“Justiça” inglesa indicia gêmeos por não saber qual deles estuprou adolescente

Alunas na Indonésia podem ser obrigadas a fazer teste de virgindade
Astronautas ficam 4 meses no Big Brother Marte

Uma das historinhas mais divertidas da Bíblia é quando Salomão apartou briga de lavadeiras que estavam indo nas vias de fato para saber de quem era o filho. O rei jogou um migué que ia cortar a criança ao meio e dar a metade para cada uma. Uma disse "tamos aí", enquanto que a outra (de cabelo cheio de laquê e com a cara cheia de maquiagem) diz que Jacó Caldero de Almeida Santiado devia ser entregue à outra. Salomão estufou o peito que nem pombo, afiou os bigodes e ajustou seu pince-nez dizendo "minha filha, o filho és teu". É uma história babaca, pois se fosse verdade, as duas continuariam a disputa e mãe de verdade lutaria até à morte. Assim são as mitologias.

Uma história jurídica tão retardada quanto essa é a que promotores na Inglaterra investigam o caso do estupro de uma adolescente. Exames de DNA apontaram o culpado; infelizmente, o distinto tem a mesma carga genética que seu irmão gêmeo. Assim, a decisão salomônica foi de… Indiciar os dois.

De acordo com o seboso jornal The Times – que acha que você tem que assinar o jornal para acessar as notícias, como se não houvesse internet – dois gêmeos idênticos estão sendo indiciados. Sabe-se que um deles atacou, usou, abusou e lambuzou uma menina de 17 anos, em Purley Park. Um só já é errado, mas foram vários homens, o que eu classifico como selvageria.

Entrou em cena o CSU, como algumas séries costumam chamar, para não dar ibope a outra série de perícia criminal. Na verdade, isso seria sigla da Universidade Estadual do Colorado, mas como isso não tem nada a ver com a notícia, vamos ignorar.

A perícia identificou o DNA da escumalha entre eles um cara, cuja investigação acabou numa grande dor de cabeça jurídica. Mohammed e Aftab Asghar, são dois gêmeos idênticos de 22 anos. A polícia sabe que um deles não estava no ato do crime, a caca é: qual deles? A análise de DNA deu que ambos têm a mesma carga genética, isto é, para a Genética, os dois são a mesma pessoa. Na dúvida, mandaram os dois pro xilindró, onde estão vendo Maomé nascer quadrado.

De acordo com a BBC Brasil, o julgamento dos gêmeos está marcado para o dia 2 de dezembro deste ano, e os promotores terão que conseguir juntar provas para condenar um dos gêmeos, ou ambos. Onde um deles terá que passar um bom tempinho na cadeia, mesmo sendo inocente. (v. Estupro na Lei Inglesa, na wikipédia angloparlante)

Então, temos um curioso estado em que se pune um inocente para o Bem Maior. O Bem Maior seria a punição do culpado, enquanto que s pais da menina estão  doidos para que todos os envolvidos percam as cabeças… 2, de cada um. Isso é um absurdo nos conceitos éticos de qualquer sociedade que julgue ser civilizada, pois se a pena seguisse a Lei de Talião, seria dente por dente, ânus por ânus, e os dois seriam estuprados. Se a pena fosse pena capital, um deles não teria sido condenado e sim assassinado.

Como resolver isso? Sinceramente, fica difícil. Até mesmo a Ciência tem limites, mas a ignorância deste bando de idiotas, não (e não, Einstein nunca falou a frase sobre a inifinitude da ignorância e do Universo). A total boçalidade do sistema reconhece que existem métodos mais eficientes e precisos para determinar quem realmente foi o criminoso, já que mesmo gêmeos idênticos não possuem TODO o DNA igualzinho. Mas o Sistema, mesmo na Inglaterra, não existe para as pessoas e sim para manter o Sistema. Como é caro, não se faz o teste, manda-se os dois pra cadeia e advogados e promotores acabam desvirtuando a Justiça em prol do Direito; e ninguém disse que o que é lícito é justo, e nem tudo que é justo é de direito.

