Grandes Nomes da CIência

Biografias de cientistas conhecidos ou não tão conhecidos assim. Curiosidades e fatos sobre suas pesquisas, inclusive gente anônima que fez ciência e não recebeu os devidos créditos. Mais »

Livro dos Porquês

A sabedoria e o conhecimento. Isso é Poder! Abra sua mente, aprenda mais sobre questões básicas (e complexas) e tire suas dúvidas, de forma mais didática possível, sem ser aquelas aulas chatas de colégio. Mais »

Grandes Mentiras Religiosas

O mundo não é tão bizarro quanto fazem parecer. Mentiras e enganações para ludibriar as pessoas, lindamente desmontados, de forma a trazer à luz a desonestidade para tentar lhe fazer parar de pensar e simplesmente aceitar o que querem que você pense. Mais »

Caderno dos Professores

Para quem quer ensinar e muitas vezes se pergunta como abordar um tema. Como deixar a aula interessante, como levar conhecimento aos seus alunos por meios que pedagogos lhe odiarão, mas serão amados pelos estudantes. Mais »

 

A Cisma do Oriente

papa_patriarca.jpgUm dos eventos mais significativos na história das religiões é a dissenção entre a Igreja Católica Apostólica Romana e a Igreja Católica Apostólica Ortodoxa. Esta dissenção vem de longa data e tem um nome: Cisma do Oriente. Esta briga entre católicos e ortodoxos e foi a causadora de sérias disputas e perseguições na Idade das Trevas.

Aqui estudaremos os fatos que levaram a esta briga e tentar entender o motivo das diversas vertentes cristãs não se entenderem (se é que algum dia seremos capazes de entender).

constantino.jpgRelembrando – No século IV Constantino I, primeiro Imperador de Roma a aceitar o Cristianismo como religião oficial do Império Romano, reuniu no ano 325 E.C., na cidade de Nicéia, o primeiro concílio ecumênico, que ficou conhecido como 1º Concílio de Nicéia, onde ficou definida a divindade de um tal de Jesus Cristo.

As Igrejas Ortodoxas, foram divididas em 5 partes:

  • Igreja Católica Ortodoxa de Alexandria;
  • Igreja Católica Ortodoxa de Constantinopla;
  • Igreja Católica Ortodoxa de Antioquia;
  • Igreja Católica Ortodoxa de Jerusalém;
  • Igreja Católica Apostólica Romana;

Ainda foram feitos mais seis concílios antes do cisma das Igrejas Ortodoxas e Romana. São eles:

? Constantinopla I (381)

  • Divindade do Espírito Santo, com o ensino da fórmula “Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado”(Símbolo Niceno-Contantinopolitano).
  • Condenação de Macedônio, bispo de Constantinopla, que defendia que o Espírito Santo não era Deus.
  • Divisão das Pentarquias.

? Efésio (431)

  • Maternidade Divina de Maria. Sim, até aquela época ninguém tinha se decidido se a gravidez fora divina ou não.
  • Condenação de Nestório que se opôs ao termo “Mãe de Deus”, porque abordava a divindade de Cristo de tal maneira que poderia ofuscar sua natureza humana, além de não aceitar o emprego de imagens, a não ser a cruz.
  • Em Cristo uma Hipóstase, a Divina. Jesus era Deus e pronto, acabou-se!

? Calcedônia (451)

  • Dualidade da natureza em Jesus Cristo, reafirmando que ele era homem e deus ao mesmo tempo.
  • Condenação de Eutiques, que ensinava o monofisismo, ou seja, a doutrina que admitia em Jesus Cristo uma única natureza, a divina. Como podem ver, uma hora não sabiam se a natureza de Jay Cee era divina, humana ou ambas. Eles esqueceram de perguntar ao próprio o que ele achava, mas aí é uma questão de fé de cada um. 😛

? Constantinopla II (553)

  • Condenou as obras escritas pelos seguidores do herege Nestório.

? Constantinopla III (680)

  • Dualidade de Vontades em Jesus Cristo, não contrariadas uma pela outra, mas a vontade humana sujeita à vontade Divina, uma espécie de “esquizofrenia santa”.
  • Condenação do Monotelismo, que defendia que o Jóquei de Jegue detinha apenas uma única natureza (a divina, é claro). Eutiques, arquimandrita dum mosteiro de Constantinopla, defendeu que, havendo uma só pessoa em Jay Cee, também devia haver uma só natureza, admitindo que a humana fora absorvida pela divina.

? Nicéia II (787)

  • Condenação do Iconoclasmo, para a erradicação da adoração de ícones religiosos, como as figuras sacras. Não sei qual é a diferença entre adorar ícones e imagens. É bem similar a adorar três figuras e se dizer monoteísta. Enfim…

Entendendo a Ortodoxia

Muito bem, depois de um breve resumo dos concílios, vamos examinar a Ortodoxia.

cruz_ominiatura.jpgA Igreja Católica Apostólica Ortodoxa (mais conhecida hoje por Igreja Ortodoxa – do grego ?????, reto, e ???? doutrina) tem entre seus fiéis os chamados de “cristãos ortodoxos”. A Ortodoxia é formada por diversas igrejas cristãs orientais que professam a mesma fé e, com algumas variantes culturais, praticam basicamente os mesmos ritos.

