que filmou discos voadores, com a qualidade digna de ter sido filmado com uma batata. Ou o pessoal que filmou o ET Bilu.

O pior que, sim (por incrível que pareça), existem pesquisas sérias sobre Astrobiologia e estudos sobre objetos que aparecem pela atmosfera e VOSH, desaparecem. Bem diferente daqueles charutões voadores, feitos com After Effects comprado em camelô.

A drª Trilena Telesar é pesquisadora do Instituto de Pesquisa Translacional de Geocronologia Rítmica da Pontífice Universidade Católica do Irã. Ela estuda civilizações antigas e mitos correlacionados de diferentes sociedades, catalogando o máximo que encontra e cruzando informações num imenso banco de dados.

Informações que ela encontrou numa biblioteca (e seu orientador tinha dito que o verdadeiro trabalho de um arqueólogo é dentro das bibliotecas) do distrito de Macchu Picchu, a 30 quilômetros de Teerã, era de algum povo do leste europeu que data de 7500 AEC. Este fragmento de informação era um antigo cântico que mencionava um povo com ossos no interior da caixa craniana, que era bem avantajada, bem dentro do cérebro.

Ela recorreu ao software de reconhecimento de padrões da equipe do dr. Nathaniel Essex, do Departamento de Computação Dildônica do CERN. Os padrões apontaram que o local deveria ser entre a latitude 41°16′ Norte e longitude 69° 13′ Leste. Daí, a drª Telesar ralou peito pra lá com seu xador esvoaçante.

Depois de cavoucar o terreno por um par de anos, Trilena encontrou ossadas fossilizadas inclusas em rochas sedimentares. Exames de raios-X mostrou algo diferente, que com toda certeza não é humano.

O exame de DNA mostrou coisas estranhas. O DNA não parece humano, não parece hominídeo. Não se parece com nada do que estamos acostumados. Mas o que deixou mesmo estupefatos Trilena e seu pessoal foram algo semelhante a cápsulas, que serviam para fins religiosos, acredita-se. Lendas locais, entretanto, dizem que o portador dessas cápsulas seria capaz de aumentar muito de tamanho. Obviamente, mito, claro.


Cápsulas alfa, beta e gama.

Ou será que não?

O bizarro é que tudo parece encaixar com escrituras antigas dos sumérios australianos, que tinham passagens sobre seres vindos dos céus. Mito? Coincidência? Não se sabe. Ainda há muito para se estudar.

A pesquisa será publicada em breve no periódico HalfHour

Vaticano inaugura primeiro parque temático católico
Açougueiros podem ganhar prisão perpétua por causa de um bife, na Índia

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • cegazza

    1 de abril

  • Narciso

    Sempre busquem o conhecimento.

  • cloverfield

    Halfhour é uma das publicações mais respeitadas do mundo.

    Slade respondeu:

    Com certeza, utilizei as edições do Halfhour aqui do rio como principal fonte de meu TCC. Periódico conceituadíssimo!

  • Lendo o título:
    Krlh, descobriram evidências de aliens, vou ler!
    Vendo que não há links para a página do pesquisador:
    Hein?! Ok, vai ver ele esqueceu..
    Pesquisando as coordenadas lat. e long.:
    WFT???
    Conferindo a data do artigo:
    Hmmm…
    https://uploads.disquscdn.com/images/315ecedf8e7d0f39e1c55711ca47fc1fc6dfa2ddb8dd5881f278efbfa9a93cd2.jpg

  • Marcello Gangrel

    A Drª Trilena Telesar é uma grande pesquisadora. Acompanho seu trabalho desde que ela embarcou no Yamato pela primeira vez…

    Pryderi respondeu:

    Aqui temos um velho. 😉

    Marcello Gangrel respondeu:

    Acho que são dois… 😉