A origem dos olhos compostos está num predador do passado

A presa tenta nadar o mais rápido possível, mas seu destino está selado. Não apenas um par de olhos, mas uma miríade está em cima dele e o predador não o deixará escapar. Visão em infra-vermelho? Muito futurista na ocasião. O lance era ter vários olhos trabalhando juntos, de forma que pudessem captar formas nas piores condições de visibilidade possível. Aranhas e seus ridículos 8 olhos é cegueta perto daquele monstro chamado Anomalocaris, o Senhor das Profundezas, dono de milhares de estruturas oculares, capazes de fazer qualquer vítima tremer de medo nos idos do período Cambriano.

O Anomalocaris era o que eu posso chamar de Camarão Chuck Norris. Com seu 1 metro de comprimento, ele mandava e desmandava na região. Eu já tinha dito na série Evolução x Criacionismo que não houve nenhuma "explosão cambriana". Foi apenas um simples erro de interpretação das evidências. Stephen J. Gould era um excelente cientista, mas era limitado como todos nós somos. Sendo paleontologista, ele se baseava basicamente no que encontrava, mas faltou-lhe ver o quadro geral. O que acontece é que o processo de fossilização é complicado, difícil e demorado. Os fósseis que encontramos hoje é uma ridícula fração das espécies que vieram no passado. Boa parte delas não deixou um rastro sequer. Antigamente – e põe antigamente nisso – os animais eram invertebrados de corpos moles. Não possuíam esqueleto (claro, eram invertebrados. Duh!) e nem exoesqueleto, isto é, não tinham carapaça e era bem difícil encontrar casquinha de siri naquela época por motivos que não precisarei explicar aqui. Sendo assim, o registro fóssil é muito, muito raro. Até que surgiram animais com casquinhas (não necessariamente de siri). O processo evolutivo é bem lento e é bem difícil classificar as espécies; levando em conta que duas espécies diferentes podem ter morfologias semelhantes, pode-se parecer que havia uma espécie surgindo do nada, PUF!, mas não é bem assim.

O Anomalocaris pode ser chamado de "tataravô dos artrópodes". Seu tamanho metia respeito. Ele era tão esquisito que ao se encontrar partes dele, pensaram ser de 3 animais diferentes, mas não. Aquele ser das trevas (literalmente, já que ele não vivia na superfície) era animal e chegava pegando um e pegando geral. Seus olhos saltados e os prolongamentos próximos da sua boa parece algo saído de algum pesadelo do H. P. Lovecraft. Tirando o meu chefe, não havia nenhum bicho com olhar mais feio que o dele.

Antes achava-se que cada um dos olhos eram um globo só, como o meu (não sei o seu, maldito alien!) Mas parece que isso terá que ser revisto, pois novas descobertas indicam que Anomalocaris, El Terrible, já possuía olhos compostos.

O dr. John Paterson, que mais parece o Guilherme Karan mas é professor de Ciências da Terra na Faculdade de Artes e Ciências Universidade de New England, descobriu fósseis que indicam olhos compostos no que ele tem convicção que pertencia ao Camarão do Demo, o Anomalocaris (risada macabra). Caso o bom doutor esteja certo – e não há nada atualmente que indique o contrário – o crustáceo kickboxer já andava abalando geral nos mares de atanho, com uma visão capaz de fazer inveja aos insetos modernos. Sua pesquisa foi publicada na Nature. O fóssil você pode ver abaixo. Divirta-se, enquanto me escondo debaixo das cobertas da minha mãe (mas não esqueça de clicar para ampliar).

É impossível não ver a clara semelhança entre o sistema de visão do Anomalocaris e o dos artrópodes modernos. A árvore filogenética está mais que clara ali, a menos que você seja daqueles que acreditam em cobras falantes. Paralelamente a isso, a corrida pela vida não ficou estática, ou só teríamos… bem, não teríamos nada, pois o  Anomalocaris já não teria mais alimento. Animais que tiveram a sorte por algum capricho genético de adquirirem carapaças mais duras levou à competição. À medida que novos predadores eram selecionados pelo ambiente, capazes de esmagar e triturar as conchas e carapaças, outros animais foram selecionados mediante sua capacidade de escapar, se proteger e gerar descendentes a tempo de passar sua informação genética adiante, antes que virassem almoço de verdadeiros monstros gigantescos (para a época).

A Seleção Natural dá, a Seleção Natural tira. Nada na Biologia faz sentido exceto à luz da Evolução (Mayr, Ernest. 1973).

11 comentários em “A origem dos olhos compostos está num predador do passado

  1. Outro dia vi um documentário muito legal sobre o assunto, era da BBC se não me engano, com o Sir David Attenborough.

    Recomendo fortemente! O título era First Life.

    1. @drumyoshiki, Eu acompanhei, realmente muito bom! Acho que este é o primeiro episódio da série.
      Falava quase tudo que você postou aqui, André! Com menos humor ácido, claro, hahaha.
      Tem pra baixar na net, pra quem quiser (só procurar “Documentário First Life Discovery”, não sejam preguiçosos).

    1. O fóssil você pode ver abaixo. Divirta-se, enquanto me escondo debaixo das cobertas da minha mãe (MAS NÃO ESQUEÇA DE CLICAR PARA
      AMPLIAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAR)
      .

  2. “Foi apenas um simples erro de interpretação das evidências.”

    O que é totalmente esperado na aventura científica. Mas a possibilidade de novas interpretações, verificações mais acuradas e de auto correção é a força maior das ciências, coisa que os crentoscos não veem.

    “A mera expressão de perspectivas inabaláveis é um obstáculo ao progresso cognitivo e ao alargamento da compreensão das coisas.”

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s