A autoridade suprema na Santa Igreja Católica Apostólica Ortodoxa é o Santo Sínodo Ecumênico, que se compõe de todos os Patriarcas chefes das Igrejas Autocéfalas e os Arcebispos Primazes das Igrejas Autônomas, que se reúnem por chamada do Patriarca Ecumênico de Constantinopla e sob a sua presidência, em local e data que ele determinar.

A autoridade suprema regional em todos os Patriarcados autocéfalos e Igrejas Ortodoxas autônomas é da competência do Santo Sínodo Local, que é composta dos Metropolitas chefes das arquidioceses sob a presidência do próprio Patriarca ou Arcebispo que convoca a reunião, marcando a data, o local e a ordem do dia.

Hoje em dia, tais Igrejas Ortodoxas Autocéfalas incluem os 4 antigos patriarcados orientais (Constantinopla, Alexandria, Antioquia e Jerusalém), assim como as outras dez Igrejas Ortodoxas que surgiram nos séculos posteriores, quais sejam: Rússia, Sérvia, Romênia, Bulgária, Geórgia, Chipre, Grécia, Albânia e Repúblicas Tcheco e Eslováquia.

Por iniciativa própria, o Patriarcado de Moscou concedeu o status de autocefalia a maior parte de suas paróquias nos Estados Unidos que passou a se denominar Igreja Ortodoxa na América; não obstante, o Patriarcado de Constantinopla reclama para si a prerrogativa de outorgar autocefalia e, por este motivo, outras Igrejas Ortodoxas ainda não reconhecem o status da Igreja Ortodoxa na América.

Existem 5 Igrejas Ortodoxas Autônomas que funcionam de modo independente no que diz respeito aos seus assuntos internos, porém, sempre dependendo canonicamente de uma Igreja Ortodoxa Autocéfala. Na prática, isto significa que a “cabeça” de uma Igreja Autônoma deverá ser confirmada em ofício pelo Santo Sínodo de sua Igreja-Mãe. Pensou que era feito de qualquer jeito? Não é não.

As Igrejas Ortodoxas de Finlândia e Estônia são dependentes do Patriarcado Ecumênico, enquanto que a de Monte Sinai depende do Patriarcado de Jerusalém. A estas 3 Igrejas Ortodoxas Autônomas deveríamos acrescentar as outras 2 Igrejas que Moscou outorgou autonomia: a Igreja Ortodoxa da China e a Igreja Ortodoxa do Japão, ambas filhas da Igreja Russa. Tais ações ainda não tiveram o reconhecimento oficial do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla.

Entendendo a Igreja Católica Apostólica Romana

cruz_rminiatura.jpgA Igreja Católica Apostólica Romana, ou simplesmente Igreja Católica (ou abreviadamente ICAR), na perspectiva do número de fiéis, é considerada a principal organização religiosa do mundo e o ramo mais importante do cristianismo. Ela se define notavelmente pelas palavras do Credo, como:

UNA – Nela subsiste a única instituição fundada por Cristo para reunir o povo de Deus;

SANTA – Esposa de Cristo, por sua ligação única com Deus e que visa, através dos sacramentos, santificar e transformar os fiéis;

CATÓLICA – Espalhada por toda a Terra e portando a integralidade do depósito da fé;

APOSTÓLICA – Fundamentada na doutrina dos apóstolos cuja missão recebeu sem ruptura.

Um dos traços que a caracterizam é o reconhecimento do Bispo de Roma (Papa para os íntimos), como sucessor direto do apóstolo Pedro e como vigário de Jesus Cristo. A adjetivação “católica” tanto é aplicada à Igreja Latina (de “rito latino”) quanto às Igrejas orientais católicas. Entretanto, é mais empregada referindo a primeira, sendo “católicos” os fiéis nela batizados, ou batizados em outras Igrejas particulares, de rito diferenciado, mas que nela tenham professado fé.

Segundo Marcos 16:14-15, aos apóstolos foi cabido divulgar o evangelho (boa nova) a toda criatura de todas as nações. Conseguem imaginar o camarada pregando o evangelho para uma ema? Eu tb não. Que tal um pigmeu antropófago? Um pensamento que não deixa de ter um certo “sabor”. 😉

Muito bem, Deus (supostamente) concedeu a Pedro, o pescador de homens (ui!), a ser transmitido a seus sucessores, da mesma forma permanece todos apóstolos de apascentar a Igreja, o qual deve ser exercido para sempre pela sagrada ordem dos bispos. Vocês queriam saber porque a ICAR ensina que os bispos, por instituição divina, sucederam aos apóstolos como pastores da Igreja, já que aqueles que os ouvem, ouvem a Jesus Cristo em pessoa, e quem os despreza, despreza J.C. da mesma forma. A boa e velha ameaça. Típico, não é mesmo?

Os católicos acreditam na Santíssima Trindade. Os pontos de vista católicos diferem dos ortodoxos em alguns pontos, incluindo a natureza do Ministério de S. Pedro (o Papado), a natureza da Trindade e o modo como ela deve ser expressa no Credo Niceno, assim como o entendimento da salvação e do arrependimento.

