Cruz de Jesus é descoberta na Turquia. Senta lá, Gülgün!

Toda semana tem alguma besteira à solta no Mundo de Hades. normalmente, é culpa de Cérbero, o cão tricabeçudo que banca o funcionário público saindo todo dia às 10h para tomar um cafezinho e só chega às 9 e meia do dia seguinte. Daí, as loucuras ficam à solta, normalmente envolvendo o judeu que foi pego pra Cristo.

Arqueólogos turcos alegam agora que encontraram um pedaço de uma cruz que possivelmente era de Jesus, o Carpinteiro Pregadão; e, claro, você vai acreditar nisso, mesmo sem saber que esta é sua SEXTA INSANA!

Antes que você diga algo, EU SEI que esta notícia veio lá pelo dia 31 de julho. Sou um homem ocupado, além de estar com preguiça de postar sobre isso. Entre em contato com o financeiro e peça desconto na mensalidade.

A drª Gülgün Köroğlu é arqueóloga da Universidade de Belas Artes Mimar Sinan. Infelizmente, ela não tem página na universidade (pelo menos, não encontrei, já que aquele site é uma bosta). Ela e seus colaboradores estão realizando escavações na Igreja Balatlar na província de Sinop, próximo ao Mar Negro. Um lugar que parece ser muito legal e, sim, eu gosto de igrejas antigas.

No sítio (arqueológico, e não aquele que tem vaquinha, boizinho e outros "zinhos") os pesquisadores desenterraram um baú que, nas palavras de Goku, digo, Gülgün tinha "uma coisa santa". Naquela caixa de pedra é bem possível que tenha – TCHA-RAAAAAAAAAN! — um pedaço de uma cruz. Sim, um mero pedaço de pau que, Kuririn, digo Köroğlu diz a cruz onde Jesus foi posto pra secar. Praticamente, um naco do pau-de-arara santo, para onde Jesus foi pregado depois de ter sofrido interrogatório do D.O.P.S. de Roma.

E tu não te encantes demasiado com estas custódias. Fragmentos da cruz vi muitos outros, noutras igrejas. Se todos fossem autênticos, Nosso Senhor não teria sido supliciado sobre duas hastes cruzadas, mas sobre uma floresta inteira.

— William de Baskerville, em O Nome da Rosa.

Então, acha-se uma caixa de pedra (só faltando ser tema de vídeo do Mundo Canibal), tem um pedaço de madeira lá que intuem ser uma cruz e, mediante a maravilhosa ferramenta científica do "achamos que", chegam à conclusão que é da cruz para onde Jesus foi parar, e depois prestes a ir pra vala.

Eu concordo que a caixa é importante, bem como o que ela contém. No sítio arqueológico foram encontrados cerca de uns mil esqueletos em 4 anos de escavações. Mas é má Ciência alegar que um naco de madeira é resquício de onde Jesus teria sido crucificado. Isso mais parece para dar valor à descoberta, de forma que os patrocinadores fiquem entusiasmados e continuem dando dinheiro. Até entendo isso, já que verba para Ciência sempre é complicado de se conseguir. Ainda assim, o fato de eu entender não implica que eu concorde, da mesma forma que eu entendo fatores que possam levar uma pessoa a uma vida de crimes, embora não concorde que este ato esteja certo.

É óbvio que não acredito que aquela "relíquia" seja autêntica. Primeiramente, eu teria que acreditar em Jesus e.. creio que deu para perceber que este site não é muito adepto a esta ideia. Em segundo lugar, esta "relíquia" teria que ser autêntica e não encontrei muitos sites, mesmo religiosos, a fim de acreditar nisso. Se nem mesmo crente está acreditando nisso, quanto mais eu.

Gulgun deveria rever esta ideia idiota de alegar uma coisa tão absurda quanto esta. Só está fazendo mal à sua imagem e, assim, continuará sem um site que fale dela e seu trabalho. Quem mais perde é a Arqueologia e nós, claro.

Videozinho? Temos sim, mas não da NBC


Fonte: NBC

11 comentários em “Cruz de Jesus é descoberta na Turquia. Senta lá, Gülgün!

  1. “Em segundo lugar, esta “relíquia” teria que ser autêntica e não encontrei muitos sites, mesmo religiosos, a fim de acreditar nisso. Se nem mesmo crente está acreditando nisso, quanto mais eu.”
    E se for autêntica? (Penso ser muito improvável).Não muda nada pra nós.

