Pesquisa mostra que soja causa probleminhas no cérebro. Isso explica seu amigo vegan

Não há natureba que se preze que não enalteça as maravilhas da soja. Soja é excelente e, assim como o grafeno, serve pra tudo. Soja é uma maravilha culinária que substitui a carne, aquela coisa odiosa pros vegans, que criam múltiplas receitas usando soja para criar comida que se pareça com carne, pois, comida vegan é tão horrível que nem vegan gosta.

Obviamente, aqui é Ceticismo.net e se você é leitor assíduo já está esperando pela revoiravolta. Bem, aqui vai ela: uma nova pesquisa mostra que o óleo de soja não apenas leva à obesidade e ao diabetes, mas também pode afetar condições neurológicas como autismo, doença de Alzheimer, ansiedade e depressão.

Sim, você está rindo que eu sei. Ou está espumando de raiva, já correndo para me dizer que quem come carne vai morrer de diabetes e obesidade.

Aliás, eu adoro essa parte que a gordura da carne causa múltiplos problemas de obesidade, mas aí quando pergunto se as maravilhosas batatas fritas em óleo de soja (ambas de origem vegetal) são saudáveis, vegans me xingam. Será que vão xingar quando lerem este artigo? Sim, claro ou com certeza? Bem, não faz diferença.

A drª Margarita Curras-Collazo é professora de Neurociência do Departamento de Biologia Molecular, Celular e de Sistemas na Universidade da Califórnia Riverside. Sua pesquisa estuda os efeitos de substâncias tóxicas ambientais e dos produtos químicos naturais sobre os sistemas nervoso e outros sistemas fisiológicos. Sim, pois é. Esse papo de “se é natural não pode te prejudicar” é conversa fiada, estimulada por Darwin para selecionar o máximo de idiotas possível.

Como ainda não dá pra encher as pessoas de substâncias naturais para ver o quanto as pessoas se ferram, foram usados ratinhos. Ok, em outra pesquisa serão usadas humanos, Temos que aguardar a parte divertida (vai dizer que se encher de comida não é legal?)

A pesquisa se baseou na comparação de grupos de ratinhos alimentados com três dietas diferentes com alto teor de gordura: óleo de soja, óleo de soja modificado para ter baixo teor de ácido linoleico e óleo de coco, já que agora é moda se encher de óleo de coco, pagando 30 reais por esta porcaria, pra tudo ficar com gosto ruim.

Esse tipo de pesquisa não é recente. A equipe da própria drª Curras-Collazo já descoberto em 2015 que o óleo de soja induz obesidade, diabetes, resistência à insulina e fígado gorduroso em ratos. A pesquisa atual, entretanto, mostra que não há nenhuma diferença entre os efeitos do óleo de soja modificado e não modificado no cérebro. Em 2018, mostrei que meninas que se alimentam de soja também têm problemas de saúde, independente se é óleo modificado ou não.

Óleo de soja modificado é um óleo de soja que é tratado de forma a ter menor quantidade de ácido linoleico. Do ponto de vista químico, óleos não são uma substância, mas uma mistura de diversas substâncias diferentes. Normalmente, elas são ácidos carboxílicos de cadeia longa. Algumas pesquisas têm defendido aumentar o percentual de ácido oleico e redução do ácido linoleico no óleo de soja. Há pesquisas de sojas geneticamente modificadas de forma a produzir sementes cujo óleo tenha menor concentração de ácido linoleico. O problema é que a presente pesquisa mostrou que isso se tornou irrelevante. Tanto o modificado quanto o “normal” não fazem bem para quem diabetes. Não, nenhuma carne vermelha, branca ou amarela foi levada em conta.

A equipe da drº Collazo mostrou que óleo de soja age em vários genes de ratos alimentados, fazendo com que estes genes não funcionem corretamente, como o que produz ocitocina, cuja concentração caiu drasticamente no hipotálamo. E você não quer que seu hipotálamo pare de funcionar direito. O mesmo com seus genes. Para quem sofre de Alzheimer ou autismo, óleo de soja (repetindo, comida natural, 100% vegan) acaba piorando os efeitos das doenças. Não, não estou falando que o óleo de soja CAUSE as doenças. Ele é péssimo, mas não é esse vilão todo. Só faz o favor de piorar. Já é alguma coisa. Ou não.

Enquanto isso, o óleo de coco, modinha entre os hipsters natureba, praticamente não causou mudanças nos genes hipotalâmicos. A indústria ficará feliz ao ouvir isso, aumentando o preço, daí todo mundo vai se deliciar com uma comidinha em que tudo terá gosto de coco.

A pesquisa foi publicada no periódico Endocrinology.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s