Os católicos divergem dos protestantes em vários pontos, incluindo a necessidade da penitência, o significado da comunhão etc. Esta divergência levou a um conflito sobre a doutrina da justificação (na Reforma ensinava-se que “nós justificamo-nos apenas pela fé”). O diálogo ecumênico moderno levou a alguns consensos sobre a doutrina da justificação entre os católicos romanos e os luteranos, anglicanos e outros.

E os cristãos continuam se entender maravilhosamente bem entre si


Sobre a Cisma do Oriente

cisma.jpgO Cisma Ocidente-Oriente, Cisma do Oriente ou Grande Cisma foi a cisão (cisma) formal da unidade da igreja cristã em igreja Oriental Bizantina (Ortodoxa) e a Ocidental (Romana), que tornou-se documentalmente evidente em 1054.

A palavra cisma, do grego ??????, schisma (de ??????, schizmo, “dividir”), significa uma divisão, normalmente ocorrida numa organização.

Bem, dá-se o nome de Cisma do Oriente ao período compreendido entre 1378 e 1417, durante o qual dois e, mais tarde, três papas reclamavam a sua legitimidade na direção da Igreja. Todavia, alguns autores (na visão dos ortodoxos, “errônea e abusiva”) designam de Grande Cisma esta divisão da Igreja do Ocidente nos séculos XIV e XV.

Qual foi a motivação da referida Cisma? Bem, o distanciamento entre as duas igrejas cristãs tem raízes culturais e políticas muito profundas, cultivadas ao longo de séculos. As tensões entre as duas igrejas datam no mínimo da divisão do Império Romano em oriental e ocidental, e a transferência da capital da cidade de Roma para Constantinopla, no século IV. Uma diferença crescente de pontos de vista entre as duas igrejas resultou da ocupação do oeste pelos outrora invasores bárbaros, enquanto o leste permaneceu herdeiro do mundo clássico. Enquanto a cultura ocidental se foi paulatinamente transformando pela influência de povos como os germanos, o Oriente permaneceu desde sempre ligado à tradição da cristandade helenística. Era a chamada Igreja de tradição e rito grego. Isto foi exacerbado quando os papas passaram a apoiar o Sacro Império Romano no oeste, em detrimento do Império Bizantino no leste, especialmente no tempo de Carlos Magno.

Havia também disputas doutrinárias e acordos sobre a natureza da autoridade papal. A Igreja de Constantinopla respeitou a posição de Roma como a capital original do império, mas ressentia-se de algumas exigências jurisdicionais feitas pelos papas, reforçadas no pontificado de papa Leão IX (1048-1054) e depois no dos seus sucessores. Para além disso, existia a oposição do Ocidente em relação ao cesaropapismo bizantino, isto é, a subordinação da Igreja oriental a um chefe secular, como acontecia na Igreja de Bizâncio. Uma ruptura grave ocorreu de 456 a 867, sob o Patriarca Ecumênico de Constantinopla, patriarca Fócio.

Quando Miguel Cerulário se tornou patriarca de Constantinopla, no ano de 1043, deu início a uma campanha contra as Igrejas latinas na cidade de Constantinopla, envolvendo-se na discussão teológica da natureza do Espírito Santo, questão que viria a assumir uma grande importância nos séculos seguintes.

Roma enviou o cardeal Humberto a Constantinopla em 1054 para tentar resolver este problema. No entanto, esta visita acabou do pior modo, com a excomunhão do patriarca Cerulário. Isso foi entendido como a excomunhão de toda a Igreja Bizantina e ao qual o Sínodo e Cerulário responderam do mesmo modo a Roma, excomungando o papa Leão IX. As Igrejas, através de seus representantes oficiais, também anatematizaram (denunciaram formalmente) uma a outra. A porradaria começou e ninguém mais se entendeu.  😯

Todo mundo excomungou todo mundo. Todo mundo foi condenado ao inferno um do outro. O Rabudão lá de baixo estava rolando de rir e o mundo começou a ficar ainda pior para aqueles que já não sabiam mais a quem estavam rezando. Foi preciso muita fé para ter-se apegado a alguma coisa nessa altura. 😀

Pelo sim, pelo não, a deterioração das relações entre as duas Igrejas contribuiu largamente para o triste e célebre episódio do saque de Constantinopla durante a 4ª Cruzada (1204) e o estabelecimento do Império Latino (Ocidental) por algum tempo. Isso aprofundou ainda mais a ruptura.

Houve várias tentativas de reunificação, principalmente nos conselhos eclesiásticos de Lyon (1274) e Florença (1439), mas as reuniões mostraram-se efêmeras. Estas tentativas acabaram efetivamente quando os turcos otomanos tomaram Constantinopla, em 1453, e ocuparam quase todo o antigo Império Bizantino por muitos séculos. As mútuas excomunhões só foram levantadas em 7 de Dezembro de 1965, pelo Papa Paulo VI e o patriarca Atenágoras I, por forma a aproximar as duas Igrejas, afastadas havia séculos. As excomunhões, entretanto, foram retiradas pelas duas Igrejas em 1966. Somente recentemente o diálogo entre elas foi efetivamente retomado, a fim de sanar o cisma.

