Vereadora de Curitiba diz que Bíblia e científica e deve ser ensinada em colégios

Eu, particularmente, sempre achei que Curitiba, terra dos coxas brancas, era uma espécie de mitocôndria: está no Brasil apenas por estar, por alguma obra e graça da Evolução Biológica, tendo seu próprio DNA. Dá até vergonha imaginar uma comparação com o Rio de Janeiro, cidade onde o prefeitosco inaugura passarelas sem que elas estejam prontas para copa, tiram os semáforos da rua e vagabundo que se dane ao atravessar as pistas, que nem no jogo do Frogger.

Então, meus espiões me avisam que uma vereadora que provavelmente torce pro Prudentópolis (vai ter gente me xingando… de novo!) andou bebendo água benta “batizada” (e não foi com o sangue de Nossinhô) e resolve que as escolas (públicas e particulares) devem ler a bíblia, pois ela tem muitos ensinamentos morais e científicos (e nem para me avisarem disso na sexta-feira!)

Carla Pimentel é vereadora pelo PSC da cidade de Curitiba, conhecida por ser berço do time Coritiba (eu sei usar Google, obrigado). Como ela é uma legisladora consciente das necessidades do povo curitibano, a excelsa edil (do latim aedilis), ciosa das suas responsabilidades de dar nome de rua e ganhar salário, resolveu presentear a todos com um projeto de lei importantíssimo que sugere a leitura da Bíblia nas escolas públicas e particulares da capital (005.00131.2014).

Ô, vereadora, senta aqui do ladinho, senta. Isso, boa garota. Deixa eu te falar uma coisa, filhota: VOCÊ NÃO PODE FAZER ISSO, POMBAS! Sabe por quê? Porque o país é laico, você, apesar de ainda ter a mente na Idade Média, não pode obrigar a leitura de um livro religiosos em colégio nenhum, ainda mais se for um colégio público. Imagine, sua grande inteligente, um colégio muçulmano tendo que ler a Bíblia!

A parte hilária é a desculpinha VAGABUNDA dessa mente brilhante:

A minha intenção com a lei é que o livro seja usado para a pesquisa, já que é rico em informações científicas, culturais, arqueológicas. Incentivar essa leitura vai contribuir para a formação de cidadãos de bem e, no futuro, construir uma sociedade mais humana e justa

Sim, perfeitíssimo. Vejamos a acurácia bíblica:

  • A Terra é sustentada por colunas – I Samuel 02:08
  • A Terra tem aproximadamente 6.000 anos
  • A Terra não se move – I Crônicas 16:30, Salmos 93:01, 96:10, 104:05;
  • A terra e a água já existiam antes da luz – Gênesis 01:01-03
  • As árvores frutíferas surgiram antes de qualquer animal – Gênesis 01:12:21
  • Alteração genética de rebanhos fazendo-os conceberem olhando para varas descascadas – Gênesis 30:37-39
  • Sangue na roupa de cama é uma evidência conclusiva para a comprovação de virgindade antes do casamento (a falta dela poderia causar a morte de uma mulher) – Deuteronômio 22:20,21
  • Estrelas podem cair do céu sobre a terra – Mateus 24:29, Marcos 13:25, Apocalipse 06:13 e Apocalipse 12:04
  • Doenças como surdez, cegueira e doenças mentais são causadas por demônios – Mateus 12:22; Marcos 09:25; Lucas 08:27
  • Ouro enferruja – Tiago 05:02
  • Serpentes comem pó, e rastejam devido a uma maldição divina – Gênesis 03: 14
  • O céu é firme como um espelho fundido – Jó 37:18
  • Dar a luz torna uma mulher imunda; duas vezes mais imunda se der a luz à uma menina – Levítico 12:02-05

Para vermos como a Bíblia é um perfeito manual de conhecimento, basta consultar meu artigo A Ciência confirma a Bíblia que antecipou a Ciência.

