Fez faxinão? Segura aí até saber o que você libertou

Ei, você aí! Você, mesmo! Eu sei que você detesta sujeira e mete desinfetante em tudo, joga cloro pra todo lado, usa lança-chamas se deixarem! Finalmente, você conseguiu se livrar daqueles malditos germes, germes, germes pra todo lado! Finalmente, sua casa está limpa, certo?

Isso é o que você pensa, mas tenho más notícias: você não só não está com a casa 100% livres das bactérias, mas se estiver, fica tranquilo aí que você abriu espaço pros fungos tomarem conta.

A drª Laura-Isobel McCall é bioquímica (não é bem uma química, mas é menos imperfeita que os demais) e é professora-assistente do Departamento de Bioanalítica da Universidade de Oklahoma. Lady Laura sabe das poderosas forças que regem o Universo, e é por isso que seu laboratório usa instrumentação de química analítica de ponta para responder a questões biológicas críticas.

Ela começou a comparar micróbios entre casas rurais e urbanas no Peru e no Brasil. Inicialmente, ela esperava que todos os micróbios se tornassem menos diversificados com a urbanização. Sim, faz sentido, e todo mundo esperaria isso. Pena que fungos não estão nem aí pro que você espera ou deixa de esperar.

Materiais desinfetantes comercializados sempre focam nas maledetas bactérias, estas desgracentas, mas sempre fingem que não existem fungos, que são naturalmente mais resistentes que bactérias, por ter paredes celulares mais espessas. Como normalmente casas visam manter seus vizinhos distantes, são ótimas para criar um ambiente escuro e quentinho dentro de casa. O tipo de coisa que fungos a-do-ram!

Lady Laura e seu pessoal estudaram bactérias, fungos e vida microscópica, incluindo pequenos parasitas. Esses micróbios vivem com os seres humanos – em nossos corpos e em nossas casas e espaços de trabalho. Enquanto alguns causam problemas para as pessoas, outros, como leveduras e bolores que ajudam a fazer cerveja e queijo, são úteis.

Não apenas isso, a equipe de Lady Laura também testou para substâncias químicas oriundas de materiais de construção, produtos de limpeza, medicamentos e produtos de higiene pessoal, como xampu e desodorante. Foi um festival!

Se nós já estávamos preparando o mundo para o advento de superbactérias cada vez mais resistentes, agora temos que nos preocupar com fungos e superfungos também. Digam se isso não é lindamente maravilhoso!

A pesquisa foi publicada no periódico Nature Microbiology . Dá uma lidinha lá, mas só depois de fazer a faxina, ok?

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s