Arquidiocese de São Paulo ajuda a resolver com a falta d’água: Vamos rezar!

Existem muitos mitos sobre a cidade de São Paulo. Uma delas é sua excelente culinária, sendo que os caras não sabem nem que que não se coloca purê em cachorro quente e ainda chamam biscoito de "tapa na cara". Chegaram a me falar das incríveis pizzas paulistanas, mas quando estive lá comi algo bem ruinzinho. Melhor pizza que eu comi foi em Paraty. Ponto! Aceitem o fato que as pessoas apenas são doutrinadas a achar que determinado mito é verdade universal, e acabam espalhando isso, como "São Paulo é terra de trabalhador", mas a realidade é a quantidade de manifestações no meio de dia de semana. Eu, como trabalho, não tenho tempo para manifestações.

São Paulo já não é lá muito normal (o pessoal pega uma carta e vai pra rua. Depois reclamam que tem acidentes! daqui a pouco, imprimem e-mails), e quando junta religião, ferrou! A pessoal de vestido, digo, a Arquidicocese está organizando uma procissão para pedir chuva na cidade, e assim acabar com a falta d’água. Ou seja, mais uma manifestação!

Os seguidores de Jesus, Nosso Senhor – aquele que disse que quem ficar em pé entoando cânticos e rezando orações repetitivas era hipócrita – vão sair em procissão pelas ruas do centro da cidade paulistana no dia 22 de março, quando se comemora o Dia Mundial da Água. Eles irão pedir ao poderoso Senhor dos Exércitos “a bênção de chuvas generosas” , por causa da “gravidade da atual crise hídrica”. Informações do Estadão.

A procissão sairá às 15 horas da Igreja da Consolação, na Rua da Consolação, na direção da Praça da Sé, passando pelo Viaduto do Chá e pelo Largo de São Francisco. Um grupo de motociclistas deve escoltar a imagem da padroeira da cidade, Nossa Senhora da Penha, da Igreja de São Luís, na Avenida Paulista, até a concentração na Igreja da Consolação. Dali, a imagem, seguiria em um caminhão do Corpo de Bombeiros até a Catedral da Sé. O evento, que terá início às 15 horas, deverá ser encerrado com uma missa às 17 horas.

Observações.

  1. Parece que o pessoal não se entende com  esse negócio de padroeiros. Estadão disse que era Nossa Senhora da Penha, mas em 2008, disse que era Santa Ana, que cedeu lugar para São Paulo. O site Meu Santo (excelente fonte confiabilíssima) disse que é Nossa Senhora da Assunção. O site da prefeitura diz que é N. S. da Penha. Quando entrarem num acordo, me avisem, sim?
  2. Viram o destacamento para proteger uma estátua de gesso? Pensem nisso quando estiverem sendo assaltados ou precisarem de uma ambulância.

O cardeal-arcebispo, d. Odilo Pedro Scherer, recomenda que, no domingo anterior à manifestação, se faça uma intensa oração nas missas das paróquias e comunidades para pedir chuva. Mas isso é um problema teológico. Acompanhem o raciocínio.

No livro de Êxodo, Moisés, o maior corretor de imóveis que o mundo conheceu, carregou a hebreuzada pro deserto. O problema é que desertos são… desertos! E começou a celeuma!

Êxodo 17:1-2 – Depois toda a congregação dos filhos de Israel partiu do deserto de Sim pelas suas jornadas, segundo o mandamento do Senhor, e acampou em Refidim; não havia ali água para o povo beber. Então contendeu o povo com Moisés, e disse: Dá-nos água para beber. E Moisés lhes disse: Por que contendeis comigo? Por que tentais ao Senhor?

Porque está todo mundo passando sede, Moe. Isso não é legal! Mas Moisés falou sério, já que é pecado contradizer a Deus, e se todas as ~vertentes cristãs estão certas, não se pode duvidar do Poder de Deus, nem deixar de aceitar que tudo oque acontece no mundo é decisão dele. Sendo assim, um bando de desocupados, entediados porque não querem ver o Esquenta com a Regina Casé (quem pode censurá-los?) resolvem fazer um mimizaço, implorando para Jeová fazer chover. Mas isso não vai de encontro à decisão DELE de secar os reservatórios? Se Deus sabe o que faz, e pretende ensinar algo (humildade?), não é arrogância demais achar que desfilar com uma estátua de gesso (a Bíblia idolatria agora?)

Essa petulância de "ficarei rebolando com uma estátua pra lá e pra cá fará com que Deus, com poder de esmigalhar galáxias, coloque a mão o queixo e pense ‘poxa, bem que eu podia dar uma chuvinha pra esses jagunços’". Aí cai uma chuvinha "EEEEEEEEEEEE, sômo phoda bagaraim meu! Fizêmo Deus chover nessa bagaça. É nóis, mano-oooo!" pode ser lindo, mas a verdade é que não condiz como que o livro religioso deles prega, mas quem disse que religioso lê o próprio livro. Se ler, vira ateu.

