Richard Dawkins surta e ataca histórias da carochinha

Richard Dawkins é um dos mais conhecidos biólogos na área da biologia evolutiva; mas ele é mais conhecido ainda pelo seu modo gentil e tranquilo de se referir às religiões e crenças em geral. Ele é meio como Mario Cobretti, só que no caso ele acha que crenças são uma doença e ele é a cura, a ponto de achar que o Papa não só não é chefe de Estado, como tem que responder por crimes contra a humanidade (no caso, era o Bento XVI). Obviamente, ficou por isso mesmo.

Agora, Dawkins cismou que contos de fadas ferra com a mente das crianças, pois começa a impedir que a criança tenha raciocínio científico. Acho que Rick precisa tirar umas férias. De preferência lendo mais uma SEXTA INSANA!

Ao discursar no Festival de Ciência de Cheltenham, Dawkins disse que era "pernicioso" contar para as crianças histórias sobre fatos que eram "estatisticamente improváveis", como um sapo transformando-se em um príncipe.  Eu não sei ele, mas meu conhecimento e crianças me diz que só muito novinhas que elas acreditam nisso. Não, Dawins, aos 12 anos elas já não acreditam em Papai Noel ou na Fada do Dente, pensando em qual gadget que irão ganhar no aniversário, natal, fim-de-semana etc.

Contos de fadas existem há muitos, muitos séculos, sendo inclusive estudados em como determinadas histórias se espalham e suas variantes (ver As origens antigas dos contos de fadas). São histórias com fundos morais de respeito oas mais velhos, valentia, perseverança e heroísmo. Todos nós precisamos de heróis, a não ser que você queira que queimemos A Ilíada e A Odisseia, de Homero. Vamos destruir a Titanomaquia e destroçar os livros de Saci Pererê, porque, né?, ele ensina coisa errada como um pequeno afro-brasileirinho fumante que faz sacanagens com os outros, no melhor estilo Lei de Gérson. Que tal isso, Dawkinho?

Ele alegou também alegou que nunca acreditou em Papai Noel, sabendo que a figura que apareceu em sua casa no Natal era amigo de seu pai ‘Sam’. Bem, o que se pode dizer: SO WHAT? Não importa quem era, o que importa é que assimilou o papel. Repito, as crianças não são tão ingênuas assim. Chegue perto de uma de 8 anos e diga "gostei da sua mochila. Dá pra mim?" e quero ver ela dar, Ricky. Até parece que você nunca foi pai, cara!

É por causa dessas e outras que eu digo que livros como "Deus, um Delírio" é uma bosta, livro para ateu de fim-de-semana. Mitos e histórias heroicas existem desde que o mundo é mundo, mas só quem lê os trabalhos de Joseph Campbell sabe disso. Querer tirar o pouco de fantasia das crianças é como pegar um pavão e tirar todas as cores dele. Basta deixá-lo com as cores em volta. A Natureza não privilegia a beleza, mas não a exclui.

Ou então, não teremos mais histórias em quadrinhos, pois uma forte emanação de raios gama não te fará ficar verde e fortão. Não existe adamantium. Não é apenas o Sol Amarelo que te fará voar e nem existe um anel energético capaz de moldar constructos. Não existe o soro do super-soldado, nã é possível uma mutação genética fazer você controlar o tempo nem um raio caindo sobre você lhe fará ser o homem mais rápido do mundo. Não existem lagartões originados de uma bomba atômica nem é possível um humano copular com um ser de outro sistema planetário, a fim de gerar um filho.

Não será as histórias infantis que farão alguém ser um fanático religioso que renega a Evolução. Esse tipo de gente vem da intransigência. A mesma intransigência e virulentas opiniões como a sua, mr. Dawkins.


Fonte: Telegraph


ATUALIZAÇÃO

Dawkins não falou isso. Se tem alguém que falou merda foi eu. Vejam a correção: Dawkins NAO atacou contos de fada, eu que falei besteira

3 comentários em “Richard Dawkins surta e ataca histórias da carochinha

Os comentários estão encerrados.