Podemos resumir isso tudo no fato de que, após tantos conflitos, divisões, papas sem visão pastoral e universal, não é de se estranhar que, aos olhos do povo cristão, uma Igreja nacional, controlada pelo poder do Estado, fosse a melhor solução. Isso aconteceu e foi uma das causas que explicou o sucesso da Reforma Protestante na Europa. Ou seja, “já que está zoneado mesmo, vamos dar ouvido àqueles teólogo doido ali. De repente, ele resolve a parada”.

Na França, em 1438 se ratificou como lei estatal a Teoria Conciliar, a proibição de apelar para Roma como última instância, limitações dos direitos da Santa Sé nas nomeações para ofícios e benefícios na França. Somente em 1905, o Papa voltou a nomear os bispos franceses.

Na Alemanha, os príncipes usurparam a jurisdição eclesiástica em seus territórios com a imposição de taxas sobre os bens eclesiásticos. O sentimento anti-romano é muito forte, cunhando-se até a expressão “doutor em Roma, burro na Alemanha”.

Na Inglaterra, a descrença em relação a Roma se fortaleceu com o cativeiro de Avinhão: aos olhos dos ingleses o papa era instrumento do soberano francês contra quem a nação inglesa se empenhou em longa e violenta luta. Vários decretos do século XIV negam ao papa o direito de nomeação para os ofícios eclesiásticos ingleses, proíbem o apelo a Roma e a introdução das Bulas papais. De fato, a Igreja inglesa era independente de Roma.

Na Espanha, a unidade religiosa foi considerada básica para a unidade nacional. Em 1478 nasceu a Inquisição espanhola sob controle estatal. Em 1492, com a conquista da América, Portugal e Espanha adquirem o direito do Padroado, pelo qual assumiram o governo da Igreja.

Esses fatos podem explicar, em parte, o por que da tragédia religiosa do século XVI, qdo Lutero provocou a divisão religiosa e política da Europa cristã. Séculos de relaxamento pastoral no coração da Igreja Romana afastaram numerosos povos e nações. Lutero simbolizou, com seu gesto, as numerosas gerações que clamavam pela reforma da Igreja. Mas, isso fica para outro artigo.

In te Domine speravi ne confundar in aeternum:
In iustitia tua libera me
.

É em vós, Senhor, que procuro meu refúgio; que minha esperança não seja para sempre confundida.
Por vossa justiça, libertai-me…

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

  • Stan Bozi

    Eu acho que isso é umA cisma de ateus… É “O” Cisma do Oriente… Masculino!

    Administrador André respondeu:

    Eu li alguma refutação? Não? Ok, não esperava mesmo…

    Paul respondeu:

    @Stan Bozi,
    Eu acho que isso é…..
    Caro Bozi,
    Você é mais um que se orienta com a bussola “eu acho”?
    “Achismo” tem levado pessoas a qualquer ponto aleatório, menos onde quer se chegar!

    Stan Bozi respondeu:

    Ué? Precisa de refutação?

    Para quê?

    Achar deve ser verbo abundante. Mas, parece que não sabem suas diversas acepções…

    Além do que, para que é preciso refutar essas aleivosias?

    Administrador André respondeu:

    Para mostrar que eu estou errado, ué.

    Joseph K respondeu:

    @Stan Bozi,
    Você está querendo dizer que nada disso aconteceu? Que o relato histórico, documentado e confirmado, não é verdade? Acredito que você tenha evidências disso, por favor, compartilhe conosco.
    Para finalizar, qual a sua explicação para as datas da páscoa serem diferentes, em 2009?

    Stan Bózi respondeu:

    Bom! O que quis dizer, já disse: o voábulo “cisma” é substantivo masculino.

    Quem não entende o próprio idioma, não me parece lá muito apto a entender de Hermenêutica e Exegese…

    Joseph K respondeu:

    @Stan Bózi,
    Balela, não me importa nem se seu gênero é feminino, ou não; tenha a presteza de responder à minha pergunta, eu não tinha feito qualquer ataque à sua pessoa, não havia nenhum motiva para você adotar essa malcriadeza.
    Em tempo, você acha que os registros históricos são mentirosos? E qual a explicação que você dá, para o fato de termos datas diferentes para a páscoa cristã?

    Administrador André respondeu:

    O Coelhinho às vezes acorda com o ovo virado, sabe como é…

  • Robinson

    Andre tu poderia colocar alguma pesquisa relacionada a teologia desmascarando-a eu tenho uma impressao que essa porra de teologia (certificado de crente)esconde muitas coisas e é pura enganação. O meu cunhado é teologo e nao adianta mostrar pra ele as contradiçoes,as brutalidades ,a escravidaoe todas as besteiras encontradas na biblia ele facilmente ”refuta”me da um NOJO desse crente,procurei na internet um ponto fraco ,alguma sujeira oculta, as verdadeiras intencoes da teologia e nao encontrei nada .Nunca tive tanta raiva da teologia.

