A ciência de tomar uma cachaça

Ciência é algo tão ao nosso redor que nem sempre nos tocamos disso. Alguns hábitos que temos têm detalhes científicos escondidos, ainda que não percebamos. Isso acontece até mesmo no simples provar de uma cachacinha marota. Não, a parte de mandar uma pro santo não tem fundamento científico. Estou falando de prender a respiração, mesmo, enquanto prova a mardita. É isso que você aprenderá com a volta do LIVRO DOS PORQUÊS.

Nestas minhas férias, enquanto pessoal estava indo à praia e ficar quarando que nem roupa numa areia quente em meio a um sol senegalesco, eu estava fazendo tour pela serra e numa das paradas fomos parar numa destilaria de cachaça artesanal.

O guia explicou desde o plantio da cana, moagem, fermentação, destilação e purificação da cachaça. Claro, não é como os Velho Barreiros da vida, posto que cachaça artesanal tem um sabor bem diferenciado. Antes da sessão de prova de sabor de diferentes cachaças (a melhor parte da visita, obviamente), o guia explicou a maneira certa de provar a cachaça: tomar um gole, manter a boca fechada e engolir, sem respirar pela boca. O motivo que ele deu foi que o oxigênio junto a cachaça faz volatizar o álcool e isso dá um sabor ruim; mas não é bem isso.

Quando você vira o copão de uma vez, o corpo entende que você está bebendo “água” que você não deveria beber. O cérebro interpreta como uma substância tóxica e liga os botõezinhos que tem gosto ruim para você cuspir fora. O cérebro não está (muito) errado. A questão é que o oxigênio da inspiração faz com que os vapores de etanol da bebida sejam oxidados a aldeídos, o que é, sim, tóxico (mas é pequena quantidade, você sobrevive), e tem gosto inerentemente ruim.

Então, não. Cachaça é bebida, saboreando-a devagar e em goles curtos. Virar copo é coisa de cachaceiro metido a machão, não uma pessoa que aprecia a bebida. É coisa de gente que aprecia ficar bêbado e agir feito um imbecil. Quem aprecia a boa bebida e sabe ciência consegue apreciar melhor as coisas. Nem que seja um copo de manguaça.

Tim-tim!

5 comentários em “A ciência de tomar uma cachaça

  1. Выпьем за здоровье и науку!

    Não, a parte de mandar uma pro santo não tem fundamento científico.

    Tem pra Psicologia Comportamental, como qualquer superstição. 😇🙏

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s