Delete este post!

O mundo está chato, irritante e irritadiço. Tudo o que você fala é ofensivo. Sua opinião é muito bem-vida, desde que siga o princípio de Voltaire do Mundo de Qward: "Você tem o direito de ter a opinião que quiser, desde que concorde comigo". Você não pode opinar, tudo será errado. Não pode se posicionar, não pode ter gostos. Não pode nada. Só pode acatar o que os outros querem, mas isso ofenderá outras pessoas, e você terá que agradá-las também.

Viver e opinar é uma eterna prisão em todos os círculos cármicos.

É gente que se ofende porque um usa turbante (como se os antigos gregos não usassem, os indianos não usassem ou muitas outras sociedades). Há aqueles que se ofendem porque fulaninho usou roupa que parece similar à de um determinado país. Querem o quê? Culturas isoladas? That’s not gonna happen. Somos o que somos hoje por causa da mescla de culturas, ou ainda estaríamos em uma caverna úmida, enquanto Gronk e sua família estão quentinhos por causa de uma parada chamada "fogo", mas eu não quero me misturar com aquele filho mãe, certo Khara. Khara? Você tá me ouvindo,meu bem? KHARA????

É natural que culturas se misturem. Tão natural que não precisa ser consciente. Há algum tempo vemos crescer o pessoal comemorar Halloween; É legal, é divertido de brincar… Por que não? O futebol brasileiro anda um cocô? As pessoas acabarão preferindo um espetáculo esportivo de primeira qualidade, bem organizado e um show áudio visual. É por causa disso que o NFL, a liga de (aquilo que os americanos chamam de) futebol dos EUA. Há um bom tempo, a febre era acompanhar a NBA. Boxe perdeu a graça, dando lugar ao MMA.

Nossa alimentação sofre influência. Pergunte ao seu querido hambúrguer, kibe, macarrão, pizza, bacalhau, sorvete etc. O que foi criado aqui no Brasil? Nada, pois eram receitas derivadas de outras receitas. Nossa vestimenta vai muito além de um ridículo, o que vocês querem é reclamar. Sabe a sua geometria? É grega. Sistema jurídico? Romano, do mesmo lugar onde saiu seu alfabeto. Numerais? Índia e Império Árabe. Objetos de consumo? Provavelmente feitos na China. Carnaval? Itália, mas encontrado também na Roma e Grécia. Cinema? Criado na França, mas o bom mesmo vem dos EUA. E você aí me falando "mimimi, roubaram meu turbante"?

Reclamam de homens, reclamam do tempo, reclamam até quando um coleguinha seu reclama… Não que reclamação seja ruim. O problema é que essas reclamações derivam apenas da necessidade de querer aparecer, de ficar mimimi olhem pra mim. O ostracismo, para vocês, é pior que a morte.

"Estou ofendido! Estou ofendido!" Bem-vindo ao mundo dos adultos, seus idiotas. Ninguém está aqui para lhe agradar. Ninguém está aqui para lhe servir. Sabe o garçom? Ele só lhe "serve" porque é a profissão dele e ele está sendo pago pra isso. Se depender dele, ele fia o dedo na sua sopa, mete a mão na sua cara e chuta a sua bunda. Ou mete a mão na sopa, chuta a sua cara e enfia o dedo na sua bunda. O que for possível no momento.

"Estou ofendido, estou ofendido!" Azar o seu! Por isso que eu gosto do que o Stephen Fry disse:

Agora é muito comum ouvir as pessoas dizerem: ‘Eu estou um pouco ofendido por isso." Como se isso lhes desse certos direitos. Isso é, na verdade, nada mais do que… uma lamúria, um choramingo. "Acho que isso é ofensivo" não tem nenhum significado; ele não serve pra nada; ele não tem motivo ser respeitado coma uma frase tipo "Sinto-me ofendido por isso". Bem, e daí, porra?

O culto ao ego, a forma como esse pessoal tem necessidade de aparecer, a maneira como ficam pelas redes sociais reclamando e indo em áreas de comentários de blogs chilicando, segundo soa aos meus ouvidos, pode ser bem representado por esta arte da Priss Guerrero do Rock Me On (especial pro Ceticismo.net):

9 comentários em “Delete este post!

  1. Esse tipo de gente vitimista sempre existiu, o problema é que com a internet eles ganharam voz ara chorar mais do que já choravam antes. Eu me lembro de quando o G1 tinha área de comentários (ah… tá bom, não faz tanto tempo assim, quando alguém usa a frase “eu me lembro de quando” mais parece que tudo aconteceu fazem uns dez anos) sempre apareciam uns desocupados para falar de política em matérias que não tinham absolutamente nada a ver com política, outros faziam comentários sem pé nem cabeça só ara ganhar atenção.
    O pior mesmo era quando saía uma notícia sobre exploração espacial e surgia um “sem mãe” com aquele mesmo argumento falacioso: ” hur dur um monti di jente paçando fomi e esse sientista gastando pra ir pra marti”. Isso tudo com celular de três mil reais, computador de dois mil, roupa de grife, duzentos reais gastos em farras no fim de semana e pouco se lixando para os necessitados.

    Dá até desgosto ler certas coisas.

    1. Nada melhor do que sentar na frente de um aparelho que é fruto de inúmeras pesquisas para reclamar que os pesquisadores ficam gastando dinheiro pesquisando enquanto tem gente passando fome na áfrica só pra parecer bonitinho nas redes sociais.

  2. André esse seu post é muito ofensivo, vou começar o mimimi alí agora ó…

    Realmente hoje tá rolando muita frescura das pessoas, vejo que não podemos opinar em nada que já ficam todos ofendidinhos pois estamos sendo maus e etc etc etc. Imagina só com alunos, temos que ter uma série de cuidados ao fazer qualquer comentário pois algum pode se sentir “constrangido” e aí já viu.

  3. O legal é que estamos vendo aparecer cada vez mais gente com “dupla personalidade virtual” com 2 perfis no Facebook: um para amigos e familiares e outro para discussões políticas e religiosas. Aparentemente essas pessoas tem medo do que as pessoas que elas conhecem no mundo real possam pensar das suas opiniões e não querem entrar em debate com elas fora do Facebook.
    Isso é muito estranho, na minha opinião, é como se eu entrasse no meu facebook 2 para criticar o catolicismo logo depois de chegar da missa de domingo que minha mãe me faz ir…

  4. Não sei se é permitido postar vezes seguidas, se não for, peço desculpas.
    Seu post me lembrou da última campanha contra o aborto que está rolando nas redes sociais.
    Aposto como 100% dessas pessoas nunca visitou um orfanato na vida, mas até pouco tempo atrás estavam compartilhando mensagens sobre a redução da maioridade penal e acusando os eleitodes da Dilma de terem votado nela porque recebem o bolsa família.

  5. Na
    boa. O primeiro parágrafo é de dar nó no cérebro. Altamente confuso.
    Pensa na bagunça. Você só pode fazer oq os outros querem, mas isso
    também vale para os outros em relação a você. É a situação mais
    perfeitamente próxima do caos que encontrei. Uma sociedade
    altamente e forçadamente altruísta. hehe. O restante do texto é
    repetitivo. Ele se prolonga demasiadamente na tentativa de desenvolver
    um tema que é comum a todos os seres humanos, ou seja, a necessidade de
    mostrar seu ponto de vista. Todos nós somos assim.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s