    Administrador André respondeu:

    Lembre a ele que a Bíblia ´[e divinamente inspirada e PROÍBE qualquer tipo de interpretação própria, posto que ela guarda a palavra de Deus. Logo, tudo que tem lá é literal, incluindo dragões e unicórnios.
    .
    Convide-o a vir aqui debater com a gente. Pode escolher qq artigo da seção Religião e tentar refutar o que colocamos lá. 😀
    .
    Não esqueça que ele é cristão e deve divulgar a Boa Nova. Estamos loucos pra conversar com ele. 😉

    Stan Bozi respondeu:

    Somente diz que a Bíblia não comporta interpretação quem nunca ouviu falar de Hermenêutica…

    Fala sério!

    Administrador André respondeu:

    Obrigado, você acabou de atestar que os redatores da Bíblia nunca ouviram falar de hermenêutica. 😀
    .

    1 Coríntios 4:6 – E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais A NÃO IR ALÉM DO QUE ESTÁ ESCRITO.

    .
    Não precisa se desculpar, troll. Apedeutas como você são tão comuns que nem nos surpreendemos mais.
    .
    Próxima besteira? 😀

    Joseph K respondeu:

    @Stan Bozi,
    Eu já ouvi falar de hermenêutica e exegese, ao que parece são atividades pseudo-intelectuais, com o intuito de mostrar que dragões, unicórnios e gigantes não são o mesmo que todos entendem por dragões, unicórnios e gigantes; além de tentar, com a devida tortura da gramática, justificar (ou esconder, ou desviar a atenção de) atrocidades que não são mais aceitas, pela sociedade contemporânea; que, em boa medida, não tolera as barbaridades narradas na bíblia.

    Stan Bózi respondeu:

    Pois é! Quando não se tem argumentos, parte-se para os ‘ad hominem’: “troll” e “apedeuta”, v.g.

    Nos meus parcos estudos hermenêuticos não cheguei, ainda, à lições acerca de dragões, gigantes e unicórnios…

    Quais as atrocidades não são mais aceitas hoje em dia? Quais as barbaridades bíblicas que a sociedade contemporânea não aceita?

    Quase todo o ordenamento jurídico brasileiro é lastreado no Pentateuco!

    ‘Quid juris’?

    Administrador André respondeu:

    1) Vc é troll sim. Não leu a REFUTAÇÃO, mostrando um versículo bíblico onde deixa CLARO que a Bíblia NÃO É pra ser interpretada. Além de troll e apedeuta, é analfabeto. Não é ad hominem, é constatação.
    .
    2) Seus parcos estudos são uma merda, como pôde ver. Estude mais, portanto.
    .
    3) O direito brasileiro é baseado no direito ROMANO e não no pentateuco. Por que eu digo isso? Nós não apedrejamos adúlteros, não matamos homossexuais, não banimos de acampamentos quem se masturba, não matamos indiscriminadamente mulheres e crianças, não rasgamos barrigas de mulheres grávidas etc etc. O Pentateuco é, no máximo, um livro de morte, aniquilação, misoginia, homofobia, xenofobia entre outras “fobias”.
    .
    4) Os dragões e unicórnios estão lá sim, basta procurar. Vc vai encontrar serpentes falantes, coacktrices, monstros marinhos, sátiros e muitas outras coisas vindas de mentes loucas.
    .
    Até mais, troll. ([email protected] | 200.140.135.117)

    Joseph K respondeu:

    @Stan Bózi,
    Tentei ter algum respeito por você, troll, mas você está dificultando essa árdua tarefa…
    Em primeiro lugar, você por acaso sabe o que é “ad hominem”, antes de vir falar essa besteira? Por acaso eu ataquei a sua pessoa? Se você acha que sim, aponte a frase, e talvez eu te dê uma aula de interpretação de textos, gratuita.
    O que fiz foi expor o que eu acho de “hermenêutica” e “exegese”, se você não concorda, exponha seus motivos, não fique com choradeira.

    Nos meus parcos estudos hermenêuticos não cheguei, ainda, à lições acerca de dragões, gigantes e unicórnios…
    Peça “por favor”, e tenho certeza que você obterá essas pérolas, aqui mesmo; se preferir (ou tiver vergonha na cara), vá estudar e talvez você ache por si mesmo.

    Quais as atrocidades não são mais aceitas hoje em dia? Quais as barbaridades bíblicas que a sociedade contemporânea não aceita?
    Vamos começar com algo do tipo… limpeza étnica (bonito, não? Na verdade é limpeza religiosa), com direito a matar homens, mulheres, meninos, meninas que “conheceram” homens; é claro que mantendo as meninas que não “conheceram” homens, para tomar para eles próprios, você acha esse comportamento aceitável? Que tal gravidez oriunda de incesto? Que tal vender a própria esposa DUAS vezes e dar uma de “migué”?

    Quase todo o ordenamento jurídico brasileiro é lastreado no Pentateuco!
    Errado. É claro que você não sabe nem o que é pentateuco, afinal não conhece a estorinha de que falo, logo acima. Vá estudar o direito romano, antes de soltar essas besteiras.

