Ultimate Gospel Fighting: Clérigos saem na porrada na Igreja da Natividade

Se Jesus tivesse realmente existido, ele estaria que nem a imagem ao lado. O problema nem é com ele, mas com o seu fã clube, que não perde a oportunidade de seguir os ditames do Príncipe da paz, Maravilhoso Conselheiro, o Consolador (êpa!) e glorioso filho de Deus. Aqueles conselhos maravilhosos sobre amor e harmonia, pregando a paz entre os homens de boa vontade. O problema é que os homens lá na Igreja da Natividade estavam com vontade de sair na porrada. Até polícia foi envolvida da peleja.

A Igreja da Natividade foi uma das "brilhantes" ideias de Constantino, o Grande. Ele resolveu, no alto de seu poder enquanto imperador, que deveria-se venerar o lugar onde Jesus nascera. Sendo assim, ele escolheu um lugar qualquer, mandou construir uma igreja e perguntou se alguém discordava dele. Como desde a Antiguidade manda quem pode, obedece quem tem juízo, ninguém contrariou o cara. Tempos mais tarde, Justiniano construiu o que acabou se tornando a atual Basílica da Natividade.

Como tudo no mundo, há os cristãos, cristãos novos, cristãos de verdade, cristãos que acham que são mais cristãos que os outros, cristãos sei-lá-do-que etc. O problema é que os diferentes grupos não decidiram quem é o que, e resolveram a parada de forma salomônica: dividiram a igreja em setores, onde um grupo não se mistura com outro, demonstrando que todos  são iguais perante os olhos de Deus.

A administração da basílica é dividida entre clérigos católicos romanos, ortodoxos gregos e armênios, os quais não se entendem desde o Cisma do Oriente. Todo ano há um ritual de limpeza da igreja que acontece depois dos festejos católicos e antes dos festejos do natal da Igreja Ortodoxa (sim, o motivo é este mesmo que você está pensando). Mesmo durante o ritual de limpeza há a regra de "nós-e-eles", onde cada um fica no seu quadrado e quando um atravessa os limites do "inimigo", a porrada come, e foi exatamente o que aconteceu!

Grupos de ambas as máfias religiões hostilizaram-se de madrugada na base de "eu sou cristão de verdade e sua mãe é mais gorda que a Esfinge". Os gregos, muito provavelmente, disseram algo sobre Maria andar com todo o time de futebol do colégio, enquanto os armênios, segundo fontes apócrifas que acabei de inventar, comentaram sarcasticamente que Jesus saía com Pedro pra pescar homens. Lúcifer estava lá no seu escritório nas profundas, puto da vida, reclamando da concorrência desleal, enquanto a porradaria comia solta com vassoura, balde, água e sabão.

A polícia foi chamada, mas teve problemas de chegar até o conflito, pois a entrada é dificultada pela chamada "porta da humildade", uma entrada apertada em que as pessoas só podem entrar curvadas. Ainda assim, os meganhas chegaram com seu habitual modo de chegar baixando o pau em todo mundo e perguntando depois, pois polícia é a mesma coisa em todo lugar do mundo (e idiotas metidos a bandidos também). No entanto, ninguém foi em cana para ver Jesus Quadrado. De acordo com o tenente-coronel Khaled al Tamini, "tudo está bem e as coisas voltaram ao normal. Ninguém foi detido, porque todos os envolvidos eram homens de Deus", sem esquecer de comentar que aquilo é trivial e acontece todos os anos, pois homens santos sabem pregar o amor e a paz entre as nações e seguem direitinho os conselhos do mendigo palestino que amaldiçoou aquele que se irasse com seu adversário. As informações são do R7 e a BBC até fez videozinho sobre o acontecido:

Se fosse aqui no Brasil, no dia seguinte os camelôs estariam vendendo protetores e luvas de boxe, aproveitando a demanda.

9 comentários em “Ultimate Gospel Fighting: Clérigos saem na porrada na Igreja da Natividade

  1. Cara… se eu tivesse por lá, já teria feito uma barraquinha de cachorro quente e aliciado alguns garotos para virar flanelinhas e guardar os carros ( evitando os arranhados e retrovisores quebrados ).

  2. Shuashuashua! Foi bem criativo o título dá até o nome de um jogo de luta, rsrs
    “Ultimate gospel fighting” Kkkk :lol:

  3. Qual a dificuldade da ALP chutar todo mundo de lá e pôr a basílica sob administração da autoridade palestina? Talvez se virasse um museu (como Hagia Sofia) seria mais lucrativo culturalmente para a comunidade em geral, afinal, é uma construção antiquíssima.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s