Os neutrinos já podem ser ditos como mais rápidos que a luz?

Desculpem aí, mas ainda não.

Em outubro, eu noticiei o experimento feito pelo pessoal do OPERA que demonstrou que neutrinos viajaram mais rápidos que a luz, ganhando dela por 60 nanossegundos de vantagem (a velocidade NÃO É 60 nanossegundos mais rápido, seus divulgadores sebosos que não sabem Física!). Neste mesmo artigo, eu demonstrei meu ceticismo (ho-ho-ho) juntamente com os comentários de cientistas alegando o porque haveria tido algum erro de medição.

O experimento foi refeito pelos mesmos cientistas, nas mesmas condições e tiveram os mesmos resultados. Isso comprova o quê? Não muita coisa, para desespero da Fox News, que já chapou logo no seu site que havia dúvida se Einstein estava errado. (não que devamos levar a Fox muito a sério.)

Vamos deixar uma coisa clara logo de saída, Dona Fox: Dogma existe em algo inútil chamado "religião". Não existem dogmas na Ciência. Não é um dogma que se um dos seus executivos fizer a graça e o favor de pular do alto de seu prédio, ele vai direto pro chão, a não ser que Jesus venha voando com sua capa vermelha para segurá-lo. Ele cairá por causa da simples força gravitacional. Ponto. Não é um dogma, é um fato plenamente observado e muitas vezes testado. Dogmas são "verdades" impostas por algum idiota que teve uma brilhante ideia de impor a sua opinião e proíba terminantemente que se façam testes. É como aquele lance da transubstanciação, onde hóstia e vinho vira carne e sangue. O suposto Milagre de Lanciano não foi provado até hoje.

Einstein pode estar errado no tocante à constância da velocidade da Luz? Pode. Ele mesmo já esteve errado ao dizer que as teorias de Lemâitre não estavam certas e que sua (de Lemâitre) Física era pavorosa. Einstein também rejeitou a Teoria da Incerteza de Heisenberg e toda a Mecânica Quântica, tendo (segundo se diz) dito que "Deus não joga dados". Se bem que há um relato apócrifo de Niels Bohr dizendo para Einstein ficar sossegado e parar de dizer pra Deus como ele deve fazer as coisas (não acredito que isso seja verdade, mas não deixa de ser engraçado).

Eu penso sim que Einstein podia estar errado com relação à velocidade da Luz ser constante, mas não é essa a questão. Não estamos brigando para defender ou atacar Einstein. Fica parecendo que dois cientistas se dirigem para um laboratório e um diz pro outro: "O que faremos hoje, Montgomery?". E o segundo responde: O mesmo que fazemos todos as noites, Scott: Provar que Einstein estava errado".

O bom da Ciência é que não existe figuras em altares. Ninguém está tentando destruir uma religião. Faz-se as pesquisas porque queremos saber mais, saber ate onde o que sabemos é verdade ou mentira. Por centenas de anos nos privamos de certos experimentos por causar desconforto ou mal estar ao status quo. Só para vocês terem uma ideia, a teoria da Seleção Sexual de Darwin nunca foi posta à prova em sua época. Sexo era tabu e não podia se fazer experimentos a respeito. Só muito recentemente foi feito experimentos com pavões, a fim de saber se seu rabão colorido era um dos principais motivos para a escolha do parceiro (resumindo: sim, é). Agora, parece aos olhos da Imprensa (sim, sempre eles) que há uma guerra declarada entre Pró-Einstein e Anti-Einstein.

Em toda guerra só há perdedores.

Bom, o experimento foi refeito nas mesmas condições e apresentou o mesmo resultado, cujo artigo científico (detesto quando chamam "paper", bem como anglicismos desnecessários) pode ser lido AQUI. Isso pode parecer eloquente e definitivo, mas não é. Eu expliquei a principal argumentação contra este experimento: o tempo de medida dos neutrinos. Então, o pessoal do OPERA repete a medição do mesmo modo? Se houve um erro de metodologia, como se espera obter algo diferente?

Phil Plait (dono do que eu acho ser o melhor blog sobre Astronomia), também questiona este experimento da maneira como foi feito. Ele reconhece que houve um modo diferente de se produzir os neutrinos, mas o método de medição do tempo ainda se manteve. É uma questão de saber o ponto de partida e de chegada de um determinado neutrino. Como é impossível medir UM neutrino, eles medem aquela maçaroca de partículas e fazem o estudo estatístico de quão rápidos eles podem ter sido. Nas palavras de Plait:

A maioria das pessoas, inclusive eu, acha que a maneira como eles cronometraram o experimento pode ser a fonte do problema. Este segundo experimento utilizou as técnicas de tempo igual ao primeiro! Então, se essa é a origem do erro, isso realmente não muda nada.