Há muito tempo, me disseram que julgamentos não julgavam nada e sim serviam como um grande teatro para os egos dos advogados, promotores e juízes, dando poder de Deus a um bando de anônimos que se sentem por cima da carne seca ao serem responsáveis pelo futuro de outro ser humano. Tenho que concordar com isso.

Alunas na Indonésia podem ser obrigadas a fazer teste de virgindade
Astronautas ficam 4 meses no Big Brother Marte

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • Almeida

    [OvelinhaON]
    É nisso que dá não possuir da sabedoria divina para fazer justiça.
    [/OvelinhaOFF]

  • ouvidor

    Se fosse um crime de morte eu saberia resolver este problema até a data do julgamento dos gêmeos. Era só alimentar muito bem os dois e observar o metabolismo, um deles iria engordar, por força da ansiedade.

    Administrador André respondeu:

    Vc leu isso no seu livro de pseudociência favorito?

    ouvidor respondeu:

    Ah@André, Gastronomia não é pseudociência e resolve.
    Analise bem e você, muito mais do que muitos, resolveria o caso.

    Oferecer-se-ia muita comida aos dois;
    Um deles comeria muito mais do que o outro;
    O outro permaneceria magro – Este seria o assassino (pela 1° Lei da Gastronomia). É uma questão de lógica.

    Administrador André respondeu:

    http://i3.kym-cdn.com/photos/images/newsfeed/000/344/845/fe3.png

    ouvidor respondeu:

    @André, Eu precisava trollar alguém….unidunidê..o escolhido foi você.

    Pronto para ser chutado pra fora do blog…tchau pessoal.

    Administrador André respondeu:

    Bye.

    Vai trollar o cacete.

    JCFerranti respondeu:

    @ouvidor, “O que não mata engorda”, né!
    Cadê um facepalm nesses emoticons aqui?

    Almeida respondeu:

    @ouvidor, Dorgas man!
    Meu vizinho ganhou um aumento significativo de gordura corporal repentinamente; Ele é um assassino?!
    .
    #Medoo

  • JCFerranti

    Isso me lembra um episódio de Lei e Ordem: Unidade de Vítimas especiais (pq os nomes em inglês são mais imponentes?), onde dois gemeos planejavam o assassinato de um médico. Somente um deles cometeu o caso e o outro ajudou a acobertar o crime, indo ao cinema. Não foi possivel provar qual deles matou e por isso não puderam ser acusados. Na ficção dos EUA ficou assim, não sei se na vida real lá seria tb.

    André, fiquei com uma curiosidade: Sempre entendi que gêmeos univitelinos eram gerados após a divisão das células iniciais em dois grupos, posteriormente gerando dois embriões. Dessa forma o DNA seria idêntico, já veio da divisão do óvulo fecundado original. Mas você disse que o DNA não é todo idêntico? Quais seriam as diferenças?

    Administrador André respondeu:

    Isso me lembra um episódio de Lei e Ordem: Unidade de Vítimas especiais (pq os nomes em inglês são mais imponentes?)

    Porque no Brasil, “especial” virou sinônimo de pessoa com deficiência mental. Para mim, especial é quem coloca uma capa vermelha nas costas e sai voando.

    Apocalyptica respondeu:

    @JCFerranti, Cigarro, sol, produtos químicos alteram o DNA. Os dois podem ter nascidos com o mesmo DNA, mas podem morrer com DNA alterados.

  • Rogério

    Só posso concluir que os dois tem culpa no cartório, do contrário, ainda mais que já estão em cana mesmo, a essa altura o irmão culpado já teria assumido a responsabilidade para livrar o inocente. Ou não… 😯

  • Bom, se os termos jurídicos estão sendo usados adequadamente nessa postagem, então o que aconteceu com os gêmeos não é algo tão absurdo quanto parece:

    Se eles foram INDICIADOS, é porque existem “indícios” de que houve a participação de um deles (ou dos dois). É o mesmo pensamento que se aplicaria a qualquer indivíduo nessa situação, não necessariamente por eles serem gêmeos.