Nisso, Jesus está lá em cima, só vendo essa zueira…

10 comentários em “Arquidiocese de São Paulo ajuda a resolver com a falta d’água: Vamos rezar!

  1. É gente rezando para que Deus faça chover, é herói usando água de descarga para tomar banho, é gente extremamente ocupada indo até o vão do Masp para fazer dancinha da chuva, é gente que cria máquina que gasta R$ 200,00 para gerar 1 metro cúbico de água (e sabe-se lá mais o que).

    Viva o estado de São Paulo, o estado com as pessoas mais cultas, inteligentes e ocupadas do Brasil (segundo os próprios paulistas).

    Enquanto isso, no Acre: http://blog-do-lucho.blogspot.com/2015/02/confirmado-o-acre-existem-sim-e-la-tem.html

  2. Minha mãe costuma ficar bastante contrariada e me repreender quando reclamo da chuva. Às vezes, quando está chovendo fraquinho, eu falo, só para provocar: “Êta, chuvinha besta!”. Ela logo diz para eu não falar isso. Ela, realmente, pensa que Deus pode ficar bravo, e então mandar uma chuvarada daquelas, pois não se deve questionar as coisas de Deus. Desconfio que uma quantidade enorme de pessoas pensa assim: há um deus pessoal que está controlando tudo e, além disso, se preocupa com o que eles fazem.

    Outro dia, me surpreendi ao ver que até a TV Cultura agora está transmitindo missa pela manhã, e também às 18:00 horas dos dias da semana!
    A coisa está assim: nos noticiários, na TV Cultura e até universidades (locais onde se supõe que somente coisas sérias sejam apresentadas) são celebradas missa e se dá destaque ao que o papa fala. E poucos tem coragem de contrariar estas pessoas, pois é chato contrariar pobres donas de casa. Então, não se pode esperar que as pessoas sejam mais céticas em relação à intervenção divina em problemas que sabemos que podem ser solucionados ou mitigados por meio da racionalidade.

    O perigo disso tudo é no caso de uma situação catastrófica, por exemplo, se acontecer de ficar uns quatro anos sem chuva.
    Numa situação dessas, poderíamos testemunhar linchamentos de blasfemadores que seriam considerados os responsáveis pelo castigo divino, por exemplo.

  3. Se a chuva que vier repor os milhares de litros de água que eles devem consumir durante a procisão, já é lucro.

  4. A real é que cachorro quente com purê é muito bom, e nós paulistanos lamentamos essa porcaria de paladar que você(s) têm. Sobre pizza não tem nem como falar, nunca comi pizza de outro lugar, mas não me surpreenderia se fosse mentira. Esse negócio de que paulista é povo trabalhador é bullshit, aqui o povo trabalha do mesmo tanto que em outros lugares.

    Cristão ficar contradizendo seu livro ou sua doutrina não é novidade, isso acontece todo dia e toda hora em algum lugar da nossa Huelandia e não gera nenhum problema mais grave pros outros, o problema é nessa parte aqui:

    “Um grupo de motociclistas deve escoltar a imagem da padroeira da cidade, Nossa Senhora da Penha, da Igreja de São Luís, na Avenida Paulista, até a concentração na Igreja da Consolação. Dali, a imagem, seguiria em um caminhão do Corpo de Bombeiros até a Catedral da Sé”.

    Tudo isso pra escoltar uma estátua. De gesso. Sério, quem vai se importa com uma estátua de uma santa semi-desconhecida? Tão com medo de quê? De que algum manifestante LGBT roube ela e a enfie onde o sol não bate? Puff.

  5. O interessante é que nos últimos dias estamos vendo notícias de chuvas e enchentes em São Paulo, e que os níveis das represas vêm subindo.
    Bela hora para fazer a passeata; porque não fizeram quando não havia expectativa de chuva?
    Muito oportunistas esses homens de saia.

  6. Nunca li tanta bobagem junta. Onde já se viu tratar com tamanha heresia e difamação o nosso tão amado cachorro-quente com purê, batata-palha, vinagrete, requeijão, ketchup e mostarda… Tá amarrado em nome de Rá, amordaçado em nome de Odin, algemado em nome de Gucumatz. Jeová é testemunha. Queimarás na frigideira de Alah. Chará Bacanta ira na machuca maga hebe pra dá xuribibaa…

  7. Ia responder a provocação do purê no cachorro quente com a do catchup na pizza, mas quando comi uma pizza carioca, entendi por que eles colocam catchup na pizza, só assim pra piza descer.

  8. Eu já não me lembro como é, mas será que para os crédulos religiosos é tão difícil, tão amedrontador começar a questionar certas coisas, a usar o senso crítico ? Obrigado, professor.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s