O crime perfeito na ponta de uma agulha

O corpo lívido, sem vida, estava submerso na água serena numa casa às escuras e só a luz trêmula do banheiro banhava de uma luz amarelada o que ocorrera. Seu corpo nu e belo, alvo mesmo quando era viva, não veria a luz do sol novamente, mas em contrapartida não indicava sinais de violência. Uma morte em paz, sem dor ou desespero… ou assim parecia. Sapatos engraxados adentraram o banheiro, sujando-o. Outra pessoa, com o pijama encharcado, mostrara a cena. O homem do sapato engraxado parou em frente à cena; sim, ela está morta, senhor. Outros sapatos chegaram, analisaram criticamente o que estavam vendo. Não havia sinais de crime, mas algo não parecia certo perante aquela visão que poderia ser vista como uma foto artística, mas era um acontecimento bizarro por causa dos detalhes que pareciam não se encaixar.

Eram 23 horas e 30 minutos do que parecia ser uma noite calma do dia 3 de maio do ano de nosso Senhor de 1957. Elizabeth Barlow então desprovida da luz de seus olhos, jazia morta em Bradford, Yorkshire, no Reino Unido. E ninguém sabia como… ou por quê. Se era um crime, era um crime perfeito. Continuar lendo “O crime perfeito na ponta de uma agulha”

Pesquisadores desenvolvem sensor de lítio feito de papel

O lítio é um metal alcalino. De início, podia ser apenas um metal, mas em 1949, o médico australiano John Cade comprovou sua eficácia como tratamento psiquiátrico em pacientes, tendo sido introduzido definitivamente como tratamento em 1978 pelo psiquiatra dinamarquês Mogens Schou. Este elemento é utilizado como medicamento de escolha para o tratamento dos transtornos de humor bipolar, sendo bem eficaz em reduzir as crises maníacas e depressivas do transtorno do humor bipolar, além de exercer efeito anti-suicida.

Sendo assim, seria interessante o monitoramento da concentração de íons Li+, certo? Muito bem, foi exatamente o que pesquisadores da Universidade Hokaido desenvolveram: um sensor de papel que pode medir os níveis de lítio em uma gota de sangue.

Continuar lendo “Pesquisadores desenvolvem sensor de lítio feito de papel”

Pesquisa estuda eficácia das concentrações de álcool para combater o coronavirus, este miserável

O nosso amigo SARS-CoV-2, causador da síndrome respiratória aguda grave, mais conhecido como corona vírus 2, mas carinhosamente chamado de Coronga ainda apronta das suas, fazendo seu trabalhinho sujo de mandar todo mundo pra vala evolutiva. A infecção por este miserável está tocando o terror, com alta taxa de mortalidade e velocidade de infecção alarmante.

Isso você já sabe. Coloquei só para ajudar na busca no Google e encher linguiça (pelo menos, sou honesto). O assunto deste artigo é que segundo uma pesquisa divulgada pela OMS, você que só encontrou álcool-gel 47% pode ficar tranquilo. Ele é suficiente para mandar o coronga para a vala. Mas calma aê!

Continuar lendo “Pesquisa estuda eficácia das concentrações de álcool para combater o coronavirus, este miserável”

Pesquisadores encontram biomarcador que indica propensão à obesidade em crianças

A cada dia que passa, cresce o número de crianças obesas. Um dos motivos é o sedentarismo e alimentação porca que pais preguiçosos oferecem a essas crianças. Isso seria simples, mas não é apenas isso, já que algumas crianças são sedentárias, comem porcaria mas não são tão obesas. Como reconhecer a predisposição delas a virarem lindas chupetinhas de baleia?

Uma pesquisa identificou um marcador molecular na saliva de algumas crianças que está associado ao surgimento de obesidade infantil em um grupo de crianças hispânicas em idade pré-escolar.

Continuar lendo “Pesquisadores encontram biomarcador que indica propensão à obesidade em crianças”

Seres Perfeitos desvendam os segredos proteicos da influenza B

Para princípio de conversa, quando você fala “eu esbou bripado”, não, amiguinho. Muito provavelmente você estará com um resfriado, é outro tipo de doença. As Influenzas, sim, são gripes, e os sintomas, apesar de parecidos, não têm nada a ver com resfriados. Claro, a Natureza está a fim te sacanear, logo, não existe um tipo apenas de gripe, mas três: A, B e C. No caso da Influenza B, também chamada de “Gripe B”, e é causada pelo vírus influenza do tipo B (duh!), os principais sintomas são febre alta (sim, acima de 38°C), dores musculares, dor na garganta, dor de cabeça, tosse, fraqueza de um modo geral, coriza (quando seu narigão fica escorrendo como uma cachoeira), congestão nasal, náuseas, vômitos e diarreia. Quer coisa mais fofa? E você já deve estar sentindo os sintomas. Bem, procure um médico e não, não adianta chá de limão. O ideal mesmo é você se vacinar nas campanhas anuais de vacinação. Vai por mim, você não quer pegar esta bagaça!

