Macaco de quatro é implantado e pode sair correndo (um dia)

A todo momento surgem tratamentos para devolver movimentos a paraplégicos e tetraplégicos, e quanto mais, melhor, já que cada caso é um caso. Entre cirurgias e exoesqueletos, Ciência tem provido bem novas tecnologias e tratamentos, que se tornaram baratos à medida que forem usados em larga escala, e o tempo de pesquisa e desenvolvimento for reduzido, o que acontecerá rápido se mais e mais técnicas aparecerem.

Agora, pesquisadores estão testando a implantação de um microeletrodo na medula espinhal para estudar a organização da mesma. Quanto mais se souber sobre a medula espinhal, mais fácil se resolverá problemas nela para que as pessoas tenham melhores prognósticos para voltar a andar. Ou andar pela primeira vez.

Tá, mas por que a medula espinhal é importante? Pense no cabo da sua internet que chega até seu roteador (eu usaria o exemplo do telefone, mas quase ninguém mais tem telefone fixo). Se você danificar o roteador, o sinal não é enviado direito ninguém mais em casa acessará internet de forma conveniente. Se cortar o cabo de rede que vem do provedor de Internet geral, neca de ficar acessando Netflix, youtube e aqueles sites questionáveis de anões tarados que usam armadura medieval em filmes BDSM com censura 40 anos.

A medula espinhal é uma parte complexa do sistema nervoso e recebe os comandos do cérebro (o provedor de internet). De lá, o sinal vai para várias partes do corpo, como regular a respiração, o movimento dos intestinos e os músculos dos seus braços, que serão muito requisitados durante o filme dos anões tarados. Se você danificar seriamente a medula espinhal, você pode ficar sem nenhum tipo de sinal, e seus pulmões não farão o trabalho deles. Você estará ferrado! Nada de respirar, quanto mais ver o filme dos anões.

A drª Vivian Mushahwar é professora da Divisão de Medicina Física e Reabilitação, do Departamento de Medicina, Universidade de Alberta. Ela estuda como a estimulação da medula espinhal pode ser usada para re-animar membros paralisados ??e melhorar a recuperação. Para isso, Mushawar e sua equipe estudam a estrutura organizacional da medula espinhal felina em comparativo com humanos, mas seus experimentos foram feitos em macacos, empregando um microeletrodo implantável para estudar a organização da medula espinhal dos símios.

Mushawar e seu pessoal usaram microeletrodos de platina-irídio de 75 µm de diâmetro, juntamente com um sistema estereotáxico montado na coluna para controle espacial altamente preciso da colocação dos microeletrodos.

Um procedimento estereotáxica é uma técnica minimamente invasiva de intervenção cirúrgica que usa um sistema de coordenadas tridimensional para localizar pequenos alvos no interior do corpo e para executar nestes alguma atividade. O sistema “lê” o corpo do paciente, e determina como será feita a intervenção. No caso, o implante dos eletrodos, que foram posicionados a cada 2 mm em uma direção e a cada 0,5 mm nas outras duas (você sabe, nós vivemos num mundo de 3 dimensões, com altura, largura e comprimento), permitindo o mapeamento volumétrico de alta resolução.

Depois do implante, vem a parte divertida: dar choques, mas não a ponto de eletrocutar a cobaia. A bem da verdade, a estimulação empregada usou intensidade de corrente elétrica entre 10 µA a 300 µA, com frequência de 50 Hz em cada local. Os movimentos dos membros foram estudados colocando marcadores refletivos nas principais posições dos membros e gravando com uma câmera.


Parece sado-maso com macaquinhos, mas é ciência. Juro!

Mushawar e sua galera da pesada examinaram quatro macacos submetidos a este procedimento, mapeando a região medular inferior, entre L2 e S1, criando um mapa funcional da medula espinhal, documentando como a estimulação em pontos precisos se traduzia em movimentos motores. Em outras palavras: meteram choquinho pouco distinguível para o macaquinho em nível consciente e ficaram observando se os músculos respondiam à corrente, gerando movimentos.

Obviamente não é pra hoje, nem para amanhã, mas os resultados mostram que estão no caminho certo, apesar da posição nada agradável, mas se ficarem calados, ninguém ficará sabendo, e você sai de lá com belo prognóstico de obter movimentos.

A pesquisa foi publicada no periódico Scientific Reports

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s