Bula: um dos maiores inimigos de analfabetos científicos, mas não o único

Analfabetismo científico é um termo que se refere ao baixíssimo conhecimento de termos, expressões e significados científicos ou mesmo o entendimento do que e Ciência. Algo como o Diogo Mainardi, Reinaldo Azevedo e o Roger do extinto Ultraje a Rigor, criticando o Miguel Nicolelis, o cientista Kickboxer que não deixou pedra sobre pedra.

Em uma notícia saída na Folha, fiquei sabendo que muitos brasileiros têm sérios problemas de ler uma simples bula, por simplesmente não serem capazes de entender o que tem lá. Claro, isso esconde mais detalhes do que aparenta.

A reportagem aponta que quase dois terços dos brasileiros têm só "conhecimentos básicos ou ausentes sobre a ciência que envolve situações cotidianas, como ler rótulos nutricionais, estimar o consumo de energia de eletrodomésticos ou interpretar os dados das bulas".

Só tem um detalhe aí, Folha: NINGUÉM lê bula de remédio. Não leem nem o manual da TV. Minha vizinha pediu para dar uma olhada no som dela. Eu pedi para dar uma olhada no manual. Resposta dela: "Eu joguei fora. Para que eu iria querer aquilo?"

As pessoas não querem aprender ciência, não querem aprender o que tem nas bulas, mesmo porque, o que tem nas bulas não são pros pacientes e sim ensinar ao médico para que serve aquele remédio.

Ué, vocês não sabiam? Médico só sabe do remédio por causa dos propagandistas de laboratórios e, por isso, eles vivem receitando a mesma coisa em 90% dos casos similares. As pessoas? Elas não têm como saber de todos os detalhes daquele remédio. por exemplo, vamos citar o paracetamol.

Resfetamol funciona aliviando os sintomas da gripe e dos resfriados.
Porque este medicamento foi indicado?
Resfetamol foi indicado no tratamento de sintomas da gripe, rinites alérgicas e de resfriados, tais como:coriza (secreção nasal através de escorrimento), espirros, congestão nasal, febre, dores musculares e dor de cabeça.
Quando não devo usar este medicamento?
Resfetamol não deve ser usado por pacientes com hipersensibilidade ao paracetamol e aos demais componentes da fórmula.

Sim, a bula diz que o remédio deve ser usado para dor. E ainda coloca a FAQ "por que não usá-lo?". Er… quando você não estiver sentindo dor? Eu ia colocar o restante, mas só de copiar e colar já perdi a paciência. Porque alguém iria LER isso? O médico mandou, o cara toma. Fim da linha.

O Brasil, como eu costumo dizer, tem uma população que majoritariamente odeia ciência. Pena que não é o único país assim. 80% dos norte-americanos acreditam em anjos, e se formos examinar o percentual de gente que acha que Evolução é mentira, ficaremos estarrecidos. Ignorância cavalar é algo que, infelizmente, não é restrita aqui. As pessoas não têm uma boa gama de informações, e essas bulas não são feitas para instruir o público leigo, e colégios não foram feitos pra ler bula de remédio. Onde está o erro? É fácil dizer onde encontrar e difícil de sugerir como consertar.

Falta muito para mudar esse quadro? Na verdade, deve-se dizer que esse quadro não irá mudar, não importando se houver esforço (o que não haverá) ou não. É muito mais profundo. O desinteresse da população acaba repousando em 1) Confiança cega no médico; 2) Falta de querer saber das coisas; 3) Massificação da mídia em menosprezar trabalhos de cientistas e palpiteiros dando pitaco sobre algo que eles não entendem, mas insistem em querer palpitar assim mesmo.

Quando ainda houver reportagens vagabundas mostrando fenômenos inexistentes, com entrevistas que só abrangem o lado tosco da situação e não pesquisadores que serão contra aquela bobajada apresentando fatos (e com fatos pode-se provar qualquer coisa), o grau de informação da população média só tenderá a cair por puro efeito tostines.

  • As pessoas não querem saber porque não se interessam.
  • As emissoras não informam porque não terão audiência.
  • Sem programas, as pessoas não podem se informar.
  • Se não se informam, não fazem ideia do que aquilo seja e, claro, não se interessarão.

A ciência é maravilhosa, mas está restrita a poucas pessoas, pois a maioria pensa que a função do conhecimento é negar a fé, suas crendices, suas manias, suas superstições etc. A Ciência não se preocupa com isso, só apresenta o mundo real; e sabemos como o mundo real é chato, onde as coisas precisam fazer sentido. Melhor o doce mundo dos sonhos. Não custa nada e sempre podemos mudá-los de acordo com nossas vontades.

16 comentários em “Bula: um dos maiores inimigos de analfabetos científicos, mas não o único

  1. Pergunte a escalação do curintia para ver se a rapaziada não sabe de cor e salteado, isso é conhecimento, isso é cultura. :mrgreen:

  2. Pergunte para qualquer brasileiro o que é glúten e a resposta na maioria das vezes será : “Glúten é o culpado por a gente engordar,né?”Ai,o sujeito se empaturra de macarrão sem glúten,achando que não está ingerindo nenhuma caloria.Santa ignorância,Batman!

  3. E o pior é que: ” Segundo o levantamento, o nível de escolaridade maior não necessariamente significa intimidade com ciência.” Continuando: ” O ensino médio não fez tanta diferença”. A noticia só ratifica uma coisa noticiada tantas vezes aqui: As pessoas estão na escola sem saber nada, sendo essa ignorância transferida para os cursos superiores. Lamentável. :sad:

  4. Porra André, o público não consegue nem interpretar Sitio do Pica Pau Amarelo e você cobrando sabedoria em bulas de remédio? Aliás, nem eu entendo o que os caras, às vezes querem dizer.