    Eu de novo respondeu:

    Legal! Estão sem argumentos…

    O direito brasileiro é derivado do direito alemão (germano-românico), tentativa dos juristas alemãos de ressuscitarem o direito romano.

    Apedeuta e analfabeto é quem tenta interpretar a Bíblia com base em um único versículo. Semelhante a quem quer interpretaro Direito desconsiderando todo o sistema. Ora, posso matar em legítima defesa? Ou serei apenado na forma do artigo 121 do Código Penal? Se for lido apenas esse dispositivo, obviamente quem mata em legítima defesa, estado de necessidade ou estrito cumprimento do dever legal será inexoravelmente julgado e condenado!…

    Fala sério!

    Administrador André respondeu:

    O versículo, meu caro [email protected] 200.147.165.26 é taxativo ao dizer para não interpretar.
    .
    Isso se chama Lógica. Se um versículo diz que não deve-se interpretar, este versículo TEM que ser literal. Se ele for interpretado, ele se contradiz. 😀
    .
    Vai estudar direito romano, vai.

    Administrador André respondeu:

    Leis maneiras…
    .
    Punição para quem trabalha aos sábados:
    Êxodo 31
    Seis dias se trabalhará, mas o sétimo dia será o sábado de descanso solene, santo ao senhor; qualquer que no dia do sábado fizer algum trabalho deve ser morto.

    Sobre não crer em deus:
    Deuteronômio 17, 2-7
    Levarás às tuas portas quem tiver cometido esta maldade, e o apredejarás até a morte.

    E se uma cidade não acreditar no deus judaico-cristão:
    Deuteronômio 13, 13-19
    … ferirás ao fio da espada os moradores daquela cidade, destruindo a ela e a tudo o que nela houver, até os animais. E ajuntarás todo o seus despojo no meio da sua praça; e a cidade e todo o seu despojo queimarás totalmente para o senhor teu deus.

    Levítico 24, 16
    E aquele que blasfemar o nome do senhor deve ser morto; toda a congregração deve apedrejá-lo.

    Sobre adultério:
    Levítico 20, 10
    O homem que adulterar com a mulher de outro deve ser morto, tanto o adúltero, como a adúltera.

    Sobre homossexuais:
    Levítico 20, 10
    Se um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher,ambos terão praticado abominação; devem ser mortos

    Sobre rebeldia:
    Levítico 20, 9
    Qualquer um que amaldiçoar seu pai ou a sua mãe deve ser morto.

    Deuteronômio 21
    Se alguém tiver um filho teimoso e rebelde, seu pai e sua mãe, pegando nele, o levarão aos anciãos de sua cidade, e à porta do seu lugar; e dirão aos anciãos da cidade:
    Este nosso filho é teimoso e rebelde; não dá ouvidos à nossa voz; é comilão e beberrão. Então todos os homens da sua cidade o apedrejarão, até que morra; assim exterminarás o mal do meio de ti

    Sobre incentivar auto-mutilação:
    Mateus 18, 7-9
    Se tua mão ou teu pé te fizer pecar, corta-o, lança-o de ti; é melhor entrar na vida aleijado, ou coxo, do que, tendo duas mãos ou dois pés, ser lançado no fogo eterno. E,se teu olho te fizer pecar, arranca-o, e lança-o de ti; é melhor entrar na vida com um só olho, do que tendo dois olhos, ser lançado no fogo eterno.

    Sobre o machismo:
    Conríntios 14
    As mulheres devem ficar caladas nas igrejas; porque não lhes é permitido falar; mas estar submissas como também ordena a lei. E se querem aprender alguma coisa, perguntem em casa a seus próprios maridos; porque é indecoroso para a mulher falara na igreja.

    Timóteo 2
    Que a mulher aprenda em silêncio com toda a submissão. Pois não permito que a mulher ensine, nem tenha domínio sobre o homem, mas que fique em silêncio.

    Sobre incentivo à escravidão:
    Êxodo 21, 20
    Se alguém ferir a seu escravo ou a sua escrava com pau, e este morrer debaixo da sua mão, deve ser castigado; mas se sobreviver um ou dois dias, não será castigado; porque é sua propriedade.

    Sobre a “misericórdia” divina:
    Isaías 13
    Todo o que for achado será trespassado; e todo o que for apanhado, cairá à espada. E suas crianças serão despedaçadas perante os seus olhos; as suas casas serão saqueadas, e suas mulheres violadas.

    Oséias 13
    Samária levará sobre si a sua culpa, cairá à espada; seus filhinhos serão despedaçados, e as suas mulheres grávidas serão fendidas.

    Números 31
    Agora,pois, matai todos os meninos entre as crianças, e todas as mulheres que conheceram homem, deitando-se com ele. Mas todas as meninas, que não conheceram homem, deitando-se com ele, deixai-as viver para vós.

    Filipenses 1:8 -> Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, OU COM FINGIMENTO ou em verdade, nisso me regozijo, e me regozijarei ainda.
    ========================
    Graças a Thor que a legislação do Brasil não tem nada a ver com o monte de merda que tem na Bíblia. Citar uma única lei não vale nada. 😀

    Aprenda sobre o Confucionismo. Verá que ele é muito melhor que este seu livrinho de bosta.