Mas CA-LARO que você sairia com essa cartinha na manga. Sabe por que, Carlinha? Porque você é covarde de não admitir que quer implantar sua religião por decreto. A Bíblia é um manual de moral e bons costumes? Como? Esmagando criancinhas em rochedos? (Salmos 137:9) Não, né? Vamos chamar ursas para estraçalhar crianças (II Reis 2:23-24). E na sua bio oficial diz que você se preocupa com… pedagogia? Ah, bom! Está explicado!

Mas pode ficar descansada. Como evangélico vota, bem capaz desta PALHAÇADA ser aprovada pelo prefeito (esperamos que não e esperamos que você seja expulsa da câmara, mas eu sei que isso será difícil de acontecer). Minha sorte é que meus filhos não moram aí. Eles têm ensino de qualidade, não graças a fanáticos religiosos e maníacos, que não só querem impor suas religiões, como se tornaram um câncer sociológico.

Dizer que George Washington se apoiou na Bíblia para ser um bom governante, não esqueça que ele tinha escravos e até usava dentaduras feitas com dentes deles http://www.pbs.org/wgbh/pages/frontline/shows/jefferson/video/lives.html

John Adams, 2º presidente dos EUA disse: “O governo dos Estados Unidos não está, de maneira alguma, fundamentado na religião cristã, e não tem nenhuma discórdia com a lei, a religião ou a tranquilidade dos muçulmanos”

Abraham Lincoln usava a Bíblia? Interessante, pois a Bíblia apoia a escravidão (Êxodo 21:20), e Números 31 não só manda matar desvairadamente como escravizar moças virgens.

Ainda podemos citar:

"Agora, meu caro senhor, se, dadas as evidências contidas na Bíblia que provam a legalidade da escravidão entre o povo de Deus em qualquer dispensação, a assertiva ainda é feita, mesmo à mostra dessas evidências, de que a escravidão já foi um dia o maior pecado – em qualquer lugar e sob quaisquer circunstâncias – pode você, ou qualquer homem são acreditar que a mente capaz de tal decisão, não é capaz de pisotear a Palavra de Deus em qualquer outro assunto?" – PASTOR THOMAS STRINGFELLOW, A Brief Examination of Scripture Testimony on the Institution of Slavery (Locust Grove, VA, 1841). Disponível em:
http://utc.iath.virginia.edu/christn/chestsat.html

"Se possuir escravos fosse um mal moral, não se pode supor que os Apóstolos inspirados, que não temiam homem algum, e estavam prontos para entregar as suas vidas para a causa de Deus, teriam tolerado por um momento sequer dentro da Santa Igreja… ao provar esse tema justificado pela autoridade das Escrituras, a sua moralidade também é provada, pois a Lei Divina nunca sanciona ações imorais" – PASTOR RICHARD FURMAN, presidente da Convenção Estadual Batista da Carolina do Sul, Exposition of the Views of the Baptists, Relative to the Coloured Population in the United States in a Communication to the Governor of South Carolina (1838). Disponível em:
http://www.yale.edu/glc/archive/1035.htm

De minha parte, minha cara edil, sua Bíblia tem mais que ficar em alguma biblioteca, pegando poeira, ao lado de obras mortas e bem semelhantes a ela, como o Malleus Malleficarum.

Quanto a você, cidadão curitibano, já sabe o que esperar da formação educacional do seu filho, né?


Fonte: Câmara Municipal de Curitiba, via Banda B via twit do @rickycifuentes

9 comentários em “Vereadora de Curitiba diz que Bíblia e científica e deve ser ensinada em colégios

  1. “é rico em informações científicas, culturais, arqueológicas” – Um dos poucos livros com estes conteúdos entrelaçados é A Origem das Espécies.
    E se for para se manter na Literatura, que seja obrigatória a leitura e revisão de Odisséia, Os Lusíadas, e 1984.

  2. Aos poucos eles vão aprovando uma lei aqui, outra ali… quando a gente perceber, será tarde demais.

  3. Ela ainda diz que a proibição da leitura da bíblia nas escolas é um ato de preconceito e discriminação. Isso me parece aquele pessoal da extrema-direita americana que diz que aqueles que não aceitam uma teocracia cristã (por que os EUA foi fundado como uma “nação cristã”) são intolerantes ao cristianismo e deveriam vazar de lá.

