Como o cheirinho de chuva pode lhe trazer doenças

As semelhanças morfológicas entre golfinhos e crocodilos
Pesquisadores estudam dentes de neandertais e descobrem muito do seu estilo de vida

Você conhece uma substância chamada Octaidro-4,8a-dimetil-4a(2H)-naftalenol? Não? E “Geosmina”,  conhece? Deveria. É o cheiro desse composto que você sente quando chove, o chamado “cheirinho de terra” ou erroneamente pensado ser “cheiro de bactérias”. Deve ser porque esta substância é produzida pela Streptomyces coelicolor, uma bactéria encontrada no solo.

Você já pensou no como esse cheiro se espalha? Bem, é para isso que existe a Ciência! Pesquisadores estudam como esse cheiro se dispersa, e acredite: é mais importante do que você e essa sua cara torta agora estão pensando.

O dr. Cullen Buie é pesquisador do Laboratório para Inovação em Energia e Microssistemas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Ele estuda difusão de aerossóis, o que é muito importante não só para sabermos como se espalha o “cheirinho de terra”. Este processo de dispersão é o mesmo que gotículas se espalham pelo ar, e essas gotículas não espalham só coisinha cheirosa, mas doenças por meio de agentes infecciosos, como quando você espirra e sai perdigoto para tudo que é balado, babando todo mundo. Algumas dessas “babas” são invisíveis e imperceptíveis. A gente respira, vai para dentro de nossos pulmões e estamos lascados, como em qualquer filme de ataques biológicos que se prezem (ou nem tanto).

Buie e seus colaboradores resolveram usar câmeras de alta velocidade e corante fluorescente para filmar gotas de água caindo em diferentes tipos de solo, de forma a estudar como as microgotículas se espalhariam pelo ar, já que isso que acontece quando chove.

Aerossois dispersando

O que eles viram foi um lindo balé de gotinhas pululantes catapultanado micróbios pelo o ar. Muito fofo! Em seguida, eles estudaram não só quanto tempo esses micróbios poderiam sobreviver (pelo menos, uma hora) e até onde eles poderiam viajar.

De acordo com a pesquisa de Cullen, a estimativa é que as bactérias podem viajar por quilômetros, dependendo dos ventos, e não arrastados para baixo por outros pingos de chuva. Ficou feliz? Se pensa que a chuva está limpando o céu, isso significa muito o contrário.

A pesquisa foi publicada no periódico Nature. Está para acesso de graça? Está para acesso de graça.

As semelhanças morfológicas entre golfinhos e crocodilos
Pesquisadores estudam dentes de neandertais e descobrem muito do seu estilo de vida

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • Natalia Fantini

    Desde pequena adoro tomar banho de chuva… Essa notícia me deixou triste.

  • EiligKatze

    Caceta! Eu adoro o cheirinho de chuva quando começa a cair……

  • Apocalyptica

    E eu achava que o cheiro era por causa do ozônio agindo como bactericida… Preciso de fontes melhores de informação.

  • Marcello Jacob

    Boa! Já havia lido algo a respeito, que a chuva não limpava, mas sim espalhava coisas por aí… De qualquer forma a chuva é necessária, e isso mostra como a Ciência também é … kkkk

    Muito bom o conteúdo do texto! Fácil de compreender e esclarecedor.