      1. @André,

        Ah, então existe um motivo pra ele agir de maneira imbecil…

        Ele perdeu a oportunidade de corrigir didaticamente quem está errado, mas responder daquela forma que chega a ser caricata só reforça as críticas a ele. Aliás, ele por usar dinheiro público tem obrigação, pelo menos moral, de esclarecer e não de agir dessa forma. No fundo, quem criticou ele é dono do dinheiro. Se fosse uma empresa privada aí é problema unicamente dele.

        Mas cada um tem o Neil Tyson que merece.

        E veja, não estou duvidando da capacidade de pesquisa e da integridade da equipe do Nicolelis, mas por ser dinheiro público ele deve ser mais cuidadoso com o que diz.

        1. Ah, então existe um motivo pra ele agir de maneira imbecil…

          É que nem eu. Quando eu dou uma patada, todo mundo me critica, mas não param para ver o quanto aturei do retardado.

          Ele perdeu a oportunidade de corrigir didaticamente quem está errado, mas responder daquela forma que chega a ser caricata só reforça as críticas a ele.

          E alguém como Reinaldo Azevedo está disposto a aprender algo? Iria colocar retificação na página dele? E o imbecil do Roger? Você nunca tentou explicar nada para gente idiota. Acertei?

          Aliás, ele por usar dinheiro público tem obrigação, pelo menos moral, de esclarecer e não de agir dessa forma.

          Não, ele não tem obrigação de aturar imbecis. O trabalho dele ele faz: divulga tudo o uqe faz.

          No fundo, quem criticou ele é dono do dinheiro.

          Não, não é. Quem criticou são um bando de retardados que não entendem porra nenhuma de ciência. Divida 30 milhões pela população do Brasil e dá 30 centavos. Quem contribui com 30 centavos não tem direito de acusar nuinguém sem provas. Nicolelis ainda é muito cmarada de não processar por calúnia e difamação.

          Se fosse uma empresa privada aí é problema unicamente dele.

          Pronto, mais um imbecil no mundo. Bem, eu também contribuí com a pesquisa e quero que ele continue agindo do jeito que faz. E aí, lindão? Você deve ser daqueles débeis mentais que só porque paga por um produto na loja se sente no direito de xingar o vendedor.

          Mas cada um tem o Neil Tyson que merece.

          Neil já cansou de dar patada nos idiotas. Você que não sabe. Aliás, vc ja demonstrou não saber nada do que acontece.

          E veja, não estou duvidando da capacidade de pesquisa e da integridade da equipe do Nicolelis, mas por ser dinheiro público ele deve ser mais cuidadoso com o que diz.

          O twitter é DELE. Ele escreve o que quiser. Se não querem resposta, não o ataquem da forma imbecil, como dizer que ele não tem publicações científicas indexadas. Isso é calúnia.

          1. @André, Eu não vou ao twitter dele para avacaliar, mas acho que seus resultados ficaram bem aquém do seu marketing. Medir padrões de resposta neural e fazer algo “se mexer” está bastante distante de um paraplégico andar, ainda mais sabendo que ele o fez na abertura por “controle remoto”.
            Sem polêmicas ou troca de ofensas, vamos anotar na agenda e daqui há 10 anos vamos ver o que ele conseguiu.

    1. @Fernando Lorenzon, vamos todos elogiar as críticas e os críticos da ciência, da mais ibope e não precisa pensar tanto. Não precisa pensar….não precisa pensar…não precisa pensar. Melhor que a ciência só os críticos dela, né Sr Fernando?

  5. “Pronto, mais um imbecil no mundo. Bem, eu também contribuí com a pesquisa e quero que ele continue agindo do jeito que faz. E aí, lindão?”

    Um imbecil que lê e acompanha seu blog há muitos anos.

    “Você deve ser daqueles débeis mentais que só porque paga por um produto na loja se sente no direito de xingar o vendedor.”

    Desde quando falei em xingar? Crítica é xingamento? Tá maluco?

    1. @Fernando Lorenzon,

      Aliás, me mostre um xingamento no quadrinho que você linkou. Pois era dele que eu estava me referindo. Se alguém por aí xingou o Nicolelis em outros textos, paciência, não estou me referindo a eles, e sim aos citados na montagem das respostas ali da figurinha.

      Só para constar, os únicos xingamentos deste post todo são os seus direcionados a mim.

  6. “O médico mandou, o cara toma. Fim da linha.”
    – Essa é a pior parte do seu texto, pois é a cruel realidade. E a realidade não está nem aí com nada.
    Por isso que eu tô praticamente desistindo de cursar enfermagem e continuar como garçom, não tem lá muita diferença de salário na região onde moro.
    Afinal, enfermeiro estuda 4 a 5 anos (dependendo da faculdade) para obedecer ordem de médico nesse buraco que chamam de país. Não, não é deboche. É a realidade que eu aceito.
    Enquanto isso, vamos continuar derretendo nossos figados com 1 grama (1000mg) de paracetamol, enquanto o FDA limitou a pouco mais de 300mg por comprimido [1]
    Se bem que os EUA não são exemplo de qualidade de saúde, afinal, dipirona lá tem restrição veterinária e um motherfucking CAVALO só pode tomar 2g (2000mg) de dipirona por dia, enquanto aqui no Brasil pessoal coloca doses cavalares (não foi intencional) no suco, refrigerante, caixa d’água etc. [2]
    [1] https://www.fda.gov/drugs/drug-safety-and-availability/fda-drug-safety-communication-prescription-acetaminophen-products-be-limited-325-mg-dosage-unit
    [2] https://zimeta.com/

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s