Quando uma brincadeira de rádio se tornou fatal

Rádio é um incrível veículo de massa. É um poder fenomenal, mas você sabe o que o Tio Ben pensa sobre grandes poderes. E foi uma irresponsabilidade que causou uma morte. Uma morte que seria evitada com uma única palavra. Mas essa palavra não veio e aconteceu o que aconteceu: uma família perdeu a sua mãe.

A KDND era uma rádio FM que operava na frequência de 107,9 MHz, licenciada em Sacramento, Califórnia. Era uma emissora de programação jovem, com as tradicionais brincadeiras e concursos. Um deles daria um imenso problema, e o dia em que se deu a tragédia foi 12 janeiro de 2007, durante programa matinal da KDND, os locutores anunciaram um concurso cujo prêmio era o cobiçado Nintendo Wii. O título do concurso era Hold Your Wee for a Wii (Segura o Seu Xixi Por Um Wii) e era para os participantes que lá estivam beberem o máximo de água possível sem ir ao banheiro.

A produção entregava garrafinhas de cerca de 225 ml para os participantes beberem a cada 15 minutos, e à medida que iam bebendo, mais água era entregue. Uma das participantes foi uma jovem mãe de 28 anos chamada Jennifer Strange. Enquanto os apresentadores do programa estimulavam todos a beberem mais e mais água, Jennifer queria continuar, ao ponto que vários iam desistindo por não conseguirem ficar sem ir no banheiro, mas Jennifer realmente queria aquele Nintendo, enquanto os DJ riam, debochavam e estimulavam mais e mais.

À medida que menos concorrentes iam ficando, garrafas maiores eram entregues pela equipe da produção, a começar por garrafas de 500ml, e os participantes tinham que continuar bebendo.

Depois de terminar em segundo lugar, Jennifer correu com a vencedora do concurso, Lucy Davidson, para o banheiro da estação para vomitar. Segundo Laura Rios, uma das colegas de trabalho de Strange na Radiological Associates of Sacramento, Jennifer havia falado a um de seus supervisores que estava passando muito mal e ia para casa, pois, sua cabeça estava doendo muito. Nas gravações, dá para ouvir quando Jennifer começou a se sentir mal, dizendo que a cabeça estava doendo e estava com vontade de vomitar. Laura disse ainda que Jennifer estava chorando e saiu, e foi a última vez que falou com a amiga. O corpo de Jennifer foi encontrado à tarde por sua mãe.

Durante o programa, algumas pessoas alarmadas telefonaram para a rádio avisando que grandes quantidades de água poderiam fazer muito mal, o que foi absolutamente ignorado pelos locutores, enquanto estimulavam mais e mais.

Jennifer acabou desmaiando em casa e chamaram o serviço de emergência. Infelizmente, ela não resistiu e acabou morrendo pelo que foi atestado como intoxicação por água e hiponatremia, quando os níveis de sódio no sangue ficam extremamente baixos. Tecnicamente, o que Jennifer fez foi diluir seu sangue de forma absurda, já que ela não eliminou a água excedente em seu organismo, e eu nem sei como ela conseguiu segurar a urina.

Isso gerou uma celeuma. Os apresentadores foram acusados de promover uma competição que sabiam poder dar errado, mas eles alegaram que não sabiam que ingestão de grandes quantidades de água era fatal.

Aqui uma reportagem em que um dos apresentadores tenta se defender:

Isso não colou, já que, em 2005, um estudante tinha morrido por ingerir água em excesso e profissionais de saúde ligaram para a emissora para alertar do perigo eu era beber tanta água assim sem ir no banheiro, mas os apresentadores disseram que sim, sabiam; e mesmo assim continuaram, chegando a debochar de Jennifer, dizendo que a barriga dilatada dela a fazia parecer uma grávida de 3 meses.

O porta-voz do Departamento do Xerife do Condado de Sacramento disse que nenhum policial investigaria a morte, posto que “foi um concurso e as pessoas estão dizendo que não houve coerção”. Isso levou a severos protestos já que, em princípio, a KDND tinha responsabilidade pelo que ocorrera, dada a sua grande exposição.

Em 17 de janeiro, John McGuinness, então xerife de Sacramento, estava tão pressionado com os acontecimentos que ordenou que os detetives de homicídios investigassem se um crime havia sido cometido. Em 2 de abril, o Gabinete do Procurador Distrital do Condado de Sacramento se recusou a apresentar acusações criminais, citando uma “falta de provas de má conduta criminal”. Isso não impediu os familiares de moverem um processo civil contra a emissora e os locutores.

John Geary, vice-presidente e gerente de marketing da Entercom Sacramento, proprietária da KDND, disse que os funcionários da estação ficaram chocados quando souberam da morte de Jennifer. A Entercom, dona da KDND acabou sendo processada por homicídio culposo pela família de Jennifer, que também instou que a FCCC, a Comissão Federal de Comunicações, tomasse uma providência também. A FCCC investigou o incidente e cassou a emissora.

A Entercom demitiu 10 pessoas no KDND, incluindo o gerente da estação Steve Weed, o chefe de promoções Robin Pechota, a produtora Liz Diaz e as cinco pessoas envolvidas no programa: Adam Cox, Steve Maney, Patricia Sweet, Matt Carter e Pete Inzerillo. A direção da emissora pediu desculpas publicamente e enviou conselheiros de luto para a estação nos subúrbios de Sacramento e repetidamente expressaram pesar pela tragédia, mas isso não demoveu a família do processo. Em 2009 saiu o veredicto: a Entercom estava condenada a pagar uma indenização de 16 milhões de dólares à família de Jennifer Strange.

De quem é a culpa, afinal? Ganância de alguém que queria um cobiçado video-game? Da produção que insistiu em continuar com o programa? Dos locutores que foram avisados, mas isso só os fez debochar mais ainda? Talvez de todo mundo, mas isso não exime a emissora. Vários acidentes com resultados fatais já tinha acontecido antes por causa de concursos de rádios. Sim, parece bizarro você morrer por beber água, mas lembre-se que você está cada dia morrendo um pouco por causa do altamente oxidante e tóxico oxigênio.

Descanse em paz, Jennifer. Você achou que não tinha problemas. Podia ter parado, mas não parou. Não creio que a culpa seja sua, afinal.

2 comentários em “Quando uma brincadeira de rádio se tornou fatal

  1. Acho que todo mundo tem um pouco de culpa, mas Jennifer é a menos culpada – se soubesse que água em excesso mata talvez nem teria entrado no concurso, ou teria desistido antes. A rádio mereceu a punição e a condenação, e a polícia, shame on then por esperar a opinião pública ficar ruim pra tomar uma atitude. O procurador merece uma porrada.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s