  4. Quanto a você, cidadão curitibano, já sabe o que esperar da formação educacional do seu filho, né? Vai virar crentelho,uai!(Ainda bem que moro em Minas Gerais!)

  5. De certa forma tenho que concordar com você. Bíblia e religião devem ser ensinados nas Igrejas e em casa. Educação religiosa é uma questão eclesiástica e familiar, não, escolar. Escola tem que ensinar é matemática, português, história, português de novo, etc… Quando eu estudava no ensino médio, tínhamos aula de religião (católica é claro) e tinha uma aluna que era evangélica. Quando começava a aula ela era dispensada e ficava coma a nota integral no final do semestre (na realidade todo mundo ficava, pois a gente coloria uns coelhinhos na páscoa e tava tudo certo). Então se fosse aula de religião, tinha que se ensinar os conceitos e ensinamentos de todas. Uma matéria que eu penso que deveria ser ensinada nas escolas é cidadania e noções de direito. Muita coisa ia mudar.

    A Bíblia não tem a intenção de passar conceitos científicos, mas é um livro religioso e histórico e por mais que em algumas vezes ocorram alguns fatos científicos, ela não se preocupa em explicar. Deus várias vezes ordenava que os sacerdotes lavassem as mãos em águas vivas (correntes), como meio de purificação. Ele não explica que após manusear todo aquele sangue de animais é necessário fazer uma assepsia devido às bactérias. Ele simplesmente diz: “Porque eu o Senhor vos mando”. Deus transforma a questão de higiene num conceito meramente religioso e isso se aplica também ao fato de restringir alguns tipos de alimentos. Quando os soldados iam para a guerra, os arraiais deveriam ficar limpos e o cara tinha que levar uma pazinha para enterrar suas fezes. Há todo um contexto de proliferação de doenças e contaminações por trás disso, mas Deus não fala: “enterrem suas fezes, porque estão cheias de coliformes fecais e irão contaminá-los e seus alimentos”. Não! Ele simplesmente fala para o povo enterrar, porque Ele é Santo e que não quer pisar naquela merda toda.

    No seu artigo: “A Ciência confirma a Bíblia que antecipou a Ciência”, percebemos que muitas pessoas tentam defender questões científicas, usando textos Bíblicos que não estão defendendo questões científicas. Algumas realmente são revelações divinas, e de fato avançadas para a época como as medidas da Arca de Noé (as implicações de que se cabiam todos os animais não cabe aqui) que sem dúvida nenhuma foi uma grande obra de engenharia naval. Assim como nas situações descritas que você tentou refutar, como: “A terra estar suspensa sobre o nada”, “as incontáveis estrelas”, “as correntes marinhas”, “o ciclo da água” “As leis meteorológicas”, etc. (Desculpe-me André, mas suas refutações foram uma tosqueira.) Já outras questões não existe respaldo Bíblico.

    Mas você também cometeu a mesma falácia nesse seu artigo: Dizendo coisas que a Bíblia não diz e eu não poderia deixar passar batido. Não vou analisar todas, senão vai ficar muito extenso, mas algumas para a alegria da galera do fundão. Você disse que a Bíblia ensina que:

    • “A Terra é sustentada por colunas – I Samuel 02:08”

    “Levanta do pó o necessitado e, do monte de cinzas ergue o pobre; ele os faz sentarem-se com príncipes e lhes dá lugar de honra. Pois os alicerces da terra são do Senhor; sobre eles estabeleceu o mundo.” (1 Samuel 2:8)

    Ora André, a oração de Ana tem uma linguagem figurada e poética, assim como o Magnificat, o Nunc Dimitis e o Benedictus. São expressões poéticas da alma humana para com seu Criador. E quando se refere aos alicerces da terra ou as colunas, é uma clara referência à sua base e sustentação, demonstrando Deus como o Supremo criador e sustentado de toda a obra. É só ler toda a oração que você vai entender.