    Vejamos um exemplo: Uma mulher é estuprada, e ela dá à polícia determinadas características físicas do meliante. Alguém com as mesmas características foi visto perto da cena do crime, no horário em que ele ocorreu. Vai recair sobre esse fulano “indícios” de que ele PODERIA ter o autor do crime. Não é uma condenação por si só…

    Daí segue-se todo um rito processual no qual esse fulano será, após o indiciamento, denunciado ou não pelo Ministério Público (o que já é uma OOOUTRA etapa. Pode ocorrer, por exemplo, de alguém indiciado não ser denunciado). Mas suponde que esse fulano do exemplo seja denunciado, depois dessa denúncia é que começa o processo penal em si (antes era só Inquérito Policial), processo no qual pode ensejar numa condenação ou numa absolvição.

    Sinceramente, sou até capaz de apostar que os dois gêmeos serão absolvidos, pela máxima jurídica “mais vale absolver um culpado do que condenar um inocente”. Na dúvida de afinal qual dos dois “empurrou o litro na menina”, os dois “livram-se soltos” (não me perguntem o porquê desse termo redundante).

    Dai podem me perguntar, “mas por que os dois estão presos?” Sei lá, precisaria olhar os autos, mas de repente eles estão presos para averiguação, de repente há testemunhas que viram DOIS sujeitos idênticos na cena do crime, vai ver eles não tem dinheiro para pagar um advogado decente para conseguir um habeas corpus etc., etc.
    Claro, é um sistema no mínimo “exótico” para quem olha de fora. E não é perfeito, muito pelo contrário. Mas fazer o que, é o que nós temos à mão para fazer valer o tal “devido processo legal”. É uma ciência (apesar de que provavelmente vão questionar aqui esse enquadramento), e como tal tem seus métodos.

    Claro, como ciência, o Direito vem sendo cada vez mais apurado ao longo dos anos, e muitas vezes o que parece estático e pomposo esconde verdadeiras revoluções oriundas de debates calorosos entre juristas que, longe de se sentirem “Deus”, se encaram como humanistas.

    Administrador André respondeu:

    Se eles foram INDICIADOS, é porque existem “indícios” de que houve a participação de um deles (ou dos dois).

    UM e nção os dois. Logo, um está sendo incorretamente indiciado.

    Daí segue-se todo um rito processual no qual esse fulano será, após o indiciamento, denunciado ou não pelo Ministério Público

    Tradução: “Oi, sou adevogadu e vou falar sobre a jurisprudência de um país que nunca visitei e nem sei como funciona.”

    Sinceramente, sou até capaz de apostar que os dois gêmeos serão absolvidos, pela máxima jurídica “mais vale absolver um culpado do que condenar um inocente”

    Procure se informar, bebê. Leia sobre os 4 de Guilford e os 7 Maguires, duas muitas cagadas que a “justiçã” inglesa fez: http://en.wikipedia.org/wiki/Guildford_Four_and_Maguire_Seven

    Pouco? Que tal o caso Jean Charles? http://pt.wikipedia.org/wiki/Jean_charles

    Esse papo de adágio latino é lindo em tribunal e pra gente que acredita em qualquer coisa. A verdade é bem outra. E não, a jurisprudência inglesa não tem nada a ver com direito romano. Vai estudar pra não falar besteira.

    Dai podem me perguntar, “mas por que os dois estão presos?” Sei lá, precisaria olhar os autos

    Você precisa é estudar a legislação, fihota. Na Inglaterra, quem indicia não é o MP. A polícia é quem determina. Se você der uma porrada em alguém e essa pessoa não quiser prestar queixa, no Brasil fica por isso mesmo. Na Inglaterra, não. A polícia passa pro MP e há o indiciamento. No caso de estupro, é decretada prisão imediatamente.

    Adeais, exames sofisticados PODEM SIM determinar qual dos doisfoi o estuprador, mas os advogadinhos vagabundos preferiram o caminho mais fácil: punir o inocente junto.

    de repente há testemunhas que viram DOIS sujeitos idênticos na cena do crime,

    Você não leu a notícia, né?

    vai ver eles não tem dinheiro para pagar um advogado decente para conseguir um habeas corpus etc., etc.

    Vai ver, vc é ignorante em legislação do Reino Unido, onde não tem essa de habeas corpus em caso de estupro. Para de falar besteira, vai.

    E não é perfeito, muito pelo contrário. Mas fazer o que, é o que nós temos à mão para fazer valer o tal “devido processo legal”.

