Tenha seu próprio espectrômetro

Os romanos e gregos já sabiam das propriedades da luz em se dividir em várias "cores". Eles já sabiam que a luz branca era a soma de várias emissões luminosas, enquanto um pessoal tosco jogado lá pelo deserto palestino achava que isso era algum presente divino, aliança ou alguma bobagem neste sentido.infelizmente, os antigos estavam limitados às tecnologias de suas épocas.

Joseph von Fraunhofer estudou mais detidamente o espectro luminoso. Newton fez um bom trabalho (e Huyggens também, meu caro Neil deGrasse Tyson. Não fique bajulando Newton apenas, ok?). Com ele, Fraunhofer descortinou um novo mundo.

Fraunhoffer sabia que a luz branca era formada pelo espectro solar, as 7 cores que formam o arco-íris, que na verdade não são sete cores, mas aí dependerá do que você chama "cor" (ver. Quantas cores tem o arco-íris?). Meio que sem ter o que fazer, além de curiosidade, ele adaptou uma pequena luneta a um prisma e o resultado foi…


Clicai-me!

Fraunhoffer notou que algumas linhas estavam "faltando", o que fazia com que o espectro solar não fosse completo, como coisa que a Natureza está se importando com nossas ideias de perfeição. Mas Fraunhoffer não ficou só vendo o Sol, ele apontou seu espectrômetro para a Lua e viu as mesmas linhas faltando. Conclusão: A luz da Lua era a mesma luz do Sol.

Corolário: Ou a Lua é uma estrela como o Sol ou sua luz é o reflexo da luz do Sol, coisa que o próprio Galileu tinha falado antes. Quando você liga uma lanterna e aponta para uma parede, uma segunda pessoa verá a parede iluminada, mas sabe que algo a está iluminando. Foi isso que Fraunhoffer raciocinou, mas parece que sua pesquisa meio que ficou por aí. Esta técnica permitiu a vários cientistas estudarem estrelas, planetas e galáxias. Cada linha negra é um comprimento de onda absorvido, e isso é particular de cada elemento químico. Em suma, com base nas linhas espectrais, podemos dizer oque  está emitindo a luz.

Imagino, então, que você queira fazer isso em casa! Bem, com o Foldable Mini-Spectrometer (mini-espectrômetro dobrável), você pode se sentir o próprio Franhoffer. Como fazer um? Baixe o PDF com o layout e imprima. Use-a como guia para recortar um papel-cartão preto, usando o guia para dobrá-lo da maneira certa.

Com um estilete, corte (no local indicado, óbvio), uma pequena fenda. É por esta fenda que entrará a luz e, por dentro,uma janelinha, por onde você fará as observações. É nesta janelinha que você vai colar um pedaço de um CD sem a película metalizada. O CD funcionará como uma rede de difração, que fará o mesmo trabalho de um prisma, decompondo a luz.

O tutorial sugere que você acople um celular, máquina fotográfica ou webcam para ver as linhas espectrais, além de ser mais fácil para fotografar e examinar depois. É diversão garantida!


Fonte: AstroPT

4 comentários em “Tenha seu próprio espectrômetro

  1. “(e Huyggens também, meu caro Neil deGrasse Tyson. Não fique bajulando Newton apenas, ok?)”

    Em defesa do Dr. Tyson dê uma olhada no episódio 5 de Cosmos :D

    [],
    @acdesouza

    P.S.: Ao se referir a Neil deGrasse Tyson como Dr. Tyson, só eu vejo o Mike Tyson de Luvas e calção de boxe da Everlast, um óculos de grau preto pendendo à ponta do nariz e um jaleco branco?

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s