    • “A Terra tem aproximadamente 6.000 anos”

    Há controvérsias. A certeza que temos mediante o texto bíblico é que o homem não pode ter mais que 6.000 anos, já a terra é outro problema. Os seis dias bíblicos podem ser literais ou não. Já li diversos autores que refutam a teoria da terra jovem, como já li N escritores que a defendem. Não há um consenso geral.

    • “A Terra não se move – I Crônicas 16:30, Salmos 93:01, 96:10, 104:05;”

    “Tremam diante dele, todas as nações! Firmou o mundo, que não se abalará!” (1 Crônicas 16:30)

    “O Senhor reina! Vestiu-se de majestade; de majestade vestiu-se o Senhor e armou-se de poder! O mundo está firme e não se abalará.” (Salmos 93:1)

    “Digam entre as nações: O Senhor reina! Por isso firme está o mundo, e não se abalará, e ele julgará os povos com justiça.” (Salmos 96:10).

    ???????? Alguns desses textos estão dizendo que a terra não se move? Ou estão mostrando a confiança daqueles que confiam no Senhor. Então a Bíblia ensina também que as árvores cantam:

    “Então as árvores da floresta cantarão de alegria, cantarão diante do Senhor, pois ele vem julgar a terra.” (1 Crônicas 16:33). Faissunão André!

    • “Estrelas podem cair do céu sobre a terra – Mateus 24:29, Marcos 13:25, Apocalipse 06:13 e Apocalipse 12:04”

    A palavra no grego original não tem somente o sentido de uma estrela propriamente dita, mas de qualquer corpo celeste, como um meteorito, ou meteoro, etc.

    A referência em questão é um grande meteoro ou meteoros que cairão sobre a terra.

    • “Ouro enferruja – Tiago 05:02”

    Na realidade é Tiago 5.3. A citação em apreço faz referência a transitoriedade das riquezas em relação à Eternidade. O Ouro também não “devora a carne” de ninguém, é apenas uma ilustração para demonstrar a insensatez dos ricos, que conseguem suas riquezas através de fraudes e subornos.

    • “Dar a luz torna uma mulher imunda; duas vezes mais imunda se der a luz à uma menina – (Levítico 12:02-05)”

    Imunda traz a ideia de cerimonialmente imunda, comum, não santificada. Não tem nada a ver com uma maldição ou desgraça. Além disso, é uma condição temporária.

    “Esmagando criancinhas em rochedos? (Salmos 137:9) Não, né? Vamos chamar ursas para estraçalhar crianças (II Reis 2:23-24)”

    Crianças? Inocente, sabe de nada.

    “Dizer que George Washington se apoiou na Bíblia para ser um bom governante, não esqueça que ele tinha escravos e até usava dentaduras feitas com dentes deles”

    Mas ele se apoiou sim na Bíblia. Aliás, toda a Constituição Americana foi baseada nos valores contidos no Novo Testamento e na moral protestante do séc. XVIII. Negar isso é negar a própria história. Seja coerente, André. George Washington talvez tenha sim usado dente dos seus próprios escravos, mas ele não os arrancou como você tentou passar a ideia, mas os comprou. Não que isso seja correto. Mas o homem sempre será falho e pecaminoso. Eu norteio minha vida pelos ensinamentos de Jesus, isso não significa que eu seja perfeito. Eu também erro, e muito, mas não significa que eu não apoio minha vida nas Sagradas Escrituras.

    Em relação á escravidão, de fato a Bíblia, especificamente o Novo Testamento, não faz nenhuma referência direta contra a escravidão, mas lança as bases para a extinção dessa instituição. A escravidão era uma questão cultural e social e qualquer povo conquistado se tornava servo do conquistador. Era uma questão de sobrevivência. Mas você vai perceber lendo a Lei de Moisés, que por mais que eles fizessem também o uso dessa prática, seus escravos eram tratados com humanidade e respeito. Perto das condições que seus vizinhos, como os Assírios, por exemplo, tratavam seus escravos, os servos Israelitas eram quase bajulados.

