De onde vem o ferro do planeta Terra?

Um dos principais motivos de você estar agora aí lendo este artigo, entre muitas coisas, é a magnetosfera. Este grande campo magnético faz com que partículas de alta energia desviem, formando as auroras, que são sinceras. Isso é devido ao imenso núcleo de ferro em convecção no interior da Terra, gerando um poderoso ímã. No manto, há uma bela quantidade de ferro disperso também, mas o problema que se segue é: de onde veio este ferro? De asteroides? Estranho, pois a Lua foi fuzilada por trocentos asteroides, tal qual a Terra, e parece não ter o metal por lá. Como ele se dispersou assim pelo manto? Não deveria ser um pedação apenas?

Afinal, de onde veio este ferro todo? Vontade divina? Jesus quis assim? Vishnu achou que seria uma ideia maneira? Hefestos estava sem ter com que trabalhar?

O dr. Stein Jacobsen é professor de Geoquímica do Departamento de Ciências Planetárias e da Terra, da Universidade. Ele se intrigou com a Terra ter tanto ferro assim e não a Lua. Ele estudou o valor teórico mais aceito para o ponto de vaporização de ferro sob altas pressões. Se a vaporização ocorreu a pressões mais baixas do que o previsto, uma peça sólida de ferro após o impacto pode dispersar-se em um vapor de ferro que cobriria a Terra formando uma chuva ferruginosa, ao invés de cair um blocão.

Péra. O que você está tentando dizer é que estava chovendo ferro? Metálico? Tipo, o planeta todo levou ferro assim, de mansinho? E de onde veio isso?

Vamos tomar como exemplo o meteorito Hoba. De acordo com fontes confiabilíssimascitation needed O meteorito Hoba é um meteorito que pode ser visto na fazenda de "Hoba West", próximo de Grootfontein, na região de Otjozondjupa na Namíbia. Este meteorito de respeito tem estúpidas 60 toneladas, e é o maior meteorito conhecido de um fragmento só. Ele tem alta concentração de ferro (cerca de 84%), e responde a algumas de nossas perguntas, mas não todas.

Assim, ao cair na Terra, outros meteoros ferruginosos, como o de Tunguska, podem KABOOOOOOOM cair e abrir uma cratera imensa, mandando tudo o que estiver por perto direto ao encontro de Hades. Mas isso não significa ir parar em vários bolsões no manto. O ponto de ebulição do ferro é de 3023 K. Em altas pressões, esse valor será maior, claro. Mas lembre-se que ele está caindo bem de fuça com a atmosfera, e mesmo assim já não vinha lá muito frio, dependendo de onde foi a sua origem, se sofreu choques no caminho etc.

Com o apoio do Laboratório Nacional Lawrence Livermore, Jacbsen partu para determinar um valor experimental para o limite de vaporização de ferro que iria substituir o valor teórico utilizado por décadas. Para isso, eles usaram a Máquina Z.

A Máquina Z é algo maneiríssimo. É simplesmente o maior gerador de raios X do mundo. Aquela bagaça foi construída para testar o comportamento dos materiais em altíssimas temperaturas e pressões. Sua panelinha de fazer feijão? Esquece! Isso é briga de cachorro grande, cumpade. Esse troço vindo das profundas é operada pelos laboratórios Sandia National Laboratories para a pesquisa e simulação de armas nucleares.

Péra! Bomba nuclear? Nuke? Arma de destruição em massa de cogumelo do mal?

Yep!

Eles usam a Máquina Z para acelerar metais para velocidades boçais por meio de campos magnéticos. Apontam o negócio pra um alvo, ou seja, uma chapa de ferro 5 milímetros quadrados e 200 mícrons de espessura, contra a qual atiram placas de alumínio com velocidade de cerca 25 km/s, ou seja, 90 mil km/h. Com esta pressão de impacto, as poderosíssimas ondas de choque criadas no ferro fizeram-no se comprimir, gerou calor pra diabo e fez o ferro se vaporizar. Foi lindo. Ou imagino que tenha sido. Ninguém me convidou! :(

O resultado da brincadeira foi publicado no periódico Nature Geosciences, e mostra a pressão que cresce experimentalmente, cujo valor necessário para vaporizar ferro é de aproximadamente 507 gigapascals, 40% menor que a estimativa teórica anterior, de 887 GPa.

A Ciência provou que tinha errado? Não, só temos equipamentos mais precisos para corrigir nossos cálculos e nos dar ferramentas para fazermos outros cálculos, que poderão ser comprovados ou não. O que interessa é que já temos mais pistas sobre o que aconteceu com nosso planeta, o que podemos esperar de outros planetas e ver como a Natureza não é boazinha, não segue padrão pré-determinado e não dá a menor bola se outro pedregulhão desses cair nas nossas cabeças.

2 comentários em “De onde vem o ferro do planeta Terra?

  1. “é de aproximadamente 507 gigapascals, 40% da estimativa teórica anterior de 887 GPa”
    Você quis dizer 40% menor, né?

  2. Uma forma de determinar a POSSIBILIDADE de vida inteligente em outros sistemas (minha opinião) seria observar se a atmosfera do local (planeta ou satélite natural) consegue sustentar fogo e também boas quantidades de ferro para o desenvolvimentos de civilizações mais avançadas.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s