    Deimos respondeu:

    @André, Eu tenho a impressão de que o André está envolvido em aguma conspiração para conseguir dos crentes mais material para a sexta-insana. :mrgreen:

    hideiuke respondeu:

    @Robinson, Cunhado teólogo… e eu ainda acho a minha vida ruim às vezes…

  • Eu de novo

    Datas distintas para comemorar a Páscoa decorrem de cálculos diferentes.

    Assim, por exemplo, em Roma considerava-se o equinócio em 18 de março e em Alexandria em 21 de março.

    Há outros fatores influenciando o cálculo errôneo dos ortodoxos.

    Ademais, os concílios citados apenas confirmaram solenemente o que os cristãos já criam. Basta ler os textos patrísticos (anteriores a aludidos concílios).

    Administrador André respondeu:

    Mas Jesus não era um só?

    Joseph K respondeu:

    @Eu de novo,
    Você é a nata da coerência, em um momento diz:

    Quase todo o ordenamento jurídico brasileiro é lastreado no Pentateuco!

    Quando é mostrada a besteira que você disse, volta para dizer:

    O direito brasileiro é derivado do direito alemão (germano-românico), tentativa dos juristas alemãos de ressuscitarem o direito romano.

    E essa é a pessoa que quer ensinar aos outros, coisas que não sabe; por sinal você ainda não deu esclarecimentos sobre nada do que lhe foi perguntado, nem disse se estudou um pouco seu livrinho mágico, para responder sobre todas aquelas fantasias (behemoth, gigantes, sátiros, unicórnios e dragões) NEM sobre as atrocidades contidas nela, fica aí, sapateando e sendo incoerente, apenas, que perda de tempo.

    Caca respondeu:

    @Joseph K,

    O crente está falando merda duas vezes. Mas, no chute, ele passou raspando em algo verdadeiro. As leis modernas que se dizem filhas do direito romano são derivadas de uma reapropriação feita pelos iluministas do corpo jurídico romano. Mas nada que altere as conclusões do Joseph K

    Joseph K respondeu:

    @Eu de novo,
    Datas distintas para comemorar a Páscoa decorrem de cálculos diferentes.
    Isso mesmo, acho que não preciso lembrar a um estudioso, como você, que o “cálculo” é tão furado, que a igreja se viu obrigada a criar uma lua imaginária, pois a lua verdadeira teimava em não servir para os “cáculos” dela; isso mesmo, a famosa “lua eclesiástica”; que piada.

    Há outros fatores influenciando o cálculo errôneo dos ortodoxos.
    PERAÍ! PARA TUDO! Para quem usa uma LUA IMAGINÁRIA para os “cálculos”, você está sendo muito seguro em afirmar que os ortodoxos estão errados. Acho que um pouco de humildade te faria bem.

    Ademais, os concílios citados apenas confirmaram solenemente o que os cristãos já criam.
    Imagino que você esteja falando de coisas aceitas como verdade universal, para os cristãos, tais como: a virgindade de Maria, jesus ser filho de deus (OU deus), o lugar da mulher na igreja, apenas apóstolos homens, purgatório, inferno e a trindade; para sua informação, NADA DISSO era aceito por TODOS os cristãos (assim como ainda não é, hoje em dia), vai estudar a história da sua religião, antes de vir falar besteira.

    Legal! Estão sem argumentos…
    A cereja do bolo, um atestado de miopia intelectual, analfabetismo funcional ou dislexia mesmo, irônica uma frase dessas, se considerarmos que você sequer chegou a ter algum argumento.

    Boa leitura, crente, volte quando aprender um pouco sobre sua religião.

  • Pingback: Papa diz que sem Deus o homem caminha rumo à autodestruição » Ceticismo.net()

  • LitrixLinuxer

    Só gostaria de comentar sobre este último parágrafo:

    “Esses fatos podem explicar, em parte, o por que da tragédia religiosa do século XVI, qdo Lutero provocou a divisão religiosa e política da Europa cristã. Séculos de relaxamento pastoral no coração da Igreja Romana afastaram numerosos povos e nações. Lutero simbolizou, com seu gesto, as numerosas gerações que clamavam pela reforma da Igreja. Mas, isso fica para outro artigo.”

    Realmente, enquanto o fato de Martinho Lutero ter sido anti-semita ou o governo teocrático de João Calvino em Genebra são desconhecidos pela maioria das pessoas, esta parte da História envolvendo a Cisma do Oriente e a Inquisição Católica é amplamente divulgada, Não estou dizendo, claro, que devemos “parar” [sic] de falar na Cisma do Oriente ou na Inquisição Católica, apenas acho que a Inquisição Protestante poderia ser bem mais divulgada do que é hoje, visto ela ser praticamente desconhecida pelo público leigo.

    Administrador André respondeu:

    É desconhecida porque o pessoal não lê. Simples assim.

