Ruas de Bangladesh viram rios de sangue por causa de sacrifício islâmico

Dhaka é a maior cidade de Blangladesh, sendo, não por acaso, a capital do país que você sequer sabe localizar num mapa. Também é a maior cidade da Ásia Meridional e entre os países da Organização para a Cooperação Islâmica. Ontem, as ruas de Dhaka amanheceram inundadas por causa de fortes chuvas, mas isso por si só não é tão ruim assim, já que eles meio que estão acostumados. O problema é que foi uma chuva que acarretou uma enchente e uma enchente de sangue.

Não, não é roteiro de filme de terror nem kibe de Êxodo cap. 7. É mais uma mostra de como religião é uma coisa linda e pura, que só faz melhorar a vida da gente.

Na terça-feira (13/09) foi celebrada a Eid-al-Adah, também conhecida como “Dia do Sacrifício”. É uma festividade muçulmana que tem lugar depois do hajj, isto é, a peregrinação obrigatória à Meca, que todo muçulmano deve fazer pelo menos uma vez na vida.

A Eid-Al-Adah é comemorada por todos os muçulmanos em memória quando Ibrahim é instado por Allah, a sacrificar seu filho Ismael, sendo que, no último segundo, Gabriel, o Arcanjo Fofoqueiro, aparece e manda Ibrahim parar com aquela idiotice. Ibrahim, então, sacrifica um cordeiro.

PERAÍ! Eu conheço essa história! Não era Abraão?

Sim, era; está em Gênesis cap. 22. Ibrahim e Abraão são a mesma pessoa e Ismael no Gênesis é chamado Isaac; por isso o Islamismo e o Judaísmo são chamadas “religiões abraâmicas”. Cristianismo apenas chupou essa parte do Judaísmo, então, sim, até pode ser considerada uma religião abraâmica, também, mas sabemos qe é por outros motivos. Se bem que o Islã chupou o Judaísmo e o Cristinismo também (Jesus é mencionado 19 vezes no Alcorão, como um profeta de Allah, nada daquele filho especial, mas muito amado).

Os muçulmanos sacrificam um ou mais animais e no caso do Brasil, que tem penas contra maus tratos, normalmente celebram com donativos em dinheiro ou fazem com peixe, mesmo, como os Judeus, como eu relatei e chamei o caso de Macumba Judaica.

O problema é que Bangladesh é de maioria muçulmana e eles não têm o menor melindre em sacrificar animais em massa. Nisso deu que o grau de mortandade de animais foi tão alto, mas tão alto, mas tão alto, que as ruas ficaram tomadas de sangue. Na primeira chuva, a água lavou, mas não limpou, tudo e aquela porqueira de cidade, que nem sistema de drenagem pluvial tem direito, se tornou um mar de sangue. Veja que nojo:

Isso é uma amostra de como uma religião de paz e amor evolui para nos mostrar nossa posição na Natureza. Uma religião que leva em conta avanços sociais, filosofia, ética e…, EI, PÉRA AÍ! TE UMA DONA DE SHORT. PEGA! METE A PORRADA NELA!!!

Cahan… onde eu estava? Ah, sim!

Dezenas de milhares de animais foram passados na faca e seus sangues inundaram tudo. E a troco de que? Allah precisa ver sangue no chão para ele saber onde é essa merda de lugar, pois o Google Maps Celestial não foi atualizado desde 600 EC?

Que tal você caminhar por ali?

Se você pensa que a vidinha naquela pocilga mudou, está muito enganado. As pessoas continuam indo nas mesquitas e continuam com os sacrifícios. Informações governamentais apontam que o alagamento tem sido um problema por um longo tempo e que o equivalente à COMLURB de lá está trabalhando para resolver o problema, desculpe o transtorno, nossa equipe está focada blábláblá. A população está criticando a demora na limpeza. A mesma população que foi responsável por aquela nojeira e tudo continua na santa paz de Mohammed.

Agora, é só esperar algo mais devastador que essa tragicomédia: as mãos da Seleção Natural agindo naquela maravilha de meio de cultura.


Fonte: Russia Today

6 comentários em “Ruas de Bangladesh viram rios de sangue por causa de sacrifício islâmico

  1. Espalhar sangue pelas ruas parece um grito inconsciente de ”por favor que se disseminem doenças aqui”.

  2. Um dos muitos exemplos do que religião pode oferecer,ou seja,insanidade.
    Estes religiosos explicitamente mostram que assim como Abraão,estão preparados para sacrificar a si mesmos ou até mesmo os outros(sendo as vezes ao mesmo tempo os dois,se é que você me entende) em demonstração a amor ao seu deus.
    O que acaba por ser preocupante pois não afetam somente a suas vidas ridículas e de pouca significância,mas também a das outras pessoas.
    Espero que se atraia doenças para este lugar,pois realmente estão pedindo para sofrerem.

  3. O festival que ocorria(?) a cada cinco anos em honra a deusa Gadhimai no Nepal também era famoso. Para variar, os sacrifícios a deusa deveriam afastar o mal e trazer prosperidade. Ainda, de acordo com a wiki, “The festival started in the first week of November 2009 and ended in the first week of December (up to makar sankranti), the fair has a custom of animal sacrifice that occurred on November 24 & 25 in the year 2009, with the temple’s head priest performing ritual sacrifice called Saptabali which includes the sacrifice of white mice, pigeons, roosters, ducks, swine and male water buffaloes. More than 20,000 buffaloes were sacrificed on the first day. It is estimated that 250,000 animals were sacrificed during the Gadhimai festival of 2009″(https://en.wikipedia.org/wiki/Gadhimai_festival)
    Ainda que não haja rios de sangue, e não se trate do grande Boku, dá pra ver que a coisa é tosca, especialmente a competição para ver qual dos carniceiros tem a melhor faca e mais habilidade para cortar a cabeça dos animais com um só golpe.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s