Luz azul pode ser responsável por ataques de transtornos bipolar

Em março eu publiquei uma notícia em que o dr. Stevens, pesquisador da Universidade de Connecticutt, estava estudando os efeitos da iluminação artificial sobre a saúde humana. Basicamente, dispositivos que emitem muita luz azul, quando usados à noite, acabam por suprimir o hormônio melatonina, responsável pela indução do sono, além de perturbar o ritmo circadiano do corpo. Você achou isso ruim? Que ótimo, pois piora.

Uma recente pesquisa mostra que podemos alterar os efeitos da luz azul sobre nosso sistema circadiano usando apenas um… óculos alaranjado. Isso não é idiotice?

Até seria, mas temos muitas coisas envolvidas. Sabemos que nossa retina tem fotorreceptores sensíveis à cor azul (ao vermelho e verde, também. Entenderam o RGB?). Esses fotorreceptores mandam sinais para o cérebro de forma que ele regule se está de dia ou de noite. Mas também não é só isso, como mostra a pesquisa da drª Tone Henriksen, pesquisadora do Departamento de Clínica Médica da Universidade de Bergen, na Noruega.

A drª Henriksen é médica, cientista e até agora eu não sei se convém vê-la irritada. Melhor não abusar, mas você pode acompanhá-la pelo Twitter. De qualquer forma, sua pesquisa mostra que a zueira com o ciclo circadiano pode acarretar em ataques em pacientes com que sofrem de transtorno bipolar. Não o bipolar dos idiotas que assim se definem nas redes sociais. Estamos falando de bipolares MESMO!

A drª Henriksen conduziu um estudo randomizado, controlado por placebo, duplo-cego etc, como sugere a boa ciência, com os pacientes que sofrem de transtornos bipolar, na faixa etária entre 18 e 70 anos). Para conduzir o teste, os pacientes ganharam óculos, por meio de sorteio, em que alguns receberam óculos com lentes de vidro normal, enquanto outros ganharam óculos que filtravam a cor azul. O teste foi executado entre as 6 e 8 horas da manhã, por 7 dias seguidos, em que seguiam com seu tratamento convencional. Os sintomas foram avaliados diariamente pelo Young Mania Rating Scale (YMRS). A atividade motora foi avaliada por actigrafia, um método não invasivo de monitoramento do ciclo atividade-repouso. Os dados coletados foram tabulados e analisados.

O uso dos óculos com filtros tiveram resultados positivos, com menores ocorrências dos surtos maníacos de forma significativa. Os óculos alaranjados deram um balão no cérebro, enganando o coitado e induzindo-o a “pensar” que estava tudo no modo “escuridão”. Sem cor azul, sem episódios, reiterando a eficácia dos óculos com filtros em pacientes internados com transtorno bipolar em um estado maníaco.

Muitos hospitais estão mudando suas decorações, o que é mais por uma questão de saúde de seus pacientes do que estético, como é o caso do Warrington and Halton hospitals.

A pesquisa foi publicada no periódico Bipolar Disorders, mas como me falaram mais cedo. Nem todo mundo precisa se interessar sobre Ciência. Alguns são felizes sendo motoristas de ônibus. Só espero que estes motoristas não sejam bipolares e nem sejam iluminados por um farol com luz azulada.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s