Religiosos ensinam humildade construindo templos milionários

As geniais perguntas burras para quem se acha esperto
Há um ano, você agiu feito um imbecil. Você não estava sozinho

Jesus disse: “Eu sou a luz que está acima deles todos. Eu sou o todo: o todo saiu de mim e o todo se reuniu a mim. Rachai uma madeira: eu estou ali. Levantai uma pedra e me achareis”.

As correntes cristãs normalmente sentem coceira ao sequer saber da existência do Evangelho Apócrifo de Tomé, também chamado de Evangelho Gnóstico de Tomé. Ele, claro, não foi escrito por Tomé, mas Mateus também não escreveu o Evangelho de Mateus, nem João, nem Lucas nem Marcos e boa parte das epístolas paulinas não foi escrita por Saulo de Tarso.

A ideia que Deus estaria em qualquer lugar, até debaixo de uma pedra, nunca agradou a qualquer elite religiosa. Sem igrejas monumentais, sem poder sendo exercido. Hoje, no século XXI, nem sempre apelam para imensas catedrais. Agora é aplicativo para celular, vídeo no YouTube e até dízimo online.

São hóstias iluminadas com LED, iluminação digna de estúdio de cinema, igrejas evangélicas na base do Showbiz, pai de santo com câmeras, iluminação, microfones etc, melhor do que os lixos que fazem no cinema nacional, exclusivamente para o YouTube.

Mas o legal é que a religião prega humildade, desapego aos bens materiais e Jesus mete a mão na toceira de corda e baixa a porrada nos vendilhões do templo (a parte que eu mais gosto), e põe todo mundo pra correr dali. Hoje, ele seria tido como vilão e meteriam a porrada nele e… não, péra!

São tablets, telões em alta definição, som estéreo e até projeções 3D. tudo isso para mostrar a todo mundo que é mais fácil o camelo passar pelo buraco da agulha do que um rico entrar no Reino dos Céus. Não que rico vai se ferrar por ser rico. Buraco da Agulha era a única entrada nas fortalezas que ficavam abertas à noite, em que viajantes podiam entrar, mas seus camelos só conseguiam passar sem a carga e se arrastando, uma alegoria que para encontrar Deus tem que ser por meio de humildade e sem estar preso às posses.

Este Templo, onde meu Nome é invocado, será porventura que se tornou um covil de ladrões para vos reunirdes? Muito cuidado! Eis que Eu mesmo estou observando tudo isto!

– Jeremias 7:11

E entrou Jesus no templo de Deus, e expulsou todos os que vendiam e compravam no templo, e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas; e disse-lhes: Está escrito: “A minha casa será chamada casa de oração; mas vós a tendes convertido em covil de ladrões”

– Mateus 21:12-13

As religiões esqueceram pro que foram criadas: integração, suporte moral, exercício pastoral. Hoje são apenas uma guerra de egos para saber qual tem a igreja mais fodástica, porque ninguém quer ir pra capelinha em São Joaquim do Mato Dentro. As estrelas missionárias estão muito confortáveis em suas instalações luxuosas em Alphaville, Copacabana e qualquer outro bairro nobre, e não. Você, noviço, não irá pra lá. Quando muito uma igrejinha poeirenta em São João do Meriti, e estará feliz da vida para não ter que ir parar em algum lugar no interior do Piauí.

Trabalho missionário meu rabo! E dá pra entender bem porque assim que surgiram os franciscanos, eles eram vistos como hereges e quase foram parar na fogueira. Sugira algo similar nestas opulentas igrejas e sinagogas e templos diversos para ver só. Eles estão muito bem, pregando sobre um camarada com uma túnica meio ensebada, montando num burro emprestado, dizendo que aquele que tiver duas togas deveria dar uma a quem precisa.

Se bem que em Mateus, capítulo 6, este mesmo pregador apocalipsista itinerante pregava que aquele que reza em igrejas fazendo vãs repetições não passava de um hipócrita.

Talvez, Nietzsche estivesse certo e o único cristão que existiu morreu na cruz.


Fonte: Veja

As geniais perguntas burras para quem se acha esperto
Há um ano, você agiu feito um imbecil. Você não estava sozinho

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!