    1. @SAULO NOGUEIRA, Na verdade muda. Muda todo o sentido de fé, já que fé é acreditar, com ou sem provas. Com provas, o próprio conceito da crença terá que ser revisto, haja visto que existir é uma coisa, mas ter feito tudo que se alega é outro.
      Além disso, mais da metade do mundo nãoa credito em Jesus. O fato de ter existido pode mudar a perspectiva de alguns!

      1. Na verdade muda

        Na verdade não muda. Veja que para os crentes a bíblia já é a prova da existência de Jesus, por intermédio da fé. Outras provas não são de valia alguma, como o Saulo disse

        Além disso, mais da metade do mundo nãoa credito em Jesus. O fato de ter existido pode mudar a perspectiva de alguns!

        Simplesmente provaria a existência de UM jesus histórico, que pregava a conversão e o fim do mundo, como tantos outros que surgiram

        1. @Almeida, o fato de ter havido um Jesus histórico cria a brecha para que se procure saber o que esse Jesus dizia, com mais interesse do que o que dizia uma personalidade mitica de outra religião.
          Quanto a ser apenas mais um profeta apocalipcista, não é bem assim. Essa faceta é bem conhecida de historiadores e pessoas que se interessam, mas para a maioria ele seria alguém que foi ouvido e teve destaque em sua época e não somente depois, como seria o caso se Jesus tivesse existido!

          1. @JCFerranti,
            mas para a maioria ele seria alguém que foi ouvido e teve destaque em sua época e não somente depois, como seria o caso se Jesus tivesse existido
            .
            Jesus foi tão importante que nenhum historiador ou cronista da época escreveu sobre ele. Assim, dificilmente esse fragmento de cruz provaria que o Jesus bíblico existiu, e sim o histórico, mas nada de poderes sobrenaturais. E garanto que isso não levaria os não crentes a professar fé nele. Seria apenas mais um que pregava os bons valores éticos e morais aos necessitados em plena dominação romana. É bom conhecer sobre seus ensinos ate porque:
            “Quanto mais humanos formos, mais divinos seremos!”

          2. @Almeida,
            “E garanto que isso não levaria os não crentes a professar fé nele. ”

            Acredito que você está superestimando as pessoas. Não é porquê uma pessoa não acredita em Jesus que ela tem uma mentalidade mais evoluída, digamos. Há idiotas em todas as áreas!

      2. @JCFerranti, Como eu disse: Pra nós que já cremos, nada muda, apenas confirma nossa fé.

        “Além disso, mais da metade do mundo não acredito em Jesus.”

        Mais da metade do mundo não acredita em Jesus da forma como nós cristãos acreditamos. Mas em um Jesus Profeta, ou revolucionário, ou um grande mestre ou guia, a grande maioria acredita que existiu. Até alguns agnósticas acreditam em um Jesus histórico.

        Mas como você também disse: “O fato de ter existido pode mudar a perspectiva de alguns!”

        Aqui tenho que concordar plenamente com você.

        1. Mais da metade do mundo não acredita em Jesus da forma como nós cristãos acreditamos. Mas em um Jesus Profeta, ou revolucionário, ou um grande mestre ou guia, a grande maioria acredita que existiu.

          Mentira. Hindus não acreditam em nenhum messias, judeu ou não. Muçulmanos acham que jesus foi apenas mais um falando blábláblá. Judeus sentem vergonha alheia da usurpação da religião deles, misturando o que pra eles não passa de um conto de fadas (não que a deles seja mais real, claro). Então, vamos devagar com o andor, que ninguém leva Jesus a sério. só cristãos.

          Até alguns agnósticas acreditam em um Jesus histórico.

          Eu tenho plena certeza que troia existiu, e que ela se meteu em uma guerra com várias cidades-estado. Isso significa que seus muros foram construídos por Posseidon como castigo dado por Zeus? Aquiles existiu, então, né? E o banquete com homens e deuses, quando Éris, a deusa-espírito-de-porco deu a maçã para o babaca do Páris? Tróia existiu, logo você deve aceitar que a mitologia grega não era mitologia e sim verdade literal de fatos ocorridos, mediante o que Homero contou, SIM OU NÃO?

          1. @André, Repetindo:”Mais da metade do mundo NÃO acredita em Jesus da forma como nós cristãos acreditamos. Mas em um Jesus Profeta, ou revolucionário, ou um grande mestre ou guia, a grande maioria acredita que existiu.”

          2. Como Maomé? Seguir heróis (eu espero que vc tenha lido a obra do Joseph Campbell) é algo recorrente, muito antes do Cristianismo. Moisés, por exemplo.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s