Ok, mas o que outros cientistas poderiam dizer sobre isso? Agora a porca torce o rabo, pois um segundo grupo de cientistas ligado ao mesmo laboratório trouxeram resultados que rejeitam as conclusões dos colegas, demonstrando que este "corporativismo" entre cientistas do mal simplesmente não existem. Não é um laboratório rival que apresentou um resultado discordante, mas cientistas que trabalham NO MESMO laboratório. A coisa está ficando cada vez melhor. :D

A abordagem dos cientistas do projeto ICARUS foi diferente. Eles publicaram um artigo científico  em que argumentam que as medições divulgadas não são possíveis, simplesmente porque as partículas medidas no destino tinham exatamente a mesma energia das que partiram do acelerador de partículas LHC do laboratório CERN, que foi o ponto de partida.

Thou shall not violate the Second Law Of Thermodynamics!

De acordo com o dr. Sheldon Cooper, digo, Sheldon Glashow (um mané que não sabe nada de Física e sabe Ártemis o porque de darem um prêmio Nobel a ele) disse que os neutrinos The Flash deveriam ter perdido um pouco de energia em sua viagem da Suíça para a Itália. Mas esta perda não foi observada quando os resultados foram re-examinados. Então é isso? Além de violar a Teoria da Relatividade Especial eles violaram leis naturais sobre energia? (não que isso não seja possível, mas o Marcelo Gleiser gosta de dizer que se sua teoria viola todas as leis da Física, você pode estar certo, mas se ela viola apenas a 2ª Lei da Termodinâmica, então ela está peremptoriamente errada).

Os cientistas do ICARUS, a energia medida é exatamente a esperada para neutrinos à velocidade da luz, e não mais. Segundo o dr. David Wark, catedrático do Departamento de Física de Alta Energia do Imperial College de Londres, disse que neutrinos simplesmente não poderiam ter ultrapassado a velocidade da luz e, ainda assim, chegarem com a mesma quantidade de energia como quando começaram sua viagem.

Em outras palavras: ou teremos toda uma revolução na Física (o que não é inédito nem tão incomum quanto pensam) ou temos erros de medição, no que eu sinceramente aposto.

Eu sempre digo que a Ciência nunca está errada. Ela se corrige. Ciência não é uma pessoa, não é uma instituição, não é a reunião de todas as universidades do mundo. Ciência é tão-somente tudo oque produzimos até hoje em termos de conhecimento, pois scientia significa conhecimento.

Só os jornaleiros pensam que há uma batalha dos adoradores de Einstein contra dissidentes. Ele está lá, além do vácuo quântico, observando a todos nós, satisfeito por ninguém querer endeusá-lo, tomando seus escritos como a Verdade Definitiva, escrita numa tábua de pedra. Um dia, quem sabe, conseguirão provar que sua(s) ideia(s) estava(m) errada(s). Isso apenas nos lançará numa nova era de novos conhecimentos, que trarão coisas maravilhosas que só no mundo da imaginação poderemos sonhar. Enquanto isso não acontece, resta-nos uma simples mensagem:


Fonte: Daily Mail

10 comentários em “Os neutrinos já podem ser ditos como mais rápidos que a luz?

  1. Também aposto em algum erro experimental,especialmente pelo fato dos neutrinos terem massa de repouso ínfima mas não nula,o que geraria uma massa infinita na velocidade da luz.E ainda tem o problema de achar laboratórios que permitam tais experimentos,enfim, um imbróglio teórico e experimental…

  2. “A abordagem dos cientistas do projeto ICARUS foi diferente”

    Cientista para entrar neste projeto tem que ser da elite. :mrgreen:

    uhu

  3. Que exista algo mais rápido que a luz eu não duvido, o que é complicado é provar, já que todos os instrumentos de medição se baseiam na tal da LUZ e pra fazer experiencias é preciso um espaço muito grande.

    Presumo eu, é claro e eu não entendo bulhufas de física.

    O que eu duvido é que encontrem algo mais rápido do que a fofoca. Se um cientista na áustria diz que encontrou um neutrino mais mais rápido do que a luz, imediatamente um japones já tá sabendo que ele usou o experimento como desculpa para sair com a estagiária do 2o andar.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s