Pesquisa estuda como reduzir resistência bacteriana contra antibióticos

Antibióticos foram uma das maiores invenções da Humanidade. Pediram para Jesus curar as pessoas, mas ele ignorou. Pediram para Jeová, Allah, entre outros deuses. Só com a chegada dos antibióticos a expectativa de vida deu um salto. O problema é que a Seleção Natural oferece um problema: a resistência bacteriana, isto é, aquele lindo processo evolutivo que criaburricionistas dizem não existir faz com que bactérias sejam selecionadas naturalmente e as mais resistentes continuem gertando (muitos) descendentes.

Será que a Ciência poderia resolver isso?

Bastien Casu é químico (com ele a oração e a paz). Como ele não é de Humanas, seu doutorado (em Bioquímica) não é sobre gente chupando piroca em banheirão público e nem saindo pra curtir orgias em boates gays. Bastien e seus colaboradores do Departamento de Bioquímica e Molecular da Universidade de Montreal estuda como dar uma mexida geneticamente, mandando o remédio direto na fuça da bactéria, de forma com que ela morra antes de bloquear o remédio.

A tática idealizada é usar plasmídeos para servir de delivery de genes, os quais sintetizarão o antibiótico dentro da própria bactéria, bem como substâncias que inibem o fator de resistência a medicamentos, agindo como um verdadeiro cavalo de Troia molecular ou traíra X-9 FDP que trairá o movimento.

Plasmídeos são trechos de DNA com hélice dupla que possuem reprodução própria, independente do DNA cromossômico. Esses plasídeos codificam proteínas necessárias para as bactérias, transportando essas substâncias quando necessário. Assim, a ideia é usar estes sem-vergonhas  para carregar um gene alterado de forma que possa fazer o próprio remedinho. Este remedinho irá atuar nos genes do agente infeccioso de forma que ele passe a não oferecer resistância à droga.

Claro, esta pesquisa tem muitos detalhes, mas não é por causa disso que você ficará sem saber. Aproveita a Black Friday e acesse o Scientific Reports que tá tudo lá, de graça!

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s