Médica sem-noção culpa vítima de estupro por causa de vidas passadas

Objeção de consciência é quando você se recusa a fazer certas coisas que vão de encontro com sua filosofia ou crença pessoal, como é o caso de Adventistas não quererem trabalhar aos sábados. Você pode criticá-los, e achar ruim, mas se quem contrata aceita a condição, você tem mais é que calar a boca. Da mesma maneira, tem o caso para com partidos políticos, como foi o caso de uma pediatra que negou ser médica de uma menina, no que não era nenhum caso de urgência, pois isso ia de encontro com sua posição partidária, já que a mãe da menina é filiada ao PT. Levando em conta que a médica passou todas as informações imediatamente para um colega, ela não deixou a menina sem tratamento. Eu expliquei isso AQUI.

Aí temos o caso de uma médica doida que confunde as coisas e não atende uma criança vítima de estupro porque ela (a criança) estava possuída por espíritos, tinha karma e outras bobagens.

Uma pediatra de Rondonópolis, Mato Grosso, está tomando o senhor Processinho na cabeça. Isso porque ela teria dito à mãe de uma menina vítima de estupro que o crime foi cometido por culpa da criança. A médica sem-noção afirmou que a vítima tinha “uma energia sexual que puxou o tio para ter sexo com ela” e que não atenderia a criança, atualmente com sete anos de idade, porque não queria se envolver naquele “problema espiritual”.

Então, você vai me perguntar se não é o mesmo caso da pediatra que não quis atender a filha de uma petista, mas não é. É muito diferente! Já começa que espíritos não estão em nenhuma classificação do Classificação Internacional de Doenças. A dona inventou uma manifestação tirada do reto para não atender a menina vítima de estupro, e usou isso para culpar a menina. Preconceito religioso? Machismo? Não sei, mas com certeza é muito, mas MUITO diferente da outra pediatra, e eu nem disse que concordava com ela ou não. Eu argumentei mediante o código de ética médica.

A defesa, claro, fez o seu papel e jogou um migué apelando para liberdade de crença, consciência e de manifestação religiosa entre outras bobagens. Se continuar assim, médicos alegarão liberdade de crença para fazer passes ou dar comprimidos de farinha ou medicamentos diluídos até não poder mais e apelar para energias transdimensionais tiradas do reto.

Só que o palavrório não convenceu o pessoal do Tribunal de Justiça do MT, que alegou que “a pediatra praticou ato ilícito gerador de dano moral porque extrapolou os limites da boa conduta social e que ofendeu a mãe da criança ao atribuir à vítima a responsabilidade pela violência sexual sofrida, por supostas condutas imorais praticadas em vidas passadas”.

Traduzindo do juridiquês: vida passada de cu é rola!

O CRM-MT fez o que existe para fazer: abriu sindicância, claro. Todos são inocentes até que se prove o contrário. Diferente do que pensa a retardada que tascou logo um “vidas lavadas, passadas e engomadas” para justificar o estupro e dizer que a criança tem energia sexual forte e o coitado do titio estuprado não teve outra saída.

Mas lembrem-se: religião é uma coisa boa.


Fonte: G1

14 comentários em “Médica sem-noção culpa vítima de estupro por causa de vidas passadas

  1. O maior problema é a forma como o paciente foi tratado em ambos os casos.
    No primeiro a médica passou o paciente a um colega com todo o necessário.
    No segundo, ele deveria apenas recusar atender a criança e indicar um colega, tendo em vista “conflito” com o caso. Mas como ela resolveu fazer proselitismo religiosos com a familia, fez merda!

    1. Exatamente! Mesmo que o caso nem envolvesse religião (por exemplo, o médico diagnosticar uma doença sem fazer os devidos exames) já demonstraria uma tremenda falta de profissionalismo, pra piorar, vai lá e faz uma medição espiritual da criança.

  2. “Mas lembrem-se: religião é uma coisa boa.”

    Daqui a pouco chega a galera com a falácia do escocês de verdade: “Aaaah, mas essa médica não era religiosa de verdade”.

      1. Eu falei por causa da famigerada Sexta Insana.

        Se você entendeu qualquer outra coisa, não acha que perguntou pra pessoa errada?

        Por sinal, quando souber, posta por aqui. É interessante saber. Obrigado!

        1. Nestor foi vc q postou a materia…qdo eu faço uma pesquisa ou vou apresentar um trabalho, procuro ser profissional e respeitoso…sua resposta a minha simples pergunta…denota um carater fraco e valentia a distancia cousa q a internet dá aos tolos e aos q carecem de comedimento…seus tons asperos e jacosos…tenho certeza q tal arrogancia se dá somente atraves da net…quiça um dia nos encontramos e peço desde já q repita com a mesma forma e tonalidade sua falta de prudencia…admiro o cetismo.net e até admiro com q forma o andré leva em bom tom os alienados…mas vc nestor escolheu a pessoa errada p um resposta desmedida e sua substimaçao a minha pessoa….dps nao chore….e se nao sabe pesquisar uma materia e ir a fundo nela…dê a quem sabe o seu lugar….vou levar isso a registro.minha indignaçao aos admins do ceticismo e buscar na lei sua postura….enquanto a minha postura é de um homem q respeito e honra só dou a quem dá…paga pra ver…pois eu pago p ver sua animosidade frente a frente….e repito as materias do andre sao bem melhores….até breve e td d bom p vc….fica bem..

          1. Quando vocês aprenderão a usar reticências? Se não sabe usar vírgula ou ponto continuativo, não escreva. Enche de reticencias si priva falta de dominio da Lingua, Além de doer os olhos.

          2. Eu juro que não tentei ofender ninguém. Fiz apenas uma observação quanto à natureza da postagem e do site em que se encontra, uma pergunta retórica para te fazer perceber que foi isso que ocorreu, e um pedido honesto.

            Não tenho culpa se você se morde por tão pouco.

  3. “A sua filha não é vítima de nada, ela tem que se responsabilizar”.

    Caramba, a menina de SETE anos era uma tinhosa nas suas vidas passadas? Sensacional.

    1. “Seguimos a mesma religião, mas a minha interpretação é a única correta e todas as outras estão erradas. Eu e meus companheiros somos os crentes verdadeiros”

  4. Bom, sabendo o que já aconteceu com estrupadores em Rondonópolis, acredito que o real culpado da situação ( o Tio ) não ficará muito confortável atrás das grades.

    Sobre a médica, melhor o hospital demitir ela e contratar um padre. Ou melhor, contratar um médico de verdade.

    1. Bom, sabendo o que já aconteceu com estrupadores em Rondonópolis, acredito que o real culpado da situação ( o Tio ) não ficará muito confortável atrás das grades.

      Schadenfreude, né?

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s