Cometarium: para verificar aquilo que voa com fogo no rabo (eu sei)

Todo mundo é fã de Galileu. Ok, eu também sou, principalmente com relação à imensa habilidade prática de construir ferramentas e equipamentos para usar em experimentos que ele, por sinal, também criara. Sim, Galileu era o máximo, mas acho injusto não se lembrarem de Kepler como se lembram de Galileu. Sem os trabalhos de Kepler, a cosmologia teria demorado muito mais pra se desenvolver; inclusive, Newton sabia que as órbitas eram elípticas graças aos trabalhos de Kepler, não por causa do seu grande intelecto. E por isso, nós temos as 3 Leis de Kepler.

Focando nas duas primeiras, as órbitas dos corpos em órbita a um determinado corpo (posso generalizar, apesar de Kepler estar se referindo aos planetas do Sistema Solar) descrevem uma elipse, sendo que o corpo principal está em um dos focos desta elipse.

A segunda lei diz que quando um corpo está indo em direção ao astro principal, em volta de quem o corpo supracitado está, ele tem a velocidade aumentando cada vez mais, até que, ao passar por este corpo, a velocidade vai diminuindo. Lógico, Kepler não sabia o motivo, mas aí seria querer demais dele, né? Nem telescópio estava usando!

Astronomia sempre foi fascinante, haja vista a quantidade de globos terrestres e planetários, sistemas mecânicos que mostram a órbita de um ou mais planetas; mas ainda há um sisteminha legal: Cometários.

Não, não é “comentário”. É cometário, mesmo, pois trata-se de órbita de cometas.

Vindo do latim cometarium (plural: cometaria) Um cometário mostra o caminho longo e parabólico que um cometa percorre no espaço. Muitos (incluindo o mostrado abaixo) tinham chaves que podiam ser giradas, movendo um braço que empurrava o cometa ao longo de seu caminho. O braço às vezes é ajustado para aproximar a velocidade do cometa, que é mais rápida em sua aproximação ao Sol e mais lenta em grandes distâncias.

Como eram curiosidades científicas caras, em vez de ferramentas úteis, foram construídos relativamente poucos cometários. A maioria dos modelos de trabalho provavelmente está agora em museus, como o que abre o artigo. Abaixo, vemos o funcionamento de um.

https://youtu.be/h7i7I5IhB70


2 comentários em “Cometarium: para verificar aquilo que voa com fogo no rabo (eu sei)

  1. Excelente post.Lembrei-me de uma aula de mecânica clássica em que o professor demonstrava a órbita de corpos no espaço a partir das leis de Newton.O engraçado é que logo depois ele demonstrou as leis de Kepler como simples consequência desta prova.O inverso da história real!

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s