Será que na face da Terra haveria heróis capazes de investigar o Influenza B, entender como ele é nas profundezas de suas moléculas e descobrir como dar cabo deste ser maléfico? Haveria esses tipos de entidades perfeitas capazes disso? Haveria? Haveria?
Continuar lendo “Seres Perfeitos desvendam os segredos proteicos da influenza B”

Pesquisa mostra que soja causa probleminhas no cérebro. Isso explica seu amigo vegan

Não há natureba que se preze que não enalteça as maravilhas da soja. Soja é excelente e, assim como o grafeno, serve pra tudo. Soja é uma maravilha culinária que substitui a carne, aquela coisa odiosa pros vegans, que criam múltiplas receitas usando soja para criar comida que se pareça com carne, pois, comida vegan é tão horrível que nem vegan gosta.

Obviamente, aqui é Ceticismo.net e se você é leitor assíduo já está esperando pela revoiravolta. Bem, aqui vai ela: uma nova pesquisa mostra que o óleo de soja não apenas leva à obesidade e ao diabetes, mas também pode afetar condições neurológicas como autismo, doença de Alzheimer, ansiedade e depressão.

Sim, você está rindo que eu sei. Ou está espumando de raiva, já correndo para me dizer que quem come carne vai morrer de diabetes e obesidade.

Continuar lendo “Pesquisa mostra que soja causa probleminhas no cérebro. Isso explica seu amigo vegan”

Pesquisa demonstra ligação do uso de maconha com casos de câncer. Thank you, Darwin!

A todo momento, imprensa corre para noticiar novas maravilhas dos “medicamentos à base de maconha”, que não necessariamente é da Canabis sativa, e sim outras espécies, daquelas sem altas concentrações de tetrahidrocanabinol, também conhecido como THC (a molécula que deixa doidão), de preferência focando em substâncias específicas, como as do grupo canabdiol. Não, fumar o jererê não lhe fará mais saudável, e agora vem aquela pesquisa que vão esbravejar dizendo que é financiada pela Big Pharma (a Big Pharma que pesquisa os canabdióis, tão amados pelo pessoal que odeia a Big Pharma).

Uma recente pesquisa identificou o mecanismo molecular ativado pela presença de THC na corrente sanguínea que acelera o crescimento do câncer e HPV.

Continuar lendo “Pesquisa demonstra ligação do uso de maconha com casos de câncer. Thank you, Darwin!”

Nova bandagem promete deixar seu feridão em paz quando for removida

Quem já se machucou, tendo que colocar bandagem ou apenas um esparadrapo com algodão sabe o que é o terror na hora de tirar o curativo, encharcando tudo de soro fisiológico ou rezando para alguma enfermeira sádica, com pagamento atrasado, indo remover de uma vez, jurando de pés juntos que de uma vez não dói. Isso é verdade até a hora do WRAAAAAAAAAAP e você é capaz de ver Jesus dançando rumba com Satanás de tanta dor que está sentindo.

Depois de ter choramingado, e ainda sentindo dores do arranque do curativo, você clama para os Céus para que alguém arrume uma maneira da droga do curativo não ficar grudado no seu ferimento. A quem rezar? Claro, se você tem um problema, se ninguém mais puder ajuda-lo e se conseguir encontra-lo, você poderá contratar um engenheiro.

Continuar lendo “Nova bandagem promete deixar seu feridão em paz quando for removida”

Micro-organismos comem microplásticos e produzem ácidos graxos. Onde está a sua Greta, agora?

Num esquete do George Carlin, ele argumenta que o planeta gosta de plásticos como uma de suas criações, seus bebês. Não apenas isso, plásticos responderiam a um grande questionamento filosófico:

– Por que estamos aqui?

Nossa brutal arrogância acha que estamos destruindo o planeta, sendo que o planeta está muito bem, obrigado. Nós que estamos ferrados, mas estamos de certa forma, dando uma mãozinha devolvendo à Mãe Natureza microplásticos. Acha que não? Bem, então diga isso aos pesquisadores que rastrearam o carbono oriundo de plásticos e descobriram que ele foi utilizado para a formação de ácidos graxos benéficos, ômega-3 e ômega-6 por micróbios originários dos lagos húmicos. In your face, Greta!

Continuar lendo “Micro-organismos comem microplásticos e produzem ácidos graxos. Onde está a sua Greta, agora?”

Pesquisadores criam detector de vírus portátil (ou quase)

Para mim, uma das coisas mais fascinantemente ficcionais eram os tricorders médicos. Tipo. O dr. MacCoy passava o saleiro (sim, aquilo era um saleiro que a produção achou bem futurista para ser usado como algum dispositivo do século XXIII) e o tricorder lia o que a pessoa tinha. A não ser se estivesse usando roupa vermelha. Neste caso, já partia pro “He is dead, Jim”, a fim de economizar tempo de filmagem.

Mas já pensou se tivéssemos um treco para ajudar médicos a não só mandar um “é virose, como já dizer qual vírus sem-vergonha está por detrás a infecção? Bem, é isso o que estão desenvolvendo. Sim, usa nanotubos. Nanotubos é a moda agora. Senta e aceite!

Continuar lendo “Pesquisadores criam detector de vírus portátil (ou quase)”