MMA de espíritos acaba em morte. Nenhum espírito preso

Léo Montenegro era um articulista do jornal O Dia, do Rio de Janeiro. Em suas crônicas, sempre tinha alguma situação engraçada, com personagens diversos. Desde a senhora gorda, até um negão e um sujeito com capacete de Jim das Selvas. Era o cotidiano insano de subúrbio que, em quase todas as histórias, acabava com pessoal saindo na porrada.

Então, a notícia que a Ana Elisa Bacon me trouxe (e tudo fica melhor com Bacon) me lembrou algumas dessas crônicas. O caso de uma porradaria entre alguns Zé Ruelas, a qual acabou em morte e puseram a culpa em espíritos.

Tudo começou com uma festa num terreiro de Umbanda de Mãe Maria. Pessoal teve um surto, saíram na porrada e o jovem de 28 anos chamado Helio Teixeira da Costa teve sua pergunta filosófica respondida sobre o que tinha depois da morte, tendo seu corpo aparecido num terreno baldio no Jardim Tijuca, Mato Grosso do Sul.

O crime aconteceu em janeiro, mas os meganhas do Mato Grosso do Sul conseguiram prender quatro meliantes, que se apresentaram hoje, na Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios. Os inúteis, depois de um interrogatório (e sabemos muito bem como foi) começaram a cantar feito canários, atribuindo o crime ao que chamaram de “briga de espíritos”.

Sim, isso mesmo. Segundo o depoimento, a vítima recebeu um exu que ficou agressivo e queria assar o rodo em Mãe Maria. Mãe Maria recebeu outro espírito. Os 4 facínoras (“facínora” não cabe bem no contexto da frase, mas vai assim mesmo porque achei muito legal!) começaram a pegar a vítima com um exu na ideia de porrada, acabando por matar o sujeito, e o exu não ajudou em nada.

Hélio morreu, e os suspeitos desovaram o defunto no terreno baldio. Um dos bandidos alegou legítima defesa. Quatro contra um. Sei. O cara devia ser o que? O Batman? E isso por quê? Porque no dia da festividade estava lá a batucada e, o mais importante, recheada de bebidas alcoólicas, além de, provavelmente, algumas outras drogas, mas daqueles que não são nada lícitas.

A vagabundada foi pro xilindró ontem, e os meganhas da Microsoft, digo, MS encontraram várias facas no local. O caso foi registrado como homicídio doloso qualificado seguido de ocultação de cadáver, e os meliantes estão vendo o exu nascer quadrado.

Fica a dica: cuidado com os espíritos. Muitos deles são zombeteiros e fazem as pessoas cometerem atitudes que julgariam repulsivas, mas parece que uns gorós fazem os isprítus entrarem nos corpos do pessoal.


Fonte: Campo Grande News

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s