Pesquisa estuda por que homens não são a única causa da enxaqueca em mulheres

Mude a posição do herói que chega todo ano, fruto de uma chuva de ouro¹
Homo erectus foi pra vala por ser preguiçoso, disse pesquisador (palavras dele)


HOLD MY BEER!

A Ciência busca entender muitas coisas, em especial o que causa dor-de-cabeça nas mulheres. Um dos motivos pode ser o namorado delas como esse aí da foto. O que a Ciência não tenta entender, pois é perda de tempo, é POR QUE este Zé Ruela resolveu fazer isso (droga! Não tem piscina debaixo da minha janela).

Depois que a Ciência parou de se importar com o estúpido comportamento masculino, passou a se dedicar a coisas muito mais simples, como qual é o último dígito de Pi e por que mulheres têm mais enxaquecas que homens, e o que causa essas enxaquecas (cínicas dizem que é por causa dos homens, mas eu não tocarei neste assunto).

O dr. Antonio Ferrer-Montiel é pesquisador do Instituto de Biologia Celular e Molecular da Universidade Miguel Hernández de Elche, na Espanha. Ele busca entender quais os mecanismos que acontecem durante os episódios de enxaquecas, que não são aquelas dorezinhas simplesinhas. Sua pesquisa sugere que os hormônios sexuais afetam as células ao redor do nervo trigêmeo e conectam os vasos sanguíneos na cabeça, sendo o estrogênio o agente principal para sensibilizar essas células, desencadeando a enxaqueca.

O nervo trigêmeo é um nervo responsável pela sensação na face e funções motoras, como morder e mastigar. Ele é o maior dos nervos cranianos e vale por três, pois cada um dos dois nervos trigêmeos (você tem um de cada lado da cabeça) tem três ramos principais: o nervo oftálmico, o nervo maxilar e o nervo mandibular. Os nervos oftálmico e maxilar são puramente sensoriais, enquanto o nervo mandibular fornece funções motoras e sensoriais já que, caso não saiba, a mandíbula se mexe.

A pesquisa de Ferrer-Montiel avalia as diferenças entre enxaquecas em homens e mulheres, traçando correlatos com sistemas moleculares, isto é, procuram as condições em que determinadas substâncias ampliam a ocorrência dos episódios de enxaquecas. Não, não foi levado em conta homens que deixam a toalha molhada sobre a cama depois que sai do banho.

O que a pesquisa pareceu apontar é uma estreita relação entre o sistema trigeminovascular com a presença de hormônios sexuais, e como estes últimos atuam. Até agora, a bibliografia existente (pelo menos, as que o dr. Montiel pesquisou, não aquelas bobagens que andaram publicando aqui no Brasil como homeopatia para vacas) referencia que a testosterona (hormônio masculino) é um inibidor de enxaquecas, enquanto a prolactina (hormônio que estimula a produção de leite) parece agravar os episódios de enxaquecas. Esses hormônios fazem isso deixando os canais iônicos das células, que controlam as reações das células a estímulos externos, vulneráveis ??aos gatilhos da enxaqueca.

Agora, o dr. Ferrer-Montiel estuda mais a fundo o papel do estrogênio, que pelo que se sabe é um forte fator que causa a maior prevalência de enxaqueca em mulheres menstruadas, além de ter estreita associação com alguns tipos de enxaqueca com alterações relacionadas ao período nos níveis hormonais. Não apenas isso, a pesquisa está mostrando que o safadinho do estrogênio e as mudanças dos seus níveis sensibilizam as células em torno do nervo trigêmeo fazendo o imenso (e questionável) favor de facilitar um ataque de enxaqueca. Obrigado, Darwin!

A pesquisa é importante. Se descobrirmos como os hormônios reagem quimicamente de forma a agravar os episódios de enxaqueca, fica fácil criar medicamentos que minimizem-nos, fazendo com que as pessoas sofram bem menos. A Ciência é capaz disso. é capaz de coisas maravilhosas. Só é incapaz de impedir homens causarem este tipo de dor de cabeça às mulheres:


JÁ TÂMO QUARZI CABANDO,CHICO!

A pesquisa foi publicada no periódico.Frontiers in Molecular Biosciences

Mude a posição do herói que chega todo ano, fruto de uma chuva de ouro¹
Homo erectus foi pra vala por ser preguiçoso, disse pesquisador (palavras dele)

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!