A história da hóstia da lata era pegadinha, e até nós caímos!

Grandes Nomes da Ciência: Ötzi
Salém revisitado: Hóstia da lata faz senhoras surtarem e atacarem padre

O bom de ser inteligente é saber que volta e meia estamos sujeito a falar bobagens. Ninguém está livre disso, assim como idiotas podem falar algo sensato de vez em quando (poder, podem. Se falam…). Notícias divulgadas na net sofrem do mal da rapidez da própria Internet. Tudo vira notícia rápido, é espalhado que nem doença. Sites informativos carecem de notícia a cada segundo para chapar na página da frente, não importa de onde vem a notícia. Veículos menores como o blog que você está lendo agora não deveria (em tese) sofrer disso, já que não ninguém é funcionário de ninguém, nem vivemos das notícias.

Este preâmbulo é para retratar-nos sobre uma notícia veiculada como fato, mas que era uma espécie de experimento comportamental. Me senti um pombo dançarino numa caixa de Skinner…

Caso você não se lembre, noticiamos ontem sobre uma hóstia com farinha estragada que fez as carolas da igreja de Campobasso agirem como maníacas psicóticas. Eu me baseei no que o Estadão veiculara, mediante a sugestão da Fátima. Eu ainda fui atrás da fonte do Estadão, o site Correio do Brasil e este, por sua vez, se baseou na noticia veiculada pelo site Abruzzo24Ore (links no artigo original). Se alguém me citar, estará citando o Cet.net, com fonte na Fátima, com fonte no Estadão etc etc.

Eu, particularmente, não vi nada de estranho no relato, posto que havia acontecido coisa semelhante em Salém, onde quase 200 pessoas morreram por causa da histeria popular, acarretado por "visões" de uma garota. Só que a história de Campobasso não é verdade, era uma pegadinha, um experimento comportamental, e eu sou um idiota por ter caído num telefone-sem-fio (mas não tão sem-fio assim, posto que eu fui até o site da notícia "original"). Isso acarretou um enxame de sites de notícia narrando o ocorrido (eu entre eles. "Duh" pra mim). Só que todos estavam repassando uma notícia que não era verdade. Que droga!

Há-Há! 4 parágrafos para dizer que escreveu merda. HAHAHAHAHAHAHAHA

Bom, vocês seriam menos que humanos se não achassem isso engraçado (e eu seria menos que humano se não desse um tiro na cara de quem ousar rir na minha cara). Como um site cético pode cair numa pegadinha? Simples: as fontes. Sempre pesquise as fontes originais (foi o que eu fiz), sempre procure relatos paralelos (foi o que eu fiz), sempre duvide de tudo oque você estiver lendo (er… fiz mais ou menos), sempre procure incongruências (procurei e não achei; o que não significa que não havia) e sempre questione tudo (er… mal aê, pessoal!)

O Abruzzo24Ore deve estar rindo até agora. Eles publicaram uma retificação, dizendo que aquilo não era verdade, mas que vários sites replicaram a notícia (maiores informações, inclusive com screenshots de outros manés que caíram na pegadinha, com o pai do Frankenstein).

Ninguém gosta de ser pego assim, mas reconheço a engenhosidade da coisa, e mais ainda o resultado bem expressivo. Somos uma sociedade, e uma sociedade só subsiste mediante a confiança mútua. Sem ela, não haveria sociedade e a probabilidade de nos mantermos vivos e saudáveis cairá drasticamente. Animais vivem em matilhas, cardumes, alcateias etc por simples sobrevivência. Quando um dos membros é espírito-de-porco, aparecem muitos problemas.

A notícia ganhou os trend topics internacionais do Twitter, e isso levou várias pessoas a repassarem uma notícia falsa, o que não me surpreende em nada. Já fiz pegadinha de 1º de abril e sempre tem um Zé Ruela que acha que aquilo era verdade (teve gente procurando pelo Dr. Omar Shariff, PhD <coloque quantas exclamações quiser>).

O que o Abruzzo24Ore mostrou foi que mesmo veículos sérios de informação e blogueiros cultos, inteligentes (prazer, André) podem ser pegos com relação a fontes. Eu já desmascarei muitas notícias erradas e critiquei quando as pessoas veiculam notícias e não voltam para acompanhar o ocorrido. Assim, quando o Alan Mussoi me mostrou que a história era um hoax, um boato, nada mais honesto para com vocês que eu retratar-me do erro cometido e pela notícia falsa trazida como verdadeira. Prometo solenemente que em algum momento isto voltará a ocorrer (sou honesto, pelo menos). Então, lembrem-se: ninguém é tão-tão que não traga algo errado. Isso é natural, mas é obrigatório admitir quando descobrir a natureza falsa da notícia.

Agradecimentos ao Alan Mussoi.

Grandes Nomes da Ciência: Ötzi
Salém revisitado: Hóstia da lata faz senhoras surtarem e atacarem padre

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!