Engodo do Dia: Empresa diz que produz gasolina do ar

O problema da sociedade é dar voto de crédito a qualquer um, menos a cientistas de verdade. As pessoas querem soluções mágicas, e é isso que dão a elas, nem que seja com más intenções. A população, CLARO, compra isso. A mídia se lambe toda, pois isso gerará mais visitações, o que incrementará o número de acesso, que transformarão em dados e apresentarão em forma de gráficos aos seus anunciantes, gerando uma bela e gorda receita. É triste, mas a verdade tem que ser dita: jornal não ganha informando você. Ele não ganha nada fazendo você mais culto. Ele ganha com a publicidade e se o que a maioria das pessoas quer é ler tosqueira, tosqueira é o que será veiculado.

Agora, ressuscitaram uma "pesquisa" que se propõe a usar ar para, magicamente, convertê-lo em gasolina. GASOLINA! Obviamente, muita gente acredita. Acreditam até em Horóscopos, no Jucelino da Luz e em planos econômicos.

Como há muitos conceitos a serem ensinados, declaro este mais um capítulo do LIVRO DOS PORQUÊS!

De acordo com o pessoal do Tecmundo, que entende tanto de Química quanto eu entendo de neurocirurgia:

Uma empresa alemã chamada Sunfire GmbH anunciou sua mais nova criação: uma tecnologia chamada “Power to Liquid” que consegue transformar água e gás carbônico em gasolina sintética. Cada molécula do líquido (H2O) e do gás (CO2) passa por um procedimento em que os átomos de oxigênio são removidos de suas fórmulas. O que resta das duas cria a partícula básica para uma gasolina alternativa (-CH2-). (sic)

Tecmundo não sabe o que é uma cadeia carbônica de hidrocarbonetos, e nem sabe usar tag <sub>. E não, Tecmundo, não basta tirar o oxigênio da fórmula. Tem que tirar do COMPOSTO, queridos.

Esse procedimento requer bastante energia para ser iniciado e concluído, mas também gera muito calor. Esse calor pode ser aproveitado e transformado novamente em eletricidade, o que torna a sintetização da gasolina da Sunfire muito mais eficiente do que o refinamento do petróleo. A empresa comenta que a eficiência energética do combustível chega a 70% por conta desse reaproveitamento.

Como essa bagaça funciona? Basicamente, eles coletam o ar, separam o gás carbônico, através de filtração (não perguntem). Esse gás carbônico, doravante chamado CO2, vai para um reator, onde será dissociado em carbono e oxigênio. O oxigênio escapa para o ar sob a forma de gás. Em outro lado do processo, fontes alternativas de energia (eólica, solar ou nuclear) extraem hidrogênio da água. O carbono reage com o hidrogênio, produzindo gasolina, cujo componente principal é octano (C8H18).

Então, temos: Energia de dissociação de 1 mol de CO2 = 393,509 kJ/mol

Como precisaremos de 8 átomos de carbono, isso é multiplicado por 8, evidentemente, e o resultado é 3.148,072 kJ

Usando célula a combustível do tipo membrana eletrolítica polimérica, a temperatura de operação poderá ficar abaixo de 100ºC e, claro, além da eletricidade que você gastará, tem a energia que você empregará para manter o conjunto aquecido. Além, é claro, de gastar energia para coletar a água e o ar, mas vou ignorar essa parte. Mas de acordo com as informações do Sunfire GmbH, o processo de eletrólise de hidrogênio se dá em alta temperatura e pressão, assim como a reação entre o carbono e o hidrogênio (claro, pois quanto maior a pressão, maior será o rendimento).

A entalpia de formação do octano é de cerca de ?248.5 kJ/mol. O que significa que para produzir cada mol de octano a partir do CO2 gasta-se 2.899,572 kJ (ou aproximadamente 2,9 MJ/mol), com um calor de combustão inerente ao octano de 5,33 MJ/mol, não considerando a energia gasta na produção de hidrogênio, nem nas máquinas que bombearão, separarão e filtrarão os gases, nem as perdas. Perdas? Sim, em TODOS os processos, e eu calculo uma eficiência ótima de cerca de 70% (o que daria cerca de uma energia aproveitável de 3,73 MJ/mol).

O grande empecilho é a 2ª Lei da Termodinâmica! Nenhum processo é 100% eficiente, e aqui temos um somatório de ineficiências, que escalará em nível exponencial!

Ah, sim! E isso não é novidade alguma! Em 2005, a British Petroleum já pesquisava para transformar CO2 em álcool combustível.

Isso pode até ter um apelo ecológico, tirando gás carbônico do ar, mas não é uma boa ideia, pois seria preciso escolher áreas com maior concentração de CO2, para facilitar a coleta e diminuir os custos. Alega-se que isso diminuirá a quantidade de CO2, mas esquecem que durante a combustão, serão produzidos monóxido e dióxido de carbono. E ainda temos que voltar ao fato de como os sistemas serão aquecidos, e mais ainda que em muitos países irão usar usinas termelétricas de qualquer maneira.

Para finalizar, uma pergunta: com tanto dispositivo natureba de geração de energia elétrica, porque não produzir carros elétricos, logo? Algo como o Lamborghini Asterion LPI-910-4.

2 comentários em “Engodo do Dia: Empresa diz que produz gasolina do ar

  1. Juro que quando minha esposa falou sobre a matéria no G1 e fui dar uma olhada, quase não conti os risos, porém, ainda não sei se supera em termos de eficiência a ideia sensacional de produzir combustivel com whisky…

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s