Qatar age como o Qatar e todo mundo fica bolado por não ter manguaça disponível

A ingenuidade, burrice e estupidez coroam o modo asinino de pensar das pessoas. Um exemplo são aqueles que veem uma Copa do Mundo sendo realizada num país árabe e pensar “puxa, legal. Poderei ir lá e desfrutar do país, tomando uma cervejinha, vendo umas mulheres peladas e/ou curtir uns bróders sarados”. Então, dão de cara com a Realidade, esta estraga-prazeres, e todo mundo com cara de MAS HEIN???

Numa decisão pra lá de esperada (para pessoas que sabem usar o cérebro), as autoridades do Qatar estão para proibir a venda de bebidas alcoólicas nos estádios durante a Copa do Mundo, deixando a patrocinadora do evento, a Anheuser-Busch InBev NV, de calças na mão, sem poder vender aquele mijo conhecido como Budweiser.

Metendo o pé na jaca bem longe da polícia religiosa, esta é a sua SEXTA INSANA! Continuar lendo “Qatar age como o Qatar e todo mundo fica bolado por não ter manguaça disponível”

Um vinho velho, marcante com notas distintas e de 8 mil anos

Encher a fuça de álcool não é novidade alguma desde a antiguidade. Mas quando falo “Antiguidade”, eu falo Antiguidade MESMO! Eu até citaria os relatos bíblicos, mas eles são muito recentes (par fins históricos), já que a redação final do Velho Testamento (a Tanakh hebraica) ficou lá pelo século 6AEC. Pessoal já enchia a cara antes disso, apesar de muitos crentes dizerem que o vinho da Bíblia era praticamente suco de uva, sem álcool, enquanto Noé dançou pelado, totalmente bêbado, e as filhas de Lot encachaçaram o pai para conhecê-lo melhor, em termos bíblicos.

Mas qual e o mais antigo exemplar de vinho já encontrado? Continuar lendo “Um vinho velho, marcante com notas distintas e de 8 mil anos”

A ciência de tomar uma cachaça

Ciência é algo tão ao nosso redor que nem sempre nos tocamos disso. Alguns hábitos que temos têm detalhes científicos escondidos, ainda que não percebamos. Isso acontece até mesmo no simples provar de uma cachacinha marota. Não, a parte de mandar uma pro santo não tem fundamento científico. Estou falando de prender a respiração, mesmo, enquanto prova a mardita. É isso que você aprenderá com a volta do LIVRO DOS PORQUÊS. Continuar lendo “A ciência de tomar uma cachaça”