  • LitrixLinuxer

    Eu sei que é realmente este o problema, mas mesmo assim eu fico eu fiquei p%t* da cara, tiririca e anojado ao descobrir que existia essa “negação do Holocausto á lá Gospel” e que MILHÔES de brasileiro simplesmente NEGAM um GENOCÌDIO HISTORICAMENTE COMPROVADO!!! ESTAMOS CRIANDO UM PAÌS DE NAZISTAS!!! Pelo menos a ICAR “assume” a “mea-culpa”, enquanto a Reforma Protestante, desde o começo, se indignou com a Inquisição Católica, e FIZERAM IGUAL. E, pra piorar, ainda justificam até hoje seus erros atuais nos erros passados dos outros e ainda por cima NEGAM a Inquisição Protestante, coisa que nem mesmo a ICAR faz nos dias de hoje com a Inquisição Espanhola. Agora eu penso: Se existe lei contra apologia ao Nazismo, porque não existem leis federais contra fazer revisionismo histórico de genocídios comprovados?

    Agora, gostaria que as pessoas lessem este trecho que eu retirei de um blog (As fontes estão no final do trecho):

    “Senhores pastores, o voto evangélico representa, no mínimo, 25% dos eleitores desta nação. Não costumamos votar com base em vida religiosa dos candidatos, mas por sua potencial competência. Mas de agora em diante, os candidatos comprometidos com causas inimigas da Igreja, ainda que vierem vestidos de branco e trazendo auréola de santos – não merecem o nosso voto. Não devem recerber um voto que seja de um cristão, que tenha temor de Deus.

    E por falar em temor de Deus, antes de votar em outubro pergunte para seu travesseiro: o deputado federal e os dois senadores que estiver pensando em votar, vai respeitar os interesses cristãos diante de um projeto que venha a prejudicar a Igreja? Se tiver dúvidas – não vote neles.”

    Fonte: http://www.pulpitocristao.com/ (Redigido pelo Pastor Leonardo Gonçalves)

    Refutei este Pastor de Bodes com argumentos TEOLÒGICOS e quero ver se ele realmente tem a coragem de publicar meu comentário no blog dele e refutar TEOLOGICAMENTE. (Começaremos pequeno, pois de grão em grão a galinha enche o papo :mrgreen:)

    Pra tu te idéia, eu já vinha tanta “assombração” na minha vida que se eu contar, ninguém acredita.

    Olha só um “causo” que aconteceu comigo certa vez:

    Estava conversando com uma colega sobre História, daí eu disse que João Calvino foi prefeito de Genebra, uma cidade da Suíça. Ela disse: “Não concordo”. Eu perguntei: “Porque não?”. Ela respondeu: “Porque calvinistas distribuiam Bíblias no Brasil!”. Eu disse: “E o que uma coisa tem á ver com outra?” Ela disse: “Respeite minha opinião”. Será que o Lula não é presidente do Brasil porque os espíritas acreditam em Allan Kardec? O que tem a ver os alhos com os bugalhos?

    Mais um “causo” verídico que eu senti na pele:

    Uma vez, estava conversando com um colega meu sobre Paleontologia e Teoria da Evolução e um grupo de pessoas com a camisa com o símbolo da IURD riram da minha cara e me ridicularizaram em público, em plena rua.

    Outro “causo”:

    Estava conversando, eu, uma colega minha e um colega meu, e quando este colega soube que tanto eu quanto ela fazíamos Psicoterapia, ele diz:

    “Essas coisas são pra pessoas que nem vcs, pessoas que nem eu, que tem Jesus no coração, não precisa dessas coisas que nem vcs”.

    Na sua opinião, quanto tempo para o Brasil virar uma Teocracia Protestante?

    Administrador André respondeu:

    Melhor parar com o desvio de assunto ou o artigo ficará zoneado.

  • Pingback: Ultimate Gospel Fighting: Clerigos saem na porrada na Igreja da Natividade » Ceticismo.net()

  • Rubens Mesquita

    Engraçado é que hoje em dia, mesmo a ICAR já tendo aceitado a Evolução biológica e a cosmologia moderna, ainda tem uns padres postando bobagens criaburricionistas no youtube. A Igreja está se dividindo ainda mais. 😎

    Administrador André respondeu:

    Por acaso vc leu sobre o que é o artigo?

  • Denner

    André, vc poderia fazer um artigo sobre as Cruzadas? Já vi muitos cristãos falarem que as cruzadas foram para se defenderem dos malvados muçulmanos. Que tinha tomado 2/3 do seu território (?) e matavam todos que eram não-muçulmanos ou não se convertiam ao Islã (como se isso não tivesse ocorrido com os nativos da América).

    Administrador André respondeu:

    Não. Livro sobre isso é o que não falta e não tem como eu abordar tudo isso em uma postagem.

  • Alan Queiroz

    Cara sinceramente q página besta entrei aqui pra tentar achar inspiração pra fazer um trabalho mas tudo o q vi foi o criador do artigo ficar dando uma de bonzão pra cima de todo mundo recomendo a vc André baixar sua bola e aprender a respeitar os outros

    Pryderi respondeu:

    Caguei pra sua opinião. Vai fazer o que, al[email protected] 189.74.62.63 ?

    Me bater com seu salto alto?