Sim, cigarro eletrônico também ferra com seu coração

Toda vez que eu falo de cigarros eletrônicos, sempre aparece um dependente químico para dizer o quanto eles são inofensivos, não fazem mal etc, apesar da quantidade bem maior de nicotina que tem lá. Dizer que respira melhor e tudo é como colocar uma moedinha debaixo do travesseiro e dizer que aquilo é que foi responsável por uma boa noite de sono. Mesmo que tenha pesadelos, ninguém vai pensar na moedinha, só quando tiver sonhos lindos e maravilhosos. E mesmo que o sonho não seja lindo e maravilhoso, a mente crédula fará com que acreditem nisso.

E agora o que nós temos? OUTRO trabalho mostrando que cigarros eletrônicos são uma bosta para a sua saúde. Mas claro que vão ignorar, né?

Um estudo da Sociedade Europeia de Cardiologia, baseado numa pesquisa com controle transversal de 42 usuários de cigarros eletrônicos, e-cigarrettes, e-cigs ou como querem chamar aquelas porcarias e não-usuários, mostrou a variabilidade da frequência cardíaca deslocada em direção ao aumento da predominância simpática, com a frequência baixa para alta frequência com um aumento significativamente. Além disso, a oxidabilidade das lipoproteínas de baixa densidade, que é uma medida do estresse oxidativo, foi significativamente aumentada nos usuários de cigarros eletrônicos habituais.

What the fucking Hell?

A versão TL;DR é “quem usa cigarro eletrônico está ferrando com o coração”.

O estudo realizado incluiu 23 usuários contumazes de cigarros eletrônicos (uso diário por pelo menos um ano) e 19 não-usuários, ambos nas idades entre 21 e 45 anos. Claro, os dependentes químicos de nicotina em doses cavalares falarão que é uma pequena amostra de controle, e até estariam certos, caso não houvessem outras pesquisas. Quando você compara 23 usuários com 19 não-usuários, dentro da mesma faixa etária, e as diferenças são gritantes, ops, sim temos indício sim. Aceitem que dói menos.

A pesquisa mostrou muito bem que usuários dos cigarros eletrônicos estavam mais propensos a ter aumento da atividade cardíaca por causa do aumento dos níveis de adrenalina e aumento do stress oxidativo que os não-usuários.

Stress oxidativo é uma condição na qual há um desequilíbrio nas reações do oxigênio e a desintoxicação desse mesmo oxigênio, porque, SURPRESAAAAAAAA, oxigênio mata suas células, mas elas possuem mecanismos para interromper isso (não completamente, e é por isso que elas envelhecem). Um sistema equilibrado faz com que as reações com o oxigênio sejam controladas, de forma com que ele reaja com os nutrientes e não fazendo das suas próprias células um nutriente, e entendemos por nutriente uma substância química que reagirá liberando energia por causa das quebras de ligações químicas. Como as células não são entidades mágicas, mas efetivamente compostas de substâncias químicas, elas podem sim, acabar sedo destruídas pelo oxigênio. Quando não há controle, o oxigênio chega como um animal, reagindo com um, reagindo com geral. E são os fumantes que são mais sujeitos a esse stress oxidativo, ou seja, o oxigênio chega lá no coraçãozinho deles fazendo um estrago.

A ideia retardada que os e-cigs não são tão nocivos quanto os cigarros convencionais por não terem aquele monte de porcaria é injustificado quando vemos que a nicotina por si só já causa um mal desgraçado e quando vemos que os e-cigs tem doses muito maiores, claro, a conclusão é que o sujeito está ferrado tanto quanto. Mas, obviamente, os dependentes químicos vão dizer que não. Você conhece algum crackudo dizendo que crack é nocivo?

E isso sem dizer que você, perto de um fumante de e-cigs, estará fumando passivamente mais do que perto de alguém que fuma cigarros convencionais. Parabéns a todos os envolvidos.

O estudo, que não será lido pelos dependentes químicos, foi publicado no periódico JAMA Cardiology.