    Na Lei Mosaica, por exemplo, sequestrar alguém para ser vendido como escravo era um crime punido com pena capital (Êx 21:16). Um escravo hebreu deveria trabalhar apenas seis anos para pagar sua dívida, sendo libertado no sétimo ano, sem pagar nada (Êx 21:2). Além disso, ele deveria receber de seu proprietário alguns animais e alimentos para recomeçar a vida (Dt 15:13, 14). Durante seu período de serviço, o escravo teria um dia de folga semanal, o sábado (Êx 20:10). É interessante notar que na versão dos 10 mandamentos de Deuteronômio 5, é nos dito que o sábado foi dado para que o servo e a serva “descansem como tu”, no caso, o patrão.

    Jesus com seus sermões atacou indiretamente a escravidão quando dizia na sua regra de ouro que devemos tratar as pessoas da mesma maneira que gostaríamos de ser tratado. A carta de Paulo a Filemon confirma ainda mais meus argumentos, pois Onésimo era escravo de Filemon e ambos pertenciam a mesma Igreja. Paulo escreve:

    “Talvez ele tenha sido separado de você por algum tempo, para que você o tivesse de volta para sempre, não mais como escravo, mas, acima de escravo, como irmão amado. Para mim ele é um irmão muito amado, e ainda mais para você, tanto como pessoa quanto como cristão. Assim, se você me considera companheiro na fé, receba-o como se estivesse recebendo a mim.” (Filemom 1:15-17)

    E depois na sua carta aos Efésios:
    “Escravos, obedeçam a seus senhores terrenos com respeito e temor, com sinceridade de coração, como a Cristo. Obedeçam-lhes não apenas para agradá-los quando eles os observam, mas como escravos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus. Sirvam aos seus senhores de boa vontade, como ao Senhor, e não aos homens, porque vocês sabem que o Senhor recompensará a cada um pelo bem que praticar, seja escravo, seja livre. Vocês, senhores, tratem seus escravos da mesma forma. Não os ameacem, uma vez que vocês sabem que o Senhor deles e de vocês está nos céus, e ele não faz diferença entre as pessoas.” (Efésios 6:5-9)

    Você percebe que Paulo nem Jesus pede diretamente para os cristãos acabarem com a escravidão, porém lançam as bases para que paulatinamente essa instituição venha a desmoronar sobre si. Como um cristão verdadeiro iria escravizar seu próprio irmão que participava com ele da Ceia do Senhor, ou que ministrava como um ministro da Igreja. Alguns anos depois, a Igreja cristã aboliu a escravidão dentro do Império Romano. Mas por que Nem Jesus nem Paulo atacou frontalmente a escravidão? Eu tenho algumas sugestões: Primeiramente, se houvesse um embate direto contra a servidão, a convulsão social e o derramamento de sangue iriam ser sem precedentes. Além do mais o número de escravos no Império Romano excedia em muito o número de cidadãos livres e não seria uma boa ideia exaltar o ânimo dessa galera.

    Em segundo lugar, a intenção do cristianismo era transformar a sociedade de dentro pra fora, através dos ensinamentos e da ética de vida e moralidade. Como eu disse, não há um ataque frontal, mas as cartas foram lançadas e o tempo, como aconteceu se encarregaria de fazer o resto.

    Outro ponto é que não podemos fazer uma comparação do regime escravocrata que aconteceu aqui no nosso país, com a escravidão nos tempos Bíblicos, pois as pessoas não eram escravizadas pela sua nacionalidade ou cor da pele. Muitas pessoas vendiam a si mesmas quando não conseguiam pagar seus débitos ou sustentar sua família e algumas pessoas se tornavam escravos para terem suas necessidades supridas pelo seu senhor. O argumento em defesa da escravidão dado pelo pastor Richard Furman é tão furado quanto a cueca que eu estou usando agora. Ele era de onde mesmo hein? Do Sul. Hã. Querendo justificar seu ponto de vista dentro das escrituras. É muito comum hoje em dia.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s