Placebo funciona mesmo quando o paciente sabe que é placebo

Placebo é uma das ocorrências mais fascinantes na medicina. Desde ajudar animais [1] [2] até “curar” câncer o placebo é a salvação da lavoura em muitos casos. Seu mecanismo ainda não é bem compreendido. Ele funciona, mas ainda não se sabe como nem por que, mas é algo mais do que evidenciado.

Muitos já sabiam que o placebo é tão bizarro que funciona até quando o paciente sabe que é placebo. Mas ciência é feito com pesquisa, e não um tio sintetizando pilulinha mágica em laboratório imundo, parecendo laboratório clandestino de crack.

A drª Claudia Carvalho, que não é parente minha, é professora do Departamento de Psicologia Clínica e da Saúde do Instituto Superior de Psicologia Aplicada – ISPA, em Lisboa, Portugal. A bela rapariga trabalhou juntamente com o senhoire dr. Ted Kaptchuk, diretor do Programa de Estudos placebo e do encontro terapêutico no Beth Israel Deaconess Medical Center, mas com cara de cantor de fado.

O estudo dos dois é o primeiro a demonstrar cientificamente que os pacientes que, conscientemente, tomaram um placebo em conjunto com o tratamento tradicional para dor lombar viu mais melhorias do que aqueles que receberam tratamento tradicional sozinho.

Repetindo: os gajos sabiam que era placebo, e mesmo assim melhoraram. E se você disser que não, é capaz de eles dizerem que é tudo intriga da Big Pharma e… não, péra! Eles sabiam que o remédio que estavam tomando não era remédio.

Os pesquisadores estudaram 97 pacientes com dor crônica na região lombar. Essa dor sem vergonha detona a pessoa e é responsável por deixar as pessoas incapazes de trabalhar, se exercitar ou mesmo andar em alguns casos. A todos esses pacientes, os pesquisadores deram uma pequena preleção sobre efeito placebo. Depois, as pessoas foram divididas em dois grupos. Um deles tomaram placebão, mas sem saber que era placebo. O outro grupo tomou placebo, mas foram avisados disso.

A maioria desses pacientes eram tratados anteriormente com analgésicos e anti-inflamatórios não-esteroides. Nenhum paciente que anteriormente fazia uso de analgésicos opióides participaram dos testes.

Ao final de três semanas, os pacientes que tinham consciência que estavam tomando placebos reportaram uma taxa de diminuição da dor em cerca de 30% para dores mínimas. No caso de pacientes com dores intensas, a redução ficou na faixa entre 9% do primeiro grupo e 16% pro segundo grupo.

Os pesquisadores, como não são idiotas irresponsáveis, alertam que placebos não servem para tratar tumores, desobstruir artérias, curar câncer etc. (estou olhando pra você Chierice!). este teste é apenas para entender como nosso corpo funciona. Temos as respostas sobre o por que dele funcionar? Não, mas é inegável que é um sistema complexo, em que mesmo que você saiba que é placebo, ele diminuirá as dores, mas não a causa delas. A dor voltará e se você não foi ver o que está causando ela, se prepare para dar um oi para Darwin escondido atrás da cortina, pronto para lhe selecionar.

O estudo foi publicado no periódico PAIN.


A propósito, você viu meu vídeo em que eu falo de Efeito Placebo?

2 comentários em “Placebo funciona mesmo quando o paciente sabe que é placebo

  1. “A propósito, você viu meu vídeo em que eu falo de Efeito Placebo?”

    Sim e lembrei dele quando li o título do artigo e mais ainda no decorrer do texto.

  2. Hoje, mistério. Amanhã, conhecimento comum.
    Alguém, algum dia, ainda vai saber como isso funciona. E, depois de tudo, vai-se dizer: “Como é que não vimos isso?!?!?”
    Sem precisar de divindade, revelação ou oráculo algum.

Deixe um comentário, mas lembre-se que ele precisa ser aprovado para aparecer.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s