A vida secreta nas profundezas do Atlântico

Qualquer um que tenha lido (ou assistido) Jurassic Park sabe que a vida sempre dá um jeito. Ela nasce em ralo de banheiro, fossas termais e até na casa do seu cunhado. Seja tardígrados seja aquela bactéria lazarenta que lhe dá uma diarreia monstruosa, podemos encontrar vida nos lugares ais esquisitos da Terra. E isso inclui lugares muito, muito longe, como alguns vários quilômetros…

Para baixo.

A drª Julie Huber é diretora adjunta do Josephine Bay Paul Center. Ela estuda o que anda por aqueles lugares molhados no meio do Oceano Atlântico. Apesar do Pacífico ser o maior oceano, o Atlântico é mais profundo. Nele vemos algo bem similar ao que temos “no seco” (sem trocadilho), como montanhas, vales, vulcões e a Cordilheira Meso-Atlântica, também chamada de Dorsal Meso-Atlântica. Tudo isso forma a crosta oceânica, em que chega a um ponto que não vemos mais areia, e sim o próprio basalto que serve de alicerce para tudo.

North Pond é uma área localizada a 22°45′ N e 46°05′ W. É este local aqui:


Tira o zoom

Como a água tem grande calor específico, ela ajuda a esfriar a crosta, e muitas fontes termais são encontradas por ali. Muitas vezes, com a água chegando a quase 100ºC, o que mataria a maioria dos seres vivos, mas extremófilos não estão lá muito preocupados com isso. Abaixo, um mapa de North Pond ilustrando o levantamento do fluxo de calor (profundidade medida em metros, como Jesus quis).

Várias expedições foram feitas ao local, e não. Você não pode ir lá. Você mal mergulha em piscininha jacuzzi. Ainda mais porque, para chegar naquela bagaça, só com equipamentos especiais, e esse seu snorkel comprado na última viagem para Paraty não conta. 

Os fluxos de água quente que circulam por lá vêm de fendas nas rochas, o que faz com que a agua quente (menos densa) suba, o que acarreta que a mais densa (e fria) entre por fendas em outros locais. Essa água fria é aquecida, lógico, se expande, fica menos densa e sobe de novo, formando uma circulação de água, refrigerando o solo oceânico, e esquentando a água ao redor, funcionando como uma máquina térmica que dá de presente à região um excelente local para vários seres vivos continuarem vivos, até que nosso senhor Cthulhu suba das profundezas.

Mas não só isso! este movimento faz com que a superfície ondule, o que ajuda na oxigenação da água (você achou que as bolhas da bombinha que oxigenava a água do seu aquário? Nope, é o movimento da água. Sim, eu sei que é um choque).

A equipe da drª Huber escreveu algumas linhas a mais na biografia da vida escondida no North Pond. Eles descrevem toda uma colônia microbiana que só falta criar um regime político por aquelas bandas. Essa colônia é bem diversificada e diferente do que se encontra em outros lugares.

O mesmo grupo de bactérias foi encontrado neste aquífero, mas o interessante é que dentro deste grupo havia várias espécies diferentes. Os pesquisadores, mais felizes que pinto na Fossa das Marianas (já que estas ficam no Pacífico) estão estudando a rica biosfera de lá, bem como alterações físicas e  químicas podem impactar nas coitadinhas.

A pesquisa foi publicada no periódico Scientific Reports e, claro, você vai me perguntar para que diabos você tem que saber disso. Sinceramente? Ter, não tem, assim como as demais pessoas não precisam se preocupar como fazer um Big Mac rapidamente, só que algumas realmente precisam.

Talvez seja inútil, mas só de saber a quantidade de tecnologia que se desenvolve com esse tipo de pesquisa, além do conhecimento propriamente dito, vale todo o trabalho. Quanto às bactérias, elas estão lá e estão só esperando para nos dizer seus segredos. Segredos guardados há bilhões de anos e que talvez nem saibamos que eles sequer existiam.

2 comentários em “A vida secreta nas profundezas do Atlântico

  1. Duvido que pelo menos algumas crianças não se apaixonassem por ciência se conhecerem a parte legal do trabalho.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s