6 comentários em “Sim, cigarro eletrônico também ferra com seu coração

  1. uma das autoras desse estudo deu uma breve entrevista no site https://medicalresearch.com/author-interviews/e-cigs-linked-to-adverse-cardiac-effects/31633/
    ao contrário do autor deste texto que tem uma posição absoluta e bem definida sobre cigarros eletrônicos antes mesmo da comunidade cientifica, a autora deixa claro ao ser perguntada “cigarro eletrônicos fazem tanto mal quanto cigarros convencionais?” ela responde que “ainda não tem resposta para a pergunta, mas estão trabalhando nisso” enquanto o autor afirma “A ideia retardada que os e-cigs não são tão nocivos quanto os cigarros convencionais…”, demonstrando sua posição tendenciosa.
    na afirmativa “quando vemos que os e-cigs tem doses muito maiores” vemos ? não … não vejo, a quantidade de nicotina é escolhida pelo usuário, se ele é um junkie que quer o máximo possível de nicotina ou alguém fazendo redução de danos iniciando em uma proporcão similar ao cigarro e reduzir aos poucos, a escolha é do individuo, assim como se ele quiser somente se exibir fazendo nuvens provavelmente optará por um liquido sem nicotina.
    lembrando que o estudo estava apontando para uma variação em relação a um grupo de controle de não fumantes, o estudo aponta o obvio: se você não tem nicotina no organismo introduzir nicotina no seu organismo terá resultados ruins, o estudo não fez uma comparação com fumantes para determinar se é igual fumar ou não, ou até onde ele pode ser usado para redução de danos.

    1. Agora você volta, leia TODOS OS LINKS e veja que eu falei com embasamento. Mas, sei lá, vc faz da vida o que quiser. Pode continuar com seu cigarrinho hipster

      1. começando do final: não é um cigarrinho hipster como o da foto, o meu vape pesa quase meio quilo, parece uma bateria de notebook, está mais para um trambolho deselegante… dá para melhorar a piada.
        sobre a leitura dos links, está se referindo ao artigo da jamanetwork contido no post ? sim eu li, a parte do embasamento é até questionável, já que o nome do site induz a pensar que se trata de ceticismo mas já tem uma posição bem definida enquanto a comunidade cientifica ainda estuda e debate com resultados variados(não citados nos seus posts, por algum motivo).
        se está falando dos ‘artigos relacionados’ apontado para mais artigos do tema neste blog, estou lendo aos poucos, por serem velhos não vou apontar minhas observações, mas o que está me incomodando um pouco na leitura é que transpira um pouco de arrogância e prepotência, não há preocupação em apontar aos fatos de forma mais neutra, ou educar e aprender, em um palpite pessoal me atrevo a dizer que os críticos e haters te incomodaram tanto nos comentários que abalou sua paciência para tais sutilezas, porém, como autor e vendo que de tempos em tempos artigos sobre o tema tem grande visibilidade acabou tendo um interesse e opinião sobre o assunto.
        voltando ao tema inicial, ao que eu sei a posição acadêmica mundial está mais para a seguinte:
        cigarros eletrônicos são seguros?: não
        cigarros eletrônicos são mais seguros que cigarros convencionais: provavelmente, porém, é necessário mais estudos de longo prazo, só será possível uma resposta definitiva daqui meio seculo ou mais.
        cigarros eletrônicos são eficazes se usados como terapia de reposição para abandonar o cigarro tradicional?: há divergências grandes de país para país, é um fenômeno até interessante artigos provenientes da europa e dos eua serem tão divergentes, enquanto há hospitais na europa distribuindo cigarros eletrônicos para serem usados dentro dos hospitais, nos eua há quem quer proibir como foi feito no Brasil seguindo a cartilha da oms.
        agora voltarei e lerei criticamente todos os posts relacionados faltantes conforme ordenado, e já que fui autorizado pelo ‘God’ a continuar com meu cigarrinho hipster, vaporarei, meu vício em nicotina não se alimentará sozinho.

  2. sobre o penúltimo paragrafo :
    “E isso sem dizer que você, perto de um fumante de e-cigs, estará fumando passivamente mais do que perto de alguém que fuma cigarros convencionais. Parabéns a todos os envolvidos.”
    Parabéns … há estudos que discordam:
    https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24336346
    esse é o mais recente que achei (não procurei muito):
    http://www.phrp.com.au/issues/april-2016-volume-26-issue-2/a-systematic-review-of-the-health-risks-from-passive-exposure-to-electronic-cigarette-vapour/
    * logicamente “fumar” o vapor alheio te coloca em uma situação em que você não está respirando ar puro, que seria o ideal e mais saudável, apenas houve um exagero ao afirmar que está “fumando” mais do que ao lado de alguém que fuma cigarros convencionais.

    1. Using an e-cigarette in indoor environments may involuntarily expose nonusers to nicotine but not to toxic TOBACCO-SPECIFICS combustion products. MORE RESEARCH IS NEEDED to evaluate health consequences of secondhand exposure to NICOTINE, especially among vulnerable populations, including children, pregnant women, and people with cardiovascular conditions.

      Ler é legal. que tal experimentar?

      The MAJORITY OF STUDIES determined that passive exposure to EC vapour may pose a health risk to bystanders. All papers encountered a number of limitations.

      OUR REVIEW found that the absolute impact from passive exposure to EC vapour has the potential to lead to adverse health effects. The risk from being passively exposed to EC vapour is likely to be less than the risk from passive exposure to conventional cigarette smoke.

      A MAIORIA dos estudos diz que sim. UM estudo diz que não.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s