Nova técnica descobre câncer de próstata com maior eficácia

Negro que não é negro passou em concurso por causa de cotas que não são só para negros
Humanos passaram o cerol em megafauna de aves na Austrália

Câncer não é algo legal. Apesar de 80% dos casos de câncer serem curáveis se descobertos a tempo, o problema é descobri-los a tempo. Ainda mais no caso do de próstata, em que homem retardado fica com vergonhinha de ser examinado. Até parece que médicos fazem bolão pra saber quem fez mais exames, com a descrição de cada examinado. Exame por imageamento seria mais eficiente e menos invasivo, mas temos que meter o dedo na ferida. O problema é que análises por imageamento não são lá muito sensíveis para a detecção de câncer de próstata metastático. Será que podemos mudar isso?

Um estudo recente demonstra uma nova técnica que permite, de forma prospectiva e sistemática que uma varredura PET / CT, usando o radiofármaco F18-DCFBC ZZZzzzzZZZzzzz.

PET scan não é imageamento de garrafa PET. Garrafa PET, no máximo, é usado como máscara de oxigênio em hospitais de países paupérrimos, com política de saúde pública catastrófica. O PET, no caso de processos de imageamento, significa Positron Emission Tomography (Tomografia por Emissão de Pósitrons). Ele faz mapeamento de diferentes substâncias químicas radioativas no organismo, administradas para onde se quer ver o que tem lá.

Já o CT scan (também chamado CAT Scan, de Computerized Axial Tomography) é baseado em tomo uma tomografia computadorizada de raios-X. Nesse caso, você n]ao toma nada radioativo, logo, é muito pouco provável que você ganhe superpoderes (no PET scan também não tem essa possibilidade).

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total de cânceres. Sua taxa de incidência é cerca de seis vezes maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento.
Fonte

O dr. Steve Cho é médico, cientista. Ele é professor do Centro de Medicina Nuclear do Departamento de Radiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Winsconsin. Ele estudou alguns pacientes e descobriu que usando a técnica PET scan usando rádio-traçador F-18-DCFBC (ou seja, usando isótopo Flúor-18), Cho descobriu que em 17 desses pacientes foi possível detectar um maior número de lesões do que com métodos convencionais. Em gânglios linfáticos, ossos e tecido visceral, análises usando PET scan provou ter uma sensibilidade muito maior para a detecção de lesões de câncer de próstata em comparação com os métodos atuais.

Em algum momento, boçais devem ter perguntado para que esse negócio de pesquisa com radioatividade. Taí a resposta!

Claro, prevenção é sempre primordial. Então, filhotinhos, passou dosa 40 vá fazer a bosta do exame preventivo. Ninguém vai saber. Pode ficar tranquilo. No máximo você vai querer uma segunda opinião. Enquanto você nãop vai se examinar, vá ler a pesquisa do dr. Cho, publicada no periódico The Journal of Nuclear Medicine.

Negro que não é negro passou em concurso por causa de cotas que não são só para negros
Humanos passaram o cerol em megafauna de aves na Austrália

Sobre André Carvalho

και γνωσεσθε την αληθειαν και η αληθεια ελευθερωσει υμας

Quer opinar? Ótimo! Mas leia primeiro a nossa Polí­tica de Comentários, para não reclamar depois. Todos os comentários necessitam aprovação para aparecerem. Não gostou? Só lamento!

  • Johnny

    Pronto, agora não tem mais desculpa, mas enquanto esse método não é aplicado, ou abaixa as calça pro médico ou toma chá de jatobá pro résdavida.

  • Carl,le Sceptique

    Com a tecnologia avançando creio que a questão de descobrir câncer em algum paciente pode ser logo daqui a alguns anos muito mais fácil de se encontrar.Mas por causa de o câncer ter diversos tipos,pode acabar complicando um pouco.
    Mas por hora,é melhor que as pessoas parem de frescura,pois é necessário fazer o exame.