    Diga isso a quem passou mais de dez anos na cadeia sendo inocente. Isso sem falar nos que foram executados pela “justiça” inglesa. COmo era a execução? Enforcamento, e não parou faz muito tempo, não.

    Claro, como ciência, o Direito

    Direito não é ciência. Mais uma merda que advogadinhos adoram papaguear.

    Breno Barata respondeu:

    @André,

    “Direito não é ciência. Mais uma merda que advogadinhos adoram papaguear.”

    Só por essa frase já se percebe o seu domínio sobre as Ciências Jurídicas, “filhota”. Aposto que você é dos tais que fala que “fulano se formou de advogado”. Alias, deduzir que eu sou advogado já é outra falácia sua…

    Sobre o que eu escrevi, eu apenas tracei em linhas gerais que as coisas não são tão preto no branco como você colocou na sua postagem. Divergir da sua opinião não é “pecado”. Mencionei o Ministério Público justamente nessas “linhas gerais” para não me adentrar muito no tema e deixar as coisas mais generalizadas. Não havia sentido falar em “CPS” que, apesar de ser um órgão mais ligado à polícia (não sei se você sabe), não deixa de ter a função de revisar o que foi apurado na fase investigativa e dar prosseguimento ou não ao feito – o que na prática produz o mesmo efeito da denúncia do MP.

    “Adeais, exames sofisticados PODEM SIM determinar qual dos doisfoi o estuprador, mas os advogadinhos vagabundos preferiram o caminho mais fácil: punir o inocente junto.”

    Que bom que existem esses exames. Melhor ainda pros dois irmãos. Agora só uma dica: advogados (sejam vagabundos ou não) não punem ninguém. Advogado defende. “Para de falar besteira, vai”. 😛

    Aliás, que papo é esse de que na Inglaterra não cabe habeas corpus em caso de estupro? Habeas corpus é uma ferramenta que, entre outras coisas, serve para relaxar prisões eivadas de vícios ou abusivas. E isso, “bebê”, vale tanto na “common law” quanto no direito romano.

    Administrador André respondeu:

    Só por essa frase já se percebe o seu domínio sobre as Ciências Jurídicas

    ÓTIMO! Vamos falar sobre o Método Científico da Ciência Jurídica. Mostre para mim testes em ambientes controlados, no mundo natural e em laboratório, ok? Me mostre testes duplo-cegos e mono-cegos, ok? Previsões, testes, análises etc.

    Seu Direito é tão ciência quanto Astrologia.

    Aposto que você é dos tais que fala que “fulano se formou de advogado”. Alias, deduzir que eu sou advogado já é outra falácia sua

    Mas nem advogado és e queres falar sobre algo que não conheces? Nem pra rábula serves!

    Sobre o que eu escrevi, eu apenas tracei em linhas gerais que as coisas não são tão preto no branco como você colocou na sua postagem.

    Vc escreveu merda sobre leis que desconhece, leigo. Não é advogado e não pode dar pitaco nem sobre leis brasileiras, rabulazinho.

    Divergir da sua opinião não é “pecado”.

    Escrever besteiras é.

    Mencionei o Ministério Público justamente nessas “linhas gerais” para não me adentrar muito no tema e deixar as coisas mais generalizadas.

    Ah, sim, claro. Vamos falar como é errado o Estado executar presos fazendo um elefante pisar na cabeça de um. Vamos citar que isso está em total desacordo com a legislação brasileira… Ah, bem, na Indonésia pode. Mas como no Brasil não pode, segundo sua explanação prolixamente tola, então é inconstitucional que a Indonésia faça isso.

    Não havia sentido falar em “CPS” que, apesar de ser um órgão mais ligado à polícia (não sei se você sabe), não deixa de ter a função de revisar o que foi apurado na fase investigativa e dar prosseguimento ou não ao feito – o que na prática produz o mesmo efeito da denúncia do MP.

    Mais uma vez, rábula: NÃO ESTAMOS FALANDO DE LEIS BRASILEIRAS! Pega um livro e vai estudar, leigo.

    Que bom que existem esses exames. Melhor ainda pros dois irmãos.

    Graças à Ciência de verdade e não ao Direito.

    Agora só uma dica: advogados (sejam vagabundos ou não) não punem ninguém. Advogado defende. “Para de falar besteira, vai”.

    E juízes são formados em auxiliar de necrópsia.

    Leigo!

    Aliás, que papo é esse de que na Inglaterra não cabe habeas corpus em caso de estupro? Habeas corpus é uma ferramenta que, entre outras coisas, serve para relaxar prisões eivadas de vícios ou abusivas. E isso, “bebê”, vale tanto na “common law” quanto no direito romano.

    Não na Inglaterra, nenem.

    E legal vc ter ignorado o TANTO de merda que a Inglaterra fez. Mas, claro, como todo rábula, só lhe cabe tentar escapar. Mas a Ciência não se ilude com prolixos falaciosos e é por isso que vocês, rábulas, tendem:

    1) Dizer que Direito é ciência, achando que serão melhores (só que não).

    2) Ignorar a Ciência, pois ela mostra a escumalha que advogados fazem parte.

    E você sabe o que é um ônibus caindo em um precipício com 30 advogados dentro, não sabe?

    Rábula! :mrgreen:

    Breno Barata respondeu:

    @André,

    “E juízes são formados em auxiliar de necrópsia.”

    Ai, minha pleura…

    Quem se forma em Direito é BACHAREL EM DIREITO. O advogado é o bacharel em direito que passa na prova da OAB. O juiz é o bacharel em direito que ingressa na magistratura. O promotor de justiça é o bacharel em direito que… bem, você entendeu a essência da coisa. Um juiz não precisa ser advogado (e inclusive é incompatibilizado com a advocacia quando passa no concurso, caso tenha passado na Ordem antes – o que não é o caso de todos os magistrados 😉 ).

    “NÃO ESTAMOS FALANDO DE LEIS BRASILEIRAS! ”

    De certa forma estamos, dentre outras coisas. Você está generalizando suas opiniões sobre os profissionais de Direito desde a sua postagem, e só vem agravando essas opiniões nas suas respostas aos meus comentários. Isso já deixou de ser só sobre Direito Inglês há muito tempo.

    Mas só um esclarecimento: CPS é a sigla de “Crown Prosecution Service”, órgão inglês que, como eu disse, não deixa de, NA PRÁTICA, fazer as vezes do MP. Então estou falando de Direito Inglês, fazendo um link prático com o Direito Brasileiro. Direito Comparado e tals. Têm livros sobre isso, saca? 😛

    Mas para colocar uma pedra nesse assunto, (eu pelo menos não vou ficar batendo boca com o moderador do meu site favorito), respondo a sua última pergunta:

    UM BOM COMEÇO.

    :mrgreen:

    Administrador André respondeu:

    Quem se forma em Direito é BACHAREL EM DIREITO. O advogado é o bacharel em direito que passa na prova da OAB.

    Claro, porque nenhum juiz tem carteiroca da OAB.

    Um juiz não precisa ser advogado

    E?

    De certa forma estamos

    Não, animalzinho, não estamos. Estou questionando no artigo a estupidez de um sistema jurídico que prefere prender inocentes até que provem não ter culpa nenhuma. Até mesmo seres unicelulares conseguiram perceber isso, rabulazinho.

    De certa forma estamos

    Art. 5º. CF. Não gostou, foda-se. Crie uma conta no twitter e me xinga lá;

    só vem agravando essas opiniões nas suas respostas aos meus comentários. Isso já deixou de ser só sobre Direito Inglês há muito tempo

    Eu não tenho culpa se algum débil mentral fala besteira, sobre algo que reconhece não saber.

    órgão inglês que, como eu disse, não deixa de, NA PRÁTICA, fazer as vezes do MP. Então estou falando de Direito Inglês, fazendo um link prático com o Direito Brasileiro. Direito Comparado e tals. Têm livros sobre isso, saca?

    Na Indonésia, há pena de morte por pisada de elefante.

    respondo a sua última pergunta:

    UM BOM COMEÇO.

    Não, é um desperdício. Um ônibus cabe 44 passageiros sentados.

    Agora, rábula, sua defesa provou uma coisa: vc não tem QI para comentar aqui